Feiras e Eventos

NPE – 2012 – Feira recupera prestígio e sinaliza a retomada da Indústria Norte-Americana

Marcelo Furtado
5 de maio de 2012
    -(reset)+

    Outra empresa que mostrava opção de sopro totalmente elétrica foi a italiana Automa, com o modelo AT 480 DE, de sopro-extrusão horizontal, com força de fechamento de dez toneladas, voltado à produção de garrafas de dois litros, podendo chegar até seis litros em moldes de duas cavidades.

    Além das totalmente elétricas, a japonesa Nissei ASB contrastava a tendência com seus modelos híbridos – apesar de há alguns anos a empresa ter lançado um modelo elétrico de injeção stretch-blow molding voltado para produção em salas limpas da indústria farmacêutica.

    Mas na NPE a Nissei preferiu anunciar seus desenvolvimentos em linhas híbridas, com promessa de estarem prontas comercialmente no segundo semestre. O primeiro modelo já tem nome: AS12M e terá bombas hidráulicas por servoacionamento, com foco na produção de jarras com até 83 mm de diâmetro. A migração para as opções híbridas, segundo a empresa, ocorreu em virtude dos muitos problemas técnicos com os servomotores elétricos.

    Causou estranheza na NPE a presença muito institucional das fabricantes de máquinas de sopro de pré-formas de PET por stretch blow-moulding. A francesa Sidel, por exemplo, embora presente com um estande pequeno, recusava-se a relatar qualquer tipo de equipamento ou sistema. A única informação que um técnico da empresa deixou escapar (e mesmo assim sob o pedido de nada ser dito sobre a empresa…) era a de que em dois meses lançarão a máquina SBO mais rápida do mercado. É esperar para crer.

    Por outro lado, a alemã Krones prestava esclarecimentos sobre a última geração da Contiform, a série três, de stretch blow-moulding para PET. Segundo o gerente de marketing, Konie Brenneman, o forno da antiga versão Contiform S/H foi reprojetado para economizar energia, além de aumentar a produtividade e reduzir o consumo de ar. A geração Contiform três foi desenvolvida para atender projetos de oito a 36 estações de moldagem, o que pode atingir recordes de produção de até 81 mil contêineres de PET por hora. Até o meio de 2012, a empresa promete disponibilizar versões para pequenas cavidades e integrar o sistema Krones Contipure para descontaminação de pré-formas.

     

    Confira também:

    Mesmo reduzida, área dos insumos traz boas atrações



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *