FEIPLAR/FEIPUR 2010 – Lançamentos se apoiam em práticas sustentáveis

Sistemas de espumas – A Arinos, divisão poliuretanos, destacou vários desenvolvimentos realizados em prol da área de sistemas de espumas de PU para atender os mercados de colchões, estofados, travesseiros, entre outras aplicações de espumas, com características diferenciadas. Tais desenvolvimentos abrangem espumas viscoelásticas, com densidades entre 40 kg/m³ e 80 kg/m³, para aplicações em colchões e travesseiros; espumas de alta resiliência, com densidades entre 30 kg/m³ e 60 kg/m³, para aplicações também em colchões, móveis para exportação, assentos e encostos automotivos e moveleiros, apoios para cabeça, bancos de motos etc.; espumas supersoft, com densidades entre 20 kg/m³ e 30 kg/m³, para aplicações em travesseiros; e ainda espumas de alto conforto, do tipo látex, com densidades entre 40 kg/m³ e 80 kg/m³, para aplicações em colchões e travesseiros especiais.

Peróxidos Eco Premium – A nova linha de peróxidos orgânicos da AkzoNobel, apresentada na Feiplar, foi concebida para promover a cura de resinas que serão processadas por BMC (Bulk Molding Compounding) e por SMC (Sheet Molding Compounding), utilizadas na fabricação de peças automotivas, antenas parabólicas, peças para aparelhos de micro-ondas, entre outras.

De acordo com técnicos da empresa, essa nova linha está em sintonia com os esforços da companhia em desenvolver produtos eco-premium, amigáveis ao meio ambiente, que já representam 20% da receita global da AkzoNobel, devendo corresponder até 2015 à fatia de 30% da receita global, segundo as metas previstas.

Os peróxidos mais destacados dessa linha são o Trigonox 42S, o Trigonox 117 e o Perkadox BTW50. Os dois primeiros não apresentam benzeno em sua formulação e também conferem maior velocidade de cura em processos a quente, enquanto o terceiro é um BPO em pasta, livre de ftalato.

Químicos e soluções – A empresa já tinha tradição no fornecimento de especialidades químicas para a fabricação de termofixos, como polióis, isocianatos, catalisadores, surfactantes, retardantes à chama etc., mas a partir deste ano, a M.Cassab também começou a fornecer sistemas de poliuretano a vários setores industriais.

“As casas de sistemas representam um mercado novo e em ascensão e no qual resolvemos ingressar oferecendo serviços para ajudar os clientes a formular e solucionar problemas”, afirmou Aloísio Sposito, gerente de produto da M.Cassab, divisão química industrial – PU.

Assim, em parceria com a Basf, Evonik, Invista, Lanxess, entre outras globais, a empresa passou a desenvolver em sua unidade de Osasco-SP dezenas de formulações para atender a diferentes mercados. A quantidade de soluções já testadas é grande e abrange peças para o setor automotivo, construção civil, indústria eletroeletrônica, entre outras.

Novidades em gelcoats – Resinas ecológicas, nova tecnologia em gelcoats premium e adesivos estruturais também foram incorporados à oferta da Ashland. A empresa, considerada uma das maiores fabricantes mundiais de resinas termofixas, participou da Feiplar destacando ao público resinas baseadas em fontes renováveis. Comercialmente batizada Envirez, essa família já está disponível nos Estados Unidos desde 2002, e chega, agora, ao Brasil, encontrando-se em fase final de testes.

“O setor automotivo desponta como potencial primeiro usuário em larga escala dessa família de resinas, principalmente as montadoras de veículos agrícolas”, considerou Andrew Beer, diretor da Ashland Performance Materials para a América do Sul.

Inovação igualmente interessante destacada pela empresa na feira foram os gelcoats premium da família Maxguard LE (low emission) que, tanto na Europa como nos Estados Unidos, tornaram-se referência no setor náutico, por garantir a repetibilidade das cores e a baixa emissão de estireno, avaliada como 50% menor quando comparada com as emissões de compostos orgânicos voláteis (voc) de produtos convencionais, além de apresentarem elevados índices de resistência às intempéries, alta proteção contra radiações ultravioleta e água salgada, hidrólise, corrosão e abrasão.

Os gelcoats da Ashland são constituídos por uma fina camada de resina de poliéster especialmente pigmentada que, aplicados em processos de fabricação por hand lay-up e spray-up, proporcionam superfície incomparável e resistente às intempéries.

No mercado brasileiro, os novos gelcoats premium estarão sob os encargos da pigmentação das empresas Redelease e Mastergel Compósitos, duas das distribuidoras da Ashland no país. Tal pigmentação será realizada por meio da tecnologia Instint Color Service. Trata-se de um pacote desenvolvido pela Ashland e formado por itens como gelcoat em base isoftálica com NPG, de alto desempenho, pigmentos especiais, equipamentos para a distribuição das cores, software de gerenciamento das cores, sistema de identificação de tonalidades e suporte técnico.

Além desses dois novos produtos, a empresa também inclui no portfólio para o mercado brasileiro os adesivos estruturais da família Pliogrip. Concebidos para a colagem de peças em compósitos em diversos substratos, serão comercializados pela Barracuda, distribuidora exclusiva da Ashland, que atua para o mercado náutico.

Pertencente ao grupo norte-americano Ashland Inc., a Ashland Performance Materials tem posição destacada entre os principais fabricantes de resinas de poliéster e éster-vinílicas. No Brasil, a empresa firmou joint-venture em 1999 com a Ara Química, fabricante de resinas de poliéster sediada em Araçariguama-SP. Tal parceria resultou na criação da Ara Ashland e ensejou o fornecimento de produtos especiais para o mercado local, como as resinas éster-vinílicas Derakane e Hetron, aplicadas mundialmente contra a corrosão. Em abril deste ano, ao adquirir a outra metade do controle da Ara Ashland, passou a denominar-se Ashland.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios