Filmes metalizados e coloridos podem ser reciclados

Economia circular: tecnologia recicla filmes metalizados e coloridos

Uma tecnologia capaz de produzir resinas sem nenhuma coloração a partir de filmes pós-consumo multicamadas, metalizados e impressos foi desenvolvida pela Deink, empresa que já oferecia serviços de destintagem de filmes para a reciclagem.

Denominada como Deink 4D – delaminação, desmetalização, destintamento e disrupção –, ela começou a ser utilizada a partir de agosto em uma planta mantida pela empresa em Itupeva-SP, com capacidade de 15 mil t/ano dedicada, ao menos nessa primeira fase, à reciclagem de BOPP (embora possa ser utilizada também para outros filmes).

A Deink 4D, relata Marcelo Mason, head de sustentabilidade e ESG da empresa, destinta, delamina, desmetaliza os resíduos de aplicações de BOPP, por exemplo, embalagens de snacks e biscoitos, muitas vezes feitas com duas camadas de filme intercaladas por um coating metalizado no qual é feita a impressão.

Não utiliza solvente, é totalmente à base de água que trabalha em ciclo fechado com evaporação e estação de tratamento de efluentes.

“O processo começa com a moagem, segue para uma linha de tratamento químico com três tanques e centrífugas, e retorna para lavagem, secagem e extrusão”, descreve Mason.

Economia circular: Tecnologia recicla filmes metalizados e coloridos ©QD Foto: iStockPhoto
Marcelo Mason, head de sustentabilidade e ESG da Deink 4D

“Assim como já fazemos com a destintagem, os resíduos serão enviados para cimenteiras ou para tintas de segunda linha”, acrescenta Mason, referindo-se aos resíduos de tintas, vernizes e metalização.

Leia Mais:

Não deixe de consultar o Guia QD, maior plataforma eletrônica de compras e vendas do setor, com mais de 300 mil consultas mensais por produtos e mais de 400 anunciantes ativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios