Filmes biorientados: Ano agitado com as eleições e a copa de futebol promete reaquecer as vendas do setor

Com atuação em todo o território nacional, ele estima distribuir uma média de 300 toneladas mensais, mas sua capacidade chega ao dobro disso. Seu parque fabril dispõe de dez máquinas de corte e rebobinadeiras, o que lhe permite ofertar filmes desde 28 mm até 2.100 mm. “Tenho planos de abrir filiais só com foco comercial”, revela. Além dos filmes da Videolar, a Papion possui uma pequena participação no mercado de BOPET – filmes de poliéster biorientado, cerca de 2% do seu negócio.

Além do BOPP – Também a Limer-Cart concentra seu foco no BOPP, mas a sua fatia do BOPET é maior, absorve em torno de 20% dos negócios. A empresa é distribuidora da Terphane, a única fabricante brasileira do produto. “Começamos a focar mais o BOPET no ano passado, quando começou a aumentar a consulta por esse tipo de produto, que naturalmente já tem um volume menor que o de BOPP”, comenta Rebechi Junior.

De acordo com suas informações, os filmes de poliéster se endereçam a aplicações bem específicas, tais como embalagens do tipo stand up pouch e para PET food. Isso porque a resina confere barreira à gordura, atribui maior rigidez à embalagem e ainda suporta temperaturas mais elevadas em relação ao polipropileno biorientado. “O BOPET se destina a embalagens que demandam uso em autoclave e entram em contato direto com gordura”, explica. Outro exemplo: só esse material atende o segmento de assados (sacos para acomodar carnes para assar em fornos domésticos), por causa de sua resistência à alta temperatura. São várias as opções, mas ele aponta os transparentes e metalizados como os mais demandados pelo mercado.

Quanto aos filmes de BOPP, o seu portfólio é amplo, e oriundo de fornecedores variados. O volume distribuído desses produtos equivale a 80% do total entregue pela Limer-Cart aos seus clientes. Atualmente, o gerente de marketing estima movimentar um total em torno de 650 toneladas mensais, mas, com apenas um turno, a sua capacidade pode chegar a 800 t mensais.

“Distribuímos cerca de oito mil toneladas em 2013, que foi um ano atípico, com a acomodação da entrada da Videolar, mas fizemos a lição de casa e mantivemos o volume projetado para o ano”, diz Rebechi Junior, que considera a Limer-Cart a maior distribuidora de BOPP e de BOPET do país.

A empresa possui uma filial em Canoas-RS, e considera a possibilidade de abrir outra no Nordeste. Sua sede ocupa uma área de 23.300 m2, com 8.800 m2 construídos. Entre cortadeiras e rebobinadeiras, a empresa opera 23 equipamentos em Limeira, e mais cinco na filial gaúcha, que permitem oferecer ao mercado bobinas desde 24 mm até 2.100 mm. “Só por volta de 10% da produção é comercializada no formato adquirido do produtor”, ensina, e também explica que os cortes são otimizados a fim de evitar refiles.

Página anterior 1 2 3 4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios