Ferramentaria Moderna

Ferramentaria moderna: Setor apresenta novidades em centros de usinagem

Renata Pachione
4 de setembro de 2013
    -(reset)+

    Alto desempenho – Fundada há dois anos, a Eletro Máquinas e Equipamentos fabrica por aqui máquinas de eletroerosão e representa a alemã Exeron e a taiwanesa Vision Wide. Da fabricante de centros de usinagem do tipo portal, a Vision Wide, abastece o mercado nacional com máquinas do tipo mesa móvel, em que a mesa de trabalho movimenta nos eixos X e Y. “Já existem dezesseis máquinas instaladas no mercado brasileiro”, comenta Sidnei Cunico, diretor da Eletro. Um destaque é o modelo SF-3120 com cursos em X, Y e Z, de 3.100 mm x 2.000 mm x 800 mm, e peso total de 30 toneladas; a capacidade de carga sobre a mesa é de 10 mil toneladas. Segundo Cunico, o modelo é indicado para moldes grandes, nos casos em que o cliente precisa concluir toda a usinagem sem movimentar a peça de trabalho.

    Já de sua representada alemã, o Centro de Usinagem High SpeedExeron HSC 300 tem como diferencial o trabalho com ferramentas entre 0,1 mm e 16 mm de diâmetro em rotação de 42 mil rpm “É possível fazer uma cavidade de 18 mm deixando “pininhos” com espessura de 0,25 mm de diâmetro em toda essa altura”, comenta o diretor. A máquina atende à fabricação de moldes pequenos de superfície complexa com alto acabamento e precisão.

    A empresa alemã Emag traz um centro de usinagem horizontal inédito para o mercado brasileiro, o SW BA W04-42, equipamento com quatro fusos, duas mesas, cada uma com quatro ou cinco eixos com acionamento via motores lineares, de até 100 m/min nos eixos Y e Z. Segundo Volker Clauss, este centro de usinagem produz quatro peças ao mesmo tempo, num espaço reduzido e com menor necessidade de mão de obra com alta confiabilidade, produzindo peças de excelente qualidade. A máquina já foi apresentada na Alemanha, onde é considerada a de maior produtividade da categoria.

    O acionamento por motores lineares nos três eixos X, Y e Z tem velocidades de avanço rápido de até 100 m/min. “A aceleração é de até 22 m/s², o que reduz ainda mais o tempo de ciclo”, explica Clauss. O conceito das mesas, que giram por um eixo horizontal e ficam numa posição alta dentro da área de trabalho, garante a livre saída do cavaco, sem cair na mesa. Por todos esses quesitos, a máquina se tornou a mais vendida da companhia no mercado brasileiro, aponta Clauss.

    Plástico Moderno, Máquina da Makino troca ferramentas em 0,9 seg

    Máquina da Makino troca ferramentas em 0,9 seg

    Mais importadas – Entre as soluções da Makino estão os centros de usinagem vertical F5 e o horizontal a61nx. O primeiro foi projetado para proporcionar maior rigidez e velocidade em processos de usinagem sem vibração no fresamento de materiais com alta dureza, por exemplo. O modelo tem cursos X, Y e Z de 900 mm, 500 mm e 450 mm, respectivamente. O projeto da série F, segundo Wiliam Howard, gerente de produto em usinagem vertical da Makino, começa com uma configuração de eixo único (sem componentes em balanço) e incorpora uma estrutura superdimensionada que proporciona uma plataforma de usinagem robusta. “Conseguimos reduzir a variabilidade para horas contínuas de operação e tolerância limitada”, comenta Howard.

    O modelo horizontal a61nx movimenta simultaneamente os eixos X, Y e Z, em conjunto com a rotação do eixo B. A troca de ferramentas é de 0,9 segundos (tool-to-tool) e de 2,19 seg (chip-to-chip). Opera com avanço de usinagem de 50 mil mm/min, avanço rápido de 60 mil mm/min e eixos com cursos de 730 mm (X), 650 mm (Y) e 800 mm (Z).

    A Makino do Brasil pertence ao grupo Bener, que também trouxe novidades em centros de usinagem por meio de suas divisões Bener Veker e High Tech. Pela primeira, exibiu o Centro de Usinagem de Alta Perfomance V700. Versátil e seguro, destaca-se pela transmissão do cabeçote tipo “Direct Drive”, que alcança 12 mil rpm de velocidade e o deslocamento rápido de 48 m/min. A máquina tem ainda trocador de ferramentas bidirecional tipo Arm Type com magazine de 24 peças, guias lineares roletadas, transportador de cavacos e sistema de refrigeração do eixo-árvore entre seus diferenciais. A velocidade de trabalho é de 1~10000 mm/min.

    Já sob a tutela da divisão High Tech, o destaque ficou a cargo do Centro de Usinagem MVK 760 ECO com guias lineares roletadas e acionamento direto nos eixos X/Y/Z (direct drive), o que, segundo seu fabricante, garante maior rigidez e precisão aos trabalhos. A coluna reforçada e o sistema de lubrificação automático centralizado são outros diferenciais da máquina, apresentada com carenagem completa com porta frontal e duas portas/janelas laterais. Equipado com mesa de dimensões de 1.200 mm por 515 mm, o modelo admite carga de 700 kg e tem altura mesa/piso de 860 mm. O curso dos eixos X, Y e Z é de 1.066 mm, 510 mm e 500 mm, respectivamente.

    Com sede no Japão, a Okuma Latino Americana, apostou em operações de alto desempenho com o centro de usinagem horizontal MB 5000. A máquina opera com um eixo árvore de 15 mil rpm, avanço rápido dos eixos X, Y e Z de 60 m/min, troca de ferramentas T-T, de 1, 3 segundos, e C-C de 3,1 segundos; a troca de pallet se dá em 9 segundos. Trata-se de um equipamento termicamente estável que busca reunir alta velocidade e potência num modelo compacto. “A máquina é construída dentro do conceito thermo-friendly, que permite prever a deformação térmica, melhorando a precisão”, comenta Carlos Eduardo Ibrahim, gerente de vendas da Okuma no Brasil.



    Recomendamos também:








    Um Comentário



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *