Armazenamento e Transporte

Fispal: Plásticos mostram redução de peso e aumento de praticidade

Antonio Carlos Santomauro
13 de julho de 2019
    -(reset)+

    Equipamentos para PET – A Multipet divulgou em seu estande o lançamento de dois novos modelos de máquinas de sopro para embalagens PET, programados para ocorrer até o final deste ano. São eles os modelos EVO 4 e a MP 2000.

    A EVO 4 tem quatro cavidades, automática e elétrica, que opera com alimentação contínua. Possui forno de aquecimento contínuo e controle de processo sofisticado. “Ela é capaz de produzir até 8 mil garrafas de 500 ml por hora, ou 2 mil de até 3 litros”, informa o gerente comercial Marcius de Souza. A MP 2000 é semiautomática, fornecida com duas, três ou quatro cavidades, e produz recipientes com até 3 litros de volume. “Quando opera com quatro cavidades, ela produz 2,4 mil garrafas de até 500 ml por hora”, destaca Souza.

    Também fabricante de sopradoras para embalagens PET, a austríaca PET Technologies produz máquinas automáticas ou semiautomáticas, com capacidade para produzir recipientes de 200 ml a 40 litros. Essas máquinas, informa Tetiana Pronikova, diretora de desenvolvimento regional da empresa para a América Latina, podem produzir até 14 mil garrafas por hora. “Nas máquinas para embalagens até 5 litros, a produção é de 2,5 mil garrafas de 2,5 l por hora. Já na de garrafas de PET com 20 a 30 litros, chega a 250 unidades por hora”, exemplifica.

    A PET Technologies, diz Tetiana, conta com representante comercial no Brasil e também projeta e produz os moldes para as embalagens sopradas de PET: “Fabricamos moldes tanto para as nossas, quanto para outras máquinas de sopro”, enfatiza.

    Moldes para embalagens sopradas de PET constituem a especialidade da Moldes Brasil, que, de acordo com o diretor comercial Ederson Buco, realiza com a indústria alimentícia cerca de 60% de seus negócios, e compareceu a essa nova edição do evento visando principalmente captar novos clientes, aos quais destacava características como prazo curto de entrega, custo acessível e produto de qualidade.

    A Moldes Brasil, prossegue Buco, participou das edições da Fispal Tecnologia desde 2014, mas a participação nesse gênero de eventos vem sendo dificultada pela realização, em sequência, de feiras diferentes, mas que atingem públicos ao menos em parte coincidentes: caso dessa mais recente edição da própria Fispal Tecnologia e da Plástico Brasil, que este ano foram realizadas com um intervalo inferior a três meses. “É difícil trabalhar com feiras acontecendo uma logo após a outra, o investimento é muito elevado”, pondera Buco. “O ideal seria uma alternância, com uma feira acontecendo em um ano e a outra no ano seguinte”, finaliza.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *