Notícias

Evento debate práticas sustentáveis

Jose Paulo Sant Anna
9 de janeiro de 2011
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Cláudio Marcondes, Consultor, Evento debate práticas sustentáveis

    Marcondes: nanotecnologia pode contribuir com preservação ambiental

    A Vitopel, nascida em 1988 na Argentina e hoje com duas fábricas no Brasil, é a quinta maior produtora mundial de BOPP. O tema de sua participação no encontro foi o Vitopaper, papel sintético lançado pela empresa feito com plásticos reciclados. De acordo com o gerente comercial Christian de Almeida, o produto, lançado recentemente, surge como oportunidade de aproveitamento de materiais plásticos como copos e pratos descartáveis, rótulos e tampas de garrafas de bebidas, embalagens de chocolates, biscoitos e salgadinhos. No processo não são utilizadas garrafas PET. A cada tonelada produzida, são usados 850 kg de resíduos plásticos. Para alimentar a linha industrial, a empresa firmou parcerias com catadores, cooperativas de catadores e com o serviço de coleta de lixo do município de Votorantim-SP, onde a planta está instalada. A ideia é ampliar esse universo com a adoção de ações de logística reversa, nome dado à captação de materiais recicláveis antes de eles serem enviados aos aterros sanitários.

    O Vitopaper apresenta uma série de vantagens em relação ao papel convencional. É mais resistente, impermeável, mais leve em relação aos papéis com qualidade similar e economiza tinta na hora da impressão. Permite a escrita convencional com caneta esferográfica e lápis. Os textos a lápis podem ser apagados com borrachas comuns. Por suas características, pode ser utilizado, por exemplo, na confecção de livros escolares e materiais didáticos, cardápios de restaurantes, mapas, outdoors, banners e outras aplicações.

    Plástico Moderno, Kai Wender, Diretor-geral, Evento debate práticas sustentáveis

    Wender aposta na injetora elétrica como recurso para economizar energia

    O consultor Cláudio Marcondes fez palestra sobre tema bastante momentâneo, a nanotecnologia. De que forma compósitos enriquecidos com cargas nanoparticuladas podem colaborar com a natureza? “Ao adicionar propriedades aos materiais, diversos benefícios são conseguidos”, revelou. Um plástico com maior resistência mecânica, por exemplo, permite a confecção de peças com paredes mais finas, economizando matéria-prima. Embalagens feitas com materiais enriquecidos com nano cargas antimicrobiais aumentam a durabilidade dos alimentos. Outras aplicações podem ser citadas. Um problema: o manuseio de nanopartículas requer especialização, sob o risco de causar problemas à saúde dos operadores.

    A indústria de máquinas de transformação foi representada no evento pela fabricante de injetoras alemã Arburg. Kai Wender, diretor-geral do escritório da empresa no Brasil, falou sobre a economia de energia proporcionada pelos modelos elétricos. Ele explicou que os modelos de injetoras hidráulicas existentes no mercado apresentam rendimento, conforme sua configuração, entre 25% e 70%. As máquinas elétricas, por sua vez, em média, apresentam rendimento de 75%, bastante superior. Somente em alguns casos e em algumas aplicações, modelos de equipamentos hidráulicos competem próximos dos elétricos. O executivo também ressaltou a importância de outros cuidados voltados para a conservação de energia. “A geometria da rosca pode aumentar em até 25% a eficiência da plastificação da matéria-prima”, exemplificou.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *