Máquinas e Equipamentos

Extrusoras – As novas gerações de máquinas facilitam os processos de manutenção preventiva

Simone Ferro
29 de novembro de 2008
    -(reset)+

    A empresa vai marcar presença na Brasilplast 2009, de 4 a 8 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. “Entraremos forte com alta tecnologia agregada para a obtenção de filmes técnicos.” A HGR exporta 25% da produção para o Peru, Colômbia, Chile, Venezuela, Bolívia, Equador, Portugal e Itália.

    Mercado – As vendas da Rulli também avançaram 30% em relação a 2007. Mas a crise mundial e os sucessivos aumentos das resinas plásticas já começam a frear o crescimento. “Antes de conseguir repassar os aumentos, o transformador trabalha dois ou três meses com os preços defasados. Este ano, enfrenta ainda a falta de crédito. A última coisa que ele pensa em fazer é comprar novas máquinas quando, na verdade, está tentando sobreviver”, lamenta Brito.

    Plástico Moderno, Marco Antonio Gianesi, diretor da By Engenharia, Extrusoras - As novas gerações de máquinas facilitam os processos de manutenção preventiva

    Gianesi comemora o melhor ano de vendas da história da empresa

     

    Na área de flexíveis, as co-extrusoras representam 15% das vendas da Rulli. Nos rígidos, a co-extrusão participa com 60%. “Esse mercado cresceu muito nos últimos dois anos”, ressalta o gerente técnico. As exportações contribuem com 20% do faturamento, e seguem para 28 países. “As vendas externas já representaram 50%.”

    A Rulli fabrica mono e co-extrusoras até 7 camadas para filmes e 4 camadas para chapas. Na Brasilplast 2009, promete novidades, com destaque para os anéis de resfriamento. “Estamos avaliando o que será apresentado na feira.”

    A linha de monoextrusoras garante diversas capacidades de plastificação, conforme o material. No polietileno de baixa densidade (PEBD), varia de 220 kg/h a 700 kg/h, para filmes com largura desde 1.800 mm até 4.000 mm, e rosca de 63,5 mm a 130 mm. Nas co-extrusoras para cinco camadas, a capacidade de plastificação atinge 450 kg/h e produz filmes com até 1.800 mm de largura.

    A By Engenharia vai marcar presença na Brasilplast com equipamentos e acessórios de diversas representadas. Um dos destaques, segundo Gianesi, será uma extrusora dupla-rosca co-rotante da Maris, versão 41 ou 70 mm, entre outras novidades. Recentemente, a empresa lançou uma extrusora de laboratório de 20 mm com LD 48 com 1.500 r.p.m. de velocidade. “2008 está sendo o melhor ano em vendas desde a fundação da empresa”, comemora Gianesi. Ele afirma, no entanto, que a crise financeira mundial alterou o cenário. “Estamos sofrendo algumas pressões para postergar a entrega de equipamentos por causa da valorização do dólar.”

    Plástico Moderno, Extrusoras - As novas gerações de máquinas facilitam os processos de manutenção preventiva

    Diretores da Minematsu lastimam provável retração do mercado

    Fundada em 1988, a Minematsu fabrica extrusoras para filmes com larguras a partir de 1,20 m até 2,10 m. A linha foi ampliada recentemente com três modelos novos. As capacidades de produção vão de 90 kg/h a 280 kg/h no processamento de polietileno de alta densidade.

    De acordo com o diretor-administrativo, Ricardo Minematsu, o aumento do consumo de plásticos e a ampliação da linha de produtos da empresa garantiram novo fôlego aos negócios. “Vamos ultrapassar as metas traçadas para este ano, cujas vendas devem ficar 20% acima do volume registrado em 2007”, afirma.

    Os pedidos em carteira garantem produção até o primeiro trimestre de 2009. “O setor já está sentindo e sendo afetado pela turbulência mundial.” Os diretores da Minematsu lamentam a provável retração diante da necessidade de atualização da indústria nacional. “Realmente há muitas máquinas que precisam ser atualizadas ou substituídas por extrusoras mais produtivas, muitas vezes gerando, com mesmo custo de mão-de-obra e energia, um aumento significativo na produção”, diz Ricardo.

    Plástico Moderno, Bruno M. Sommer, gerente de extrusão da Krauss Maffei do Brasil, Extrusoras - As novas gerações de máquinas facilitam os processos de manutenção preventiva

    Sommer: obra de saneamento deram novo fôlego aos negócios

     

    Tubos – A retomada dos investimentos em saneamento básico e construção civil impulsionaram os negócios no ramo de tubos e conexões e, conseqüentemente, trouxeram novo fôlego para os fabricantes de máquinas. “Com certeza, as obras de saneamento estão impactando também a venda de extrusoras, uma vez que o os fabricantes de tubos estão com a demanda bastante aquecida e buscando aumentar sua capacidade de produção”, afirma Sommer.

    A oferta de novas resinas também ajudou a ampliar o leque de oportunidades e a diversificar as aplicações. Enquanto o PVC se mantém entre os materiais mais utilizados, o mercado acompanha o avanço do polietileno (PE), principalmente na produção de tubos para redes de distribuição de gás e água e de cabos elétricos e de telefonia.

    Segundo a Associação Brasileira de Tubos Poliolefínicos e Sistemas (Abpe), a demanda de PE para o mercado de tubos 

    e conexões deve crescer 15% em relação a 2007, e alcançar 27 mil t. A entidade vislumbra novas oportunidades na indústria sucroalcooleira, com o uso de tubos de diversos diâmetros; e em redes de distribuição de água e sistemas coletores de esgoto em tubulações até 200 mm.

    O mercado brasileiro segue tendência mundial, conforme especialistas do setor. Em diversos países, a totalidade das novas redes de distribuição de gás emprega a resina. No Brasil, a demanda de extrusoras aumentou especialmente entre os clientes que visam a exportar parte da produção.



    Recomendamos também:








    3 Comentários


    1. jose mario ferreira

      Boa noite a todos que trabalham com plásticos o assunto abordado é muito bom trabalho com maquinas de corte solda e extrusoras a 31 anos tenho acompanha a tecnologia que vem avançando a cada ano.
      extrusoras carnevale/ Rulli Standard hoje trabalho so com extrusora da windm0ller e impressoras roto com manutenção preventiva adequada para as extrusora evitando parada desnescessaria


    2. João santos

      Boa,noite pessoal do plastico.com.br,adorei muito a matéria sobre etrusoras
      se tivesse mais tempo seria capaz de ficar aqui muitas horas apreciando,o
      conteudo da matéria,vcs estão de parabéns.
      Agora,a respeito de manutenção em maquinas extrusoras e também
      maquina de corte e solda do plastico,gostaria se possivel,que vcs me indicasem
      algumas intituições que formam profissionais neste tipo de maquinas.
      Um abraço.



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *