Armazenamento e Transporte

Fase de média densidade reduz custos – Manuseio de Materiais

Antonio Carlos Santomauro
12 de junho de 2018
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Transporte, alimentação e dosagem de materiais convergem ao processo

    Transporte, alimentação e dosagem de materiais convergem ao processo

    A tecnologia de transporte de matérias-primas designada pela sigla MDP (Fase de Média Densidade, em inglês) é uma das mais novas apostas da Dynamic Air, fabricante de sistemas pneumáticos para movimentação de sólidos que já disponibilizava sistemas de Fase Densa, próprios para a movimentação de matérias-primas plásticas em maiores quantidades, ou em distâncias mais longas (além de algumas resinas específicas, como o PVC). “A tecnologia MDP combina vantagens dos sistemas de alta e baixa densidade”, afirma Horacio Paez, cofundador e sócio da Dynamic Air.

    Os sistemas de baixa densidade hoje predominam quantitativamente no transporte de resinas e demais matérias-primas, mas eles não são os mais adequados no caso de materiais já misturados, ou que precisam percorrer grandes distâncias, pois demandam grandes quantidades de ar para movimentar quantidades menores de materiais, havendo então maiores possibilidades de problemas como aquecimento ou formação de fios pelo atrito com as paredes dos dutos.

    Por sua vez, os sistemas do gênero Fase Densa minimizam esses problemas, prestando-se melhor ao transporte de materiais que seguem para as máquinas previamente dosados e homogeneizados, evitando a degradação das formulações, e também para distâncias maiores, porque neles a velocidade de transporte é mais baixa (em média, um metro por segundo, enquanto na baixa densidade pode-se chegar a 25 m/s). “Nesse processo a velocidade é inimiga da qualidade, pois sujeita as matérias-primas a condições muito agressivas”, ressalta Paez.

    A tecnologia MDP, com um custo de aquisição entre 10% e 15% superior, apresenta diferenciais bastante favoráveis em relação à de baixa densidade, reduzindo significativamente os problemas de qualidade dos produtos decorrente do atrito com as paredes, e as possibilidades de entupimento. “Enquanto os sistemas de baixa densidade geralmente são mais adequados para receberem os materiais de alturas menores – até mais ou menos 0,5 metro –, com a tecnologia MDP pode-se receber o material de alturas de até 1,5 metro”, diz Paez. “Essa tecnologia também é muito indicada para os materiais micronizados aplicados em processos de rotomoldagem”, acrescenta.

    O mercado da rotomoldagem, aliás, recebe atenção crescente da Dynamic Air, que está agora consolidando uma parceria com a empresa Hosokawa Alpine para lançar no Brasil uma operação que fornecerá o serviço de micronização e transporte das resinas às empresas que deles se utilizam. “Essa parceria já está em operação para quantidades menores e até o final do ano estará plenamente capacitada para trabalhar também com quantidades maiores”, afirma Paez, que prevê para este ano, relativamente a 2017, um incremento entre 5% e 6% nos negócios.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *