Feiras e Eventos

Feiplastic 2015 – Máquinas: Ferramentarias buscam novos nichos enquanto a demanda automotiva avança lentamente

Jose Paulo Sant Anna
19 de junho de 2015
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Porta-moldes e controladores de temperatura compactos, da Polimold

    Porta-moldes e controladores de temperatura compactos, da Polimold

    Outro aspecto positivo se encontra na movimentação da indústria automobilística. “Existem projetos que estão saindo das gavetas”. O dólar alto também representa oportunidade para incrementar as exportações. Ponto para a Polimold, empresa com boa participação no mercado externo. “O aumento das exportações não acontece em curto prazo, para fechar um contrato é necessária muita negociação”, ressalta. O presidente da Polimold acredita ser a Feiplastic bom motivo para que o clima se mantenha nos próximos meses. “O número de visitantes sempre é grande. Mesmo que os clientes não comprem, eles aparecem, conversam, as empresas novas têm oportunidade de conhecer nossos produtos”.

    No evento, a empresa promete mostrar toda sua gama de produtos. No caso de porta-moldes, serão mostradas as vantagens do uso de componentes padrões e divulgado o novo site da empresa, onde o projetista poderá fazer o download de diversos itens, inclusive porta-moldes de duas ou três placas. Outro destaque será um sistema de câmara quente de 128 vias com hot half, com capacidade para injetar até 80 mil peças por hora. Também será mostrado o sistema valvulado Facility, ideal para peças de grande porte que exigem injeção valvulada sequencial, a nova bucha Single valvulada, agora em corpo único, e a linha de controladores de temperatura Mini Smart.

    O pessimismo passa longe da Tecnoserv, fabricante de porta-moldes e outros itens, e representante no Brasil de marcas internacionais de câmaras quentes e outros produtos para ferramentarias. “O ano passado foi melhor do que 2013, que não havia sido ruim. E esse ano está bom, estamos com bastante serviço, nossa linha de produção de porta-moldes está lotada”, informa Wilson Teixeira, diretor técnico.

    Plástico Moderno, Controlador de temperatura com touch screen, da Tecnoserv

    Controlador de temperatura com touch screen, da Tecnoserv

    As variações do câmbio são apontadas como importantes para os resultados positivos. “Importar ficou mais difícil”. Para exemplificar, o dirigente dá como exemplo sua própria empresa. A Tecnoserv comercializa no Brasil as câmaras quentes da neozelandesa Mastip. Antes a empresa trazia o produto completo. “Com o dólar alto decidimos passar a fabricar alguns manifolds por aqui”.

    Teixeira não se mostra muito entusiasmado com o incremento nas vendas proporcionado pela Feiplastic. “Participamos para manter nosso nome no mercado. Acho nossa presença positiva, mas nada de espetacular”, resume. Toda linha será divulgada aos visitantes. Entre as novidades, novo modelo de controlador de temperatura, com função de sincronia no aquecimento e desaquecimento, tela touch screen e outros aperfeiçoamentos. O controlador é fabricado no exterior por uma empresa cujo nome é mantido em sigilo. Outras novidades, como chaves de fim de curso e câmaras quentes com bicos dotados de roscas também serão expostas.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *