Máquinas e Equipamentos

Extrusão – Produção local escassa e com pouca variação favorece a entrada de novas empresas no setor

Renata Pachione
22 de outubro de 2009
    -(reset)+

    Na Miotto, puxador é um dos produtos mais vendidos recursos, maior durabilidade e aumento da economia de energia,

    Plástico, Extrusão - Produção local escassa e com pouca variação favorece a entrada de novas empresas no setor

    Na Miotto, puxador é um dos produtos mais vendidos

    também ficou mais barato. A Mecanoplast, que planeja construir um novo espaço fabril, em parceria com uma empresa nacional, também produz sistemas de transporte e dosagem para sólidos.

    Com a pretensão de ser reconhecida como uma empresa de soluções, a Brastec Technologies aposta nos periféricos como equipamentos capazes de, muitas vezes, ser responsáveis pela melhoria do desempenho da sua linha. No segmento de extrusão, a companhia conta com a parceria da suíça Maillefer.

    Na Brastec Technologies, a maior aceitação também recai sobre as linhas completas para o segmento de fios e cabos, tubos e perfis. O carro-chefe da companhia são as extrusoras monorrosca, dotadas de controle automático de temperatura, conforme o perfil térmico do material processado. O sucesso desse tipo de máquina, Helena Pedrosa, do marketing de relacionamento com o mercado da Brastec, atribui ao baixo consumo de energia, hoje uma das principais exigências dos transformadores.

    Potencial no balão– Na extrusão de filme balão, os equipamentos diferem dos da extrusão de perfis, tubos e chapas. Em geral, fala-se de: alimentador; dosador gravimétrico; tratador do tipo corona; sistema de resfriamento (chillers e trocadores de calor); anel de ar automático, localizado logo depois do cabeçote; controle automático de espessura por resistência na matriz; e medidor de espessura e de largura. Entre esses equipamentos, o mais comum é o tratador do tipo corona. No caso desse último, aliás, praticamente todas as máquinas o adotam. “Esse é o número um entre os periféricos

    Plástico, Extrusão - Produção local escassa e com pouca variação favorece a entrada de novas empresas no setor

    Equipamento controla o peso por metro de material extrudado

    para balão, pois está em 99% das linhas”, comenta Carnevalli Filho. Não há discussão quanto à importância desses periféricos numa linha. Não faz sentido, por exemplo, processar um filme em uma coextrusora sem o dosador gravimétrico. “Você perde todo o controle da máquina”, explica Carnevalli Filho. A coex, por ter alto valor agregado, é o tipo de máquina que mais tem adotado esses equipamentos.

    O dosador gravimétrico garante o controle para a linha e o peso por metro linear, além do fato de, se for utilizado mais de um material, possibilitar uma mistura homogênea. Os sistemas de refrigeração podem elevar em até 20% a produção em uma extrusora do tipo balão. Outro benefício se refere ao brilho, pois o trocador de calor e o chiller injetam qualidade óptica ao filme. O medidor e o controlador de espessura asseguram variação entre 2,5% e 3,5%, além de maior produção, porque estabilizam mais o balão, melhorando a planicidade do filme consideravelmente, o que eleva sua velocidade de processamento.

    O Multipoint é a marca comercial do sistema de medição e controle automático de espessura da Carnevalli. Formado por um scanner de medição capacitivo que gira ao redor do balão, tomando medições contínuas das espessuras, e por um PC industrial para análise dos sinais enviados pelo scanner e cálculo das mensagens de correção que atuam diretamente na matriz ativa, o sistema é considerado um dos grandes expoentes do que existe de moderno entre os periféricos para a extrusão do tipo balão. O duplo anel de ar com o controle automático de espessura aumenta a produção em até 50%. No entanto, de origem alemã, tem um preço alto. Numa linha média, chega a representar até 35% do valor total, em uma linha grande, 20%. Na Europa, o sistema é adotado em praticamente todas as linhas de extrusão. No Brasil, apesar do custo, as taxas de financiamento têm ajudado a Carnevalli a estimular o consumo de periféricos desse tipo e a emplacar a venda de todo o conjunto. O cliente pode comprar o equipamento com o próprio fabricante da máquina, em um único financiamento.

    Os produtos mais sofisticados estão em alta. Muitas novidades apresentadas neste ano na maior vitrine do setor na América do Sul, a Brasilplast, voltaram-se para esse tipo de periférico para a extrusão. A proposta de injetar produtividade e reduzir os custos de produção foi levada a sério. Esse foi o caso da HGR, fabricante que adotou em sua tradicional linha Nitrus um anel de resfriamento que prometia melhoria da estabilidade do balão e mínima variação de espessura do filme. Com um único mecanismo de ajuste do ar, mantém-se o fluxo constante suplementar focado na estabilidade do balão, o que aumenta a refrigeração e, segundo seu diretor-comercial, Ricardo Rodrigues, possibilita elevar a produção entre 15% e 30%. A Rulli Standard, uma das mais tradicionais do setor, também apostou nos periféricos, como diferencial, com o sistema Fast Gap, de ajuste rápido de abertura do lábio do flat die. O equipamento auxilia o operador na troca de espessura de bobina de forma bastante ágil, com economia de tempo de cerca de 40 minutos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *