Plástico

12 de fevereiro de 2012

Flexível consome quase 5% da produçao de produção de poliolefinas

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A produção de embalagens plásticas flexíveis, de acordo com a última pesquisa realizada pela Maxiquim, sob encomenda da Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief), em 2010, correspondeu a 1,790 milhão de toneladas, representando 47,2% do consumo total de matérias-primas poliolefínicas, que alcançou 3,792 milhões de toneladas.

    Os polietilenos em seu conjunto são as matérias-primas mais utilizadas na produção de embalagens plásticas flexíveis. Em 2010, o consumo de todos os polietilenos somados e destinados a esse tipo de produção correspondeu a 2.324 mil toneladas, cabendo ao polipropileno fatia de consumo correspondente a 1.469 mil toneladas.

    Entre os polietilenos, as matérias-primas de maior consumo aparente em 2010 foram os PEAD, seguidas pelos PEBDL e pelos PEBD. O consumo aparente é calculado pela soma da demanda interna mais as importações, subtraindo-se as exportações. Naquele ano, para fabricar embalagens flexíveis, foram utilizadas 977 mil toneladas de PEAD, 809 mil toneladas de PEBDL e 538 mil toneladas de PEBD.

    A indústria de embalagens plásticas flexíveis registrou em 2010 faturamento de R$ 10,52 bilhões, um aumento de 18,8% na produção em relação ao ano anterior e de 0,8% no preço médio. Em 2009, o faturamento do setor alcançou R$ 8,79 bilhões.

    A balança comercial da indústria de embalagens plásticas flexíveis em 2010 foi deficitária em 47 mil toneladas. Houve um incremento de 40% nas importações em relação às exportações, que subiram de 77 mil toneladas (2009) para 108 mil toneladas (2010), enquanto as exportações apresentaram queda de 6%, de 65 mil toneladas (2009) para 61 mil toneladas (2010).

    Em valores foram gastos com importações em 2010 US$ 467 milhões, e exportados US$ 192 milhões. O montante gasto com importações em 2010 foi 38% superior ao montante de 2009. Já as exportações em valores somaram em 2010 US$ 192 milhões, ou seja, um crescimento de 11% em relação ao ano anterior, no qual foi registrada receita de US$ 173 milhões com as vendas ao mercado externo.

     

     

     



    Compartilhe esta página









      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *