Expansão do Plástico no Sul eleva a Oferta de Mão-de-Obra: Revista Plástico Moderno

A Fitesa com sede em Gravataí, região metropolitana de Porto Alegre, decidiu acelerar sua expansão do plástico no sul em mais 15 mil toneladas.

Após inaugurar uma nova linha de produção capaz de processar 60 mil toneladas por ano de não-tecidos de polipropileno a empresa anunciou, em maio, que poderá optar pelo investimento no novo ativo em outro Estado.

São Paulo, Pernambuco e Santa Catarina estão na mira da Fitesa por conta dos incentivos fiscais oferecidos.

A empresa já havia inaugurado uma fábrica em Horizonte, Ceará, há doze anos.

Mais uma vez a tecnologia escolhida para a montagem da nova fábrica é a máquina Reicofil 4, produzida na Alemanha pela Reifenhäuser.

Silverio Baranzano, diretor-geral da Fitesa assinala que o investimento de US$ 45 milhões reforça o compromisso da empresa em aprimorar o atendimento aos seus clientes, reafirmando a capacidade competitiva do grupo.

A Fitesa produz não-tecidos e fibras de polipropileno destinados, principalmente, à fabricação de descartáveis higiênicos, como fraldas descartáveis e lenços umedecidos; bens duráveis, como móveis e colchões; e descartáveis médicos, como campos cirúrgicos, roupas, toucas e máscaras médicas, entre outros.

A Petropar também possui negócios nos ramos de embalagens e florestamento.

A empresa tem capital 100% nacional e iniciou suas atividades em 1973, em Eldorado do Sul.

Em 1989, ingressou no mercado de não-tecidos, instalando-se no distrito industrial de Gravataí-RS.

A Fitesa se apresenta como única empresa na América Latina que oferece três tecnologias de fabricação de não-tecidos – spunbonded, thermobonded e meltblown –, e diversas combinações possíveis.

“Associando tradição e inovação, a Fitesa oferece soluções em não tecidos que melhoram a qualidade de vida das pessoas. Por isso, investe fortemente em iniciativas pioneiras, voltadas para o atendimento das exigências de um mercado cada vez mais competitivo. Entre essas, destacam-se a compra de duas novas linhas de produção nos últimos três anos, investimentos em logística, que aumentam a precisão na entrega, revisão do processo de desenvolvimento de produtos, e adoção do mesmo método utilizado na indústria automobilística”, diz o diretor-geral.

Segundo informações da ABINT (Associação Brasileira da Indústria de Não-tecidos e Tecidos Técnicos), o setor movimenta mais de um bilhão de dólares anuais e vem expandindo continuamente a uma taxa de 10% ao ano.

A nova máquina será incorporada aos ativos da companhia como forma de conquistar e atender clientes nos mercados brasileiro e internacional.

Outro grupo gaúcho que começa a alçar vôos mais ousados é a FFS, empresa especializada na co-extrusão de filmes para sacaria destinada ao abastecimento da segunda geração petroquímica.

Com investimento estimado em US$ 4,2 milhões, a FFS se prepara para produzir no Chile uma nova grade de produtos destinados aos mercados daquele país e dos Estados Unidos.

A unidade chilena deverá entrar em operação em 2009. Por enquanto, o tipo de material é mantido em sigilo, mas significará uma diversificação do que já é produzido no Rio Grande do Sul.

A FFS já exporta para o Chile e mantém lá uma área de distribuição.

No entanto, um estudo de logística mostrou que ficaria mais interessante para a corporação montar a fábrica na casa do cliente. A área destinada à planta conta com 3.000 m2 quadrados.

Na primeira fase será erguida uma planta de 1.680 m2 para uma produção anual de 4 mil toneladas.

No Brasil, a FFS processa 6 mil toneladas por ano de embalagens flexíveis para resinas termoplásticas. Segundo informou um dos sócios-diretores da empresa, Alfredo Schmidt, a decisão pelo investimento no Chile decorre do alto nível de consolidação da economia daquele país, o qual mantém acordos bilaterais com as principais áreas geográficas de acesso ao mercado global.

Leia Mais sobre expansão do plástico no sul

Envase e impressão ganham novas opções

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios