Produção Ilegal de Fios e Cabos Elétricos Preocupa o Segmento: Revestimentos

30% dos Produtos fora das Especificações e Normas

Um grave problema atinge o segmento de fios e cabos no mercado nacional.

O Sindicel estima que 30% dos produtos comercializados são fabricados fora das especificações previstas pelas normas nacionais.

“O mercado ilegal fatura em torno de R$ 1,8 bilhão e conta com 116 empresas identificadas”, informa Enio Rodrigues, diretor executivo do Sindicel.

O cenário causa prejuízos não só para as indústrias que atuam de forma correta.

Pela má qualidade dos produtos, em 2019, houve perda de algo próximo a 7% do total de energia consumida no país, com prejuízo para a sociedade estimado em R$ 8 bilhões.

A prática causa outros problemas, entre os quais a elevação do risco de incêndios.

O cenário preocupa o sindicato que, em parceria com a Associação Brasileira pela Qualidade de Fios e Cabos Elétricos (Qualifio), move uma série de ações para monitorar e identificar fabricantes e certificadoras que operam de maneira irregular, para posterior notificação das autoridades competentes.

Rodrigues diz que o trabalho já resultou na apreensão de mais de 60 mil rolos de fios e cabos em onze estados da federação.

Foram realizadas ações em aproximadamente 147 lojas e 13 empresas, além da retirada do mercado de 40 marcas.

Quer ler a reportagem completa sobre Fios e Cabos: Acesse agora mesmo a Revista Plástico Moderno

 

Leia mais Reportagens:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios