Ferramentaria Moderna: Mais acessível, prototipagem rápida atrai novos compradores

Plástico Moderno, Protótipo de chuveiro fica bastante similar ao produto acabado
Protótipo de chuveiro fica bastante similar ao produto acabado

Os modelos também permitem possíveis correções de trajeto no desenvolvimento dos moldes, sejam eles de injeção ou sopro. Nesse caso, são recomendadas impressoras 3D mais sofisticadas. “Para as ferramentarias, indicamos as máquinas da linha ProJet, com elevada precisão e de fácil manuseio.” Esses modelos contam com várias características adequadas para a atividade, trabalham com tolerância dimensional bastante rígida e permitem a produção de réplicas em vários materiais plásticos. A faixa de preços se encontra entre R$ 60 mil e R$ 300 mil.

Quando o assunto é prestação de serviços, a Robtec conta com equipamentos de ponta, para fazer os protótipos com tecnologia avançada. Dois métodos de impressão 3D são os mais utilizados, o de estereolitografia e o de sinterização. O primeiro proporciona melhores qualidades superficiais e também a confecção de peças transparentes. A sinterização oferece melhores características mecânicas. Nos dois casos não existem limites de tamanho para se confeccionar uma peça. Se suas dimensões ultrapassam a capacidade dos equipamentos, são produzidos pedaços das peças, que depois são colados.

O processo de estereolitografia parte de um desenho tridimensional da peça em CAD. No equipamento adequado, esse desenho é dividido em camadas. Com a ajuda de um laser, é solidificada camada por camada do modelo, com uma resina líquida fotossensível, até que este seja totalmente construído. A resina tem características semelhantes às do polipropileno e pode gerar peças transparentes, caso necessário. Uma vez finalizada, a peça pode ser pintada, colada ou montada de acordo com o projeto apresentado.

A sinterização também começa com a divisão de um desenho tridimensional feito em CAD. Um laser sinteriza, camada por camada, um material em pó com a ajuda de um aglutinante. O pó é selecionado conforme as características desejadas. Podem ser utilizados, por exemplo, pó de náilon enriquecido ou não com carga de fibra de vidro ou materiais flexíveis.

Plástico Moderno, Spila: equipamento garantiu mais agilidade na produção dos frascos para cosméticos
Spila: equipamento garantiu mais agilidade
na produção dos frascos para cosméticos

Usuários – Responsáveis por empresas que recentemente adquiriram impressoras 3D aprovam o investimento. Uma dessas empresas é a Eletro Zagonel, fabricante de chuveiros, torneiras, luminárias e outros equipamentos elétricos. Roberto Zagonel, presidente, considerou a iniciativa muito positiva. “Consegui reduzir de meses para poucas horas o tempo levado para produzir protótipos funcionais dos produtos”, informa.

Para exemplificar, ele se lembra do lançamento da ducha Master, feito quando a empresa ainda usava prancheta. Foram necessários dois anos para avançar da fase do projeto ao protótipo. Os produtos mais recentes exigiram em torno de dois meses. “Passamos a construir vários protótipos, dando corpo a diferentes ideias de produto e diferentes engenharias. A impressora deu asas aos nossos projetistas, que puderam ser mais criativos.”

Zagonel destaca a economia feita na construção dos moldes. “Os custos de matrizaria de um novo produto podem variar de R$ 400 mil a R$ 1,5 milhão.” Sem a prototipagem 3D, a empresa tinha que recriar as matrizes até chegar ao produto com as características desejadas. “A impressora nos ajuda a consolidar o produto ainda na fase de protótipo, para não errar no chão de fábrica e ter de construir novas e caras matrizes.”

Para ele, outra vantagem está na qualidade do modelo impresso. “Uma das últimas duchas desenvolvidas contou com um protótipo tão perfeito que eu mesmo o testei na minha casa, tomando banho por vários dias em um chuveiro que, na verdade, era um protótipo.”

Plástico Moderno, Equipamento garantiu mais agilidade na produção dos frascos para cosméticos
Equipamento garantiu mais agilidade na produção dos frascos para cosméticos

A Spiltag, com 125 funcionários, tem como ponto forte o desenvolvimento de frascos para cosméticos – entre seus clientes se encontram: Jequiti, Niely, L?Oréal e outras marcas. “Adquirimos uma impressora há seis meses, é algo bem recente”, informa o diretor Luiz Carlos Spila. O modelo escolhido foi simples e de pequeno porte, o investimento necessário foi de R$ 10 mil. “Trabalhamos com frascos pequenos, no máximo de um litro.”

Spila se mostra bem feliz com o equipamento. Antes da compra, quando o cliente queria, ele providenciava um mock-up feito de acrílico. “Demorava de quinze dias a um mês e custava no mínimo R$ 1.000,00. Hoje, faço dez protótipos por semana. Com a mesma quantia dá para fazer de dez a quinze unidades.” Os clientes não precisam mais pedir o modelo. “Sempre fazemos um sem repassar o custo, passou a ser um diferencial de nossa empresa.” A satisfação é tão grande que o diretor pretende em breve adquirir outra impressora.

 

Página anterior 1 2 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios