Plástico

Estudo da Euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes

Rose de Moraes
28 de setembro de 2012
    -(reset)+

    Plástico, Ivanio Cardoso Pickler, diretor, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes

    Ivanio Cardoso Pickler: entrega ferramenta de extrusão em até 45 dias

    Com produção tomada praticamente por mais oito meses pós-feira, a Jung Industrial foi outra ferramentaria presente na primeira edição da Euromold Brasil. Segundo o diretor Claus Sachs, a empresa tem se dedicado nos últimos anos à construção de projetos mais audaciosos em produtividade, como moldes com múltiplas cavidades, totalmente automatizados, a exemplo de stack mold para injeção de conexões de PVC, com 64 cavidades, em operação em cliente, e que utiliza robô para a extração dos canais.

    “Trata-se de molde de três toneladas, bem complexo, que conta com manipulador para ganhar tempo de processo, e executado sob encomenda para um grande fabricante local de conexões, apresentando alto nível de sincronicidade de movimentos e com muitos recursos de engenharia, o que nos faz crer que seja o único até agora fabricado no país com esse nível de tecnologia”, considerou Sachs.

    Plástico, Claus Sachs, diretor, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes

    Claus Sachs: concentra negócios em projetos mais complexos

    Sob vários aspectos, os stacks molds oferecem vantagens, pois possibilitam dobrar a produção a custos bem menores, constituindo alternativa adotada por muitos fabricantes que querem expandir a produção sem onerá-la com custos adicionais relativos à compra de novas máquinas e equipamentos (ver matéria em PM nº 453, de julho de 2012, pág.38).

    “Produzimos stack molds desde os anos 90 para grades de ventiladores, assentos sanitários, tampas, conexões, seringas, eletrodomésticos etc., e outras especialidades,

    como moldes de injeção família, moldes para registro de esfera para uso em piscinas, agricultura, para capacetes de motocicletas etc., e estamos nos propondo a desenvolver moldes de alto valor agregado e com alto nível de automação para produções elevadas. Para isso, temos investido fortemente em novas ferramentas de usinagem e processos, com vistas a proporcionar uma substancial redução nos tempos de produção, como construir moldes complexos para injeção de conexões em 30 dias, o que nos posiciona em novo patamar para poder atender aos pedidos dos clientes com maior agilidade”, resumiu o diretor da Jung.

    Novidades em câmaras quentes – Outra empresa renomada presente na exposição dedicada aos moldes foi a Polimold. Seu diretor-presidente, Alexandre Fix, não escondeu satisfação ao levar para a exposição a última novidade produzida pela empresa. Reconhecida nacional e internacionalmente na produção de câmaras quentes diversas, a empresa lançou no evento um minicontrolador de temperatura, mais compacto e eficiente em comparação com os modelos convencionais.

    Isso porque, segundo André Alexandre Barrant, especialista da empresa em câmaras quentes, o novo equipamento traz

    Plástico, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes

    Compacto, novo minicontrolador de temperatura oferece maior eficiência

    todos os comandos – potência, setpoint, stand-by, boost, temperatura etc. – dispostos no painel frontal, permitindo selecionar o tipo de termopar (J ou K) a ser utilizado, e também agrega amperímetro para medições da corrente elétrica.

    Além do novo minicontrolador, os visitantes também puderam apreciar no estande câmara quente valvulada e sequencial, da marca Facility, construída em bloco único, com dez vias de saída e todos os comandos elétricos e pneumáticos interligados por meio de canaletas, sistema muito utilizado para injetar autopeças e componentes para eletrodomésticos da linha branca, por facilitar a integração da câmara quente ao molde, e agilizar manutenções.

    A sul-coreana Yudo aproveitou para, concomitantemente à feira, inaugurar, em Joinville, a primeira fábrica do grupo na América do Sul, com a perspectiva de alcançar maior participação no mercado interno até em decorrência da instalação de novas montadoras asiáticas no país, além de atender com produção local empresas como Samsung, Panasonic, Sony, Philips, montadoras de sistemas do setor automotivo, entre outras, que já se encontram em sua carteira de clientes.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *