Estudo da Euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes

Em sua estreia como anfitrião, o país mostrou competências e potencialidades para o mercado de construção de moldes na 1ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos, promovida em paralelo à Interplast 2012, pela Messe Brasil, em conjunto com a Demat, a organizadora alemã de feiras mundiais para esse setor, e que realiza há mais de duas décadas eventos nessa área tecnológica de ponta, na Europa, Japão, China, Índia, Estados Unidos, Rússia e África do Sul.

As oportunidades de negócios abertas no mercado brasileiro nesses setores, principalmente em decorrência da vinda de novas montadoras, transformaram a edição brasileira da tradicional feira de moldes de Frankfurt num evento único, trazendo ao Brasil vários investidores, bem como o CEO da Demat, o engenheiro Eberhard Döring, que se congratulou com os expositores e organizadores brasileiros na cerimônia inaugural do evento, realizada no dia 20 de agosto em pavilhão anexo à Expoville, em Joinville-SC.

Novos recursos para design, simulação, prototipagem, câmaras quentes, materiais etc. foram os principais alvos da exposição, também prestigiada por diversas ferramentarias brasileiras, como a tradicional Belga Matrizes, de Caxias do Sul-RS. Com 33 anos de atuação na construção de moldes, a empresa participou pela primeira vez da Interplast, estimulada pela realização da Euromold Brasil. Referência no setor de ferramentais, a Belga levou para a exposição moldes de grande porte, com até 40 toneladas, tendo se especializado em fornecimentos para o setor automotivo – painéis de instrumentos, para-choques, faróis etc. – e para a linha branca – refrigeradores, lavadoras e uma série de outros eletrodomésticos.

Plástico, Rafael Lorandi, gerente comercial da Belga, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Rafael Lorandi: colocou em seu estande moldes especiais

Rafael Lorandi, gerente comercial da Belga, selecionou para expor alguns moldes especiais, entre os quais um de 30 toneladas para a fabricação do painel de instrumentos, moldado com termoplástico, do novo Honda Civic, versão “New Civic” 2013. O outro, para termofixo, projetado para SMC (Sheet Molding Compound), trata-se da grade frontal do caminhão Ford/Cargo, que também conta com apliques laterais executados por moldes para injeção de polipropileno.
Além desses dois moldes complexos, um terceiro, confeccionado para encapsulação de vidro pelo processo RIM (Reaction Injection Molding)

de PU, ilustra mais uma das áreas tecnológicas dominadas pela empresa há décadas, incluindo a fabricação de moldes para termoplásticos (injeção convencional, bicolor, tricolor, multicomponente, sobreinjeção com diferentes moldes, stack molds etc.) e para termofixos pelos processos já mencionados e ainda BMC (Bulk Molding Compound).

Um dos pontos fortes da Belga é construir moldes de grande porte, como o que está sendo produzido no momento, com 35 toneladas, para um novo veículo a ser lançado, mas ainda sob sigilo, entre os mais de cem moldes executados ao ano pela empresa, que vem investindo em novos aprimoramentos e expansões em seu parque fabril.

Isso porque, espera Lorandi, a experiência de longa data adquirida nos fornecimentos às montadoras americanas e europeias, há muitos anos instaladas no Brasil, deverá contar pontos a favor para que a Belga possa também trabalhar em parceria com as montadoras asiáticas que estão escolhendo o país para se instalar.

“Capacidade nós temos e, com o aumento das alíquotas dos impostos de importação, vejo boas perspectivas de trabalho nas montadoras asiáticas que estão vindo se instalar e, por outro lado, as montadoras já consolidadas no mercado brasileiro também passaram a exigir qualidade maior de seus fornecedores e aços especificados, o que está nos levando a concorrer dentro de bases mais justas, pois, dessa forma, os preços dos moldes chineses estão se aproximando dos preços dos moldes confeccionados com o custo Brasil”, considerou Lorandi.

Especializada, há treze anos, em moldes para sopro, a Tecnomoldes, de Herval D’Oeste-SC, também participou do evento, destacando sua ampla linha de moldes para sopro de PET e para sopro convencional, direcionados aos segmentos de água mineral, sucos, refrigerantes, cosméticos, produtos de limpeza, medicamentos etc.

Já tendo executado mais de 3 mil moldes, a empresa se especializou em moldes para sopro de PET que comportam os mais variados volumes, como 5 mil ml, com duas cavidades; 5 mil ml com duas cavidades e fundo articulado; 500 ml,

com três cavidades; e ainda, para sopro de PET, moldes lineares até 12 cavidades e até 18 cavidades; entre vários outros.

Também a Pickler marcou presença na Euromold. Há treze anos no setor, a empresa de Joinville enfatizou projetos de moldes para extrusão de perfis, e também moldes fabricados para os setores da construção civil, linha branca, automotivo etc.

“Estamos desenvolvendo ferramentais para extrusão em até 45 dias e temos nos especializado em moldes para molduras/perfis para puxadores, para esquadrias, para forros de PVC, sendo esse último o nosso atual carro-chefe de vendas”, informou o diretor Ivanio Cardoso Pickler.

Plástico, Ivanio Cardoso Pickler, diretor, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Ivanio Cardoso Pickler: entrega ferramenta de extrusão em até 45 dias

Com produção tomada praticamente por mais oito meses pós-feira, a Jung Industrial foi outra ferramentaria presente na primeira edição da Euromold Brasil. Segundo o diretor Claus Sachs, a empresa tem se dedicado nos últimos anos à construção de projetos mais audaciosos em produtividade, como moldes com múltiplas cavidades, totalmente automatizados, a exemplo de stack mold para injeção de conexões de PVC, com 64 cavidades, em operação em cliente, e que utiliza robô para a extração dos canais.

“Trata-se de molde de três toneladas, bem complexo, que conta com manipulador para ganhar tempo de processo, e executado sob encomenda para um grande fabricante local de conexões, apresentando alto nível de sincronicidade de movimentos e com muitos recursos de engenharia, o que nos faz crer que seja o único até agora fabricado no país com esse nível de tecnologia”, considerou Sachs.

Plástico, Claus Sachs, diretor, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Claus Sachs: concentra negócios em projetos mais complexos

Sob vários aspectos, os stacks molds oferecem vantagens, pois possibilitam dobrar a produção a custos bem menores, constituindo alternativa adotada por muitos fabricantes que querem expandir a produção sem onerá-la com custos adicionais relativos à compra de novas máquinas e equipamentos (ver matéria em PM nº 453, de julho de 2012, pág.38).

“Produzimos stack molds desde os anos 90 para grades de ventiladores, assentos sanitários, tampas, conexões, seringas, eletrodomésticos etc., e outras especialidades,

como moldes de injeção família, moldes para registro de esfera para uso em piscinas, agricultura, para capacetes de motocicletas etc., e estamos nos propondo a desenvolver moldes de alto valor agregado e com alto nível de automação para produções elevadas. Para isso, temos investido fortemente em novas ferramentas de usinagem e processos, com vistas a proporcionar uma substancial redução nos tempos de produção, como construir moldes complexos para injeção de conexões em 30 dias, o que nos posiciona em novo patamar para poder atender aos pedidos dos clientes com maior agilidade”, resumiu o diretor da Jung.

Novidades em câmaras quentes – Outra empresa renomada presente na exposição dedicada aos moldes foi a Polimold. Seu diretor-presidente, Alexandre Fix, não escondeu satisfação ao levar para a exposição a última novidade produzida pela empresa. Reconhecida nacional e internacionalmente na produção de câmaras quentes diversas, a empresa lançou no evento um minicontrolador de temperatura, mais compacto e eficiente em comparação com os modelos convencionais.

Isso porque, segundo André Alexandre Barrant, especialista da empresa em câmaras quentes, o novo equipamento traz

Plástico, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Compacto, novo minicontrolador de temperatura oferece maior eficiência

todos os comandos – potência, setpoint, stand-by, boost, temperatura etc. – dispostos no painel frontal, permitindo selecionar o tipo de termopar (J ou K) a ser utilizado, e também agrega amperímetro para medições da corrente elétrica.

Além do novo minicontrolador, os visitantes também puderam apreciar no estande câmara quente valvulada e sequencial, da marca Facility, construída em bloco único, com dez vias de saída e todos os comandos elétricos e pneumáticos interligados por meio de canaletas, sistema muito utilizado para injetar autopeças e componentes para eletrodomésticos da linha branca, por facilitar a integração da câmara quente ao molde, e agilizar manutenções.

A sul-coreana Yudo aproveitou para, concomitantemente à feira, inaugurar, em Joinville, a primeira fábrica do grupo na América do Sul, com a perspectiva de alcançar maior participação no mercado interno até em decorrência da instalação de novas montadoras asiáticas no país, além de atender com produção local empresas como Samsung, Panasonic, Sony, Philips, montadoras de sistemas do setor automotivo, entre outras, que já se encontram em sua carteira de clientes.

Dentro do espaço da Euromold Brasil, a empresa expôs sistemas de câmaras quentes para injeção de plásticos utilizados na fabricação de componentes eletrônicos e também na produção de peças de precisão, peças automotivas, embalagens, e divulgou equipamentos produzidos nas áreas de robótica e controladores de temperatura.

Presente em 40 países, a Yudo, cuja matriz fica na Coreia do Sul, possui unidades fabris ainda na China, Índia, Taiwan, Cingapura e Portugal. No mercado brasileiro desde 2000, revelou planos de crescer e expandir suas instalações em terreno de 200 mil m 2 , localizado na região da Estrada da Ilha, em Joinville, onde deverão ser construídas cinco fábricas em condomínio industrial do grupo.

Plástico, Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Com planos de expansão, a Yudo expôs câmaras quentes

Atraída pelas oportunidades abertas pela Euromold Brasil, a TecnoServ, de Diadema-SP, também participou do evento como expositora, prestigiando igualmente pela primeira vez a Interplast. Para o diretor Wilson Teixeira, o momento é muito favorável aos novos negócios que estão sendo implementados pela empresa, principalmente nas áreas de fabricação e de distribuição de acessórios para moldes (porta-moldes, câmaras quentes, placas, partes móveis e fixas, controladores de temperatura, resistências etc.) de marcas próprias e reconhecidas mundialmente, como a Strack (acessórios), da Alemanha, e a Mastip (câmaras quentes), da Nova Zelândia.

Entre as especialidades da Mastip estão as câmaras quentes para stack molds projetados apenas com um sistema de manifold ou com uma solução completa com hot half.

A empresa também oferece soluções em câmaras quentes para aplicações com multimateriais e multicores, abrangendo desde embalagens plásticas de múltiplas cavidades até componentes estruturais e peças de engenharia. “Além de representarmos as marcas internacionais, outro ponto forte de nossa empresa é fabricar, no Brasil, porta-moldes e acessórios, o que nos assegura maior participação em projetos nacionais”, afirmou Teixeira.

A Synventive também levou para a exposição câmaras quentes, importadas da Alemanha, com a inovadora tecnologia plug in play para a produção, por exemplo, de lanternas e faróis de policarbonato. Basta encaixá-las no molde para produzir, podendo-se ainda contar com o recurso de sua adaptação a qualquer tipo de máquina injetora, de acordo com Israel Bernardes, engenheiro de vendas da Synventive.

Outra novidade destacada é o FlowControl, tecnologia de câmara quente patenteada pela Synventive, que promove o

Plástico, Wilson Teixeira, diretor , Estudo da euromold Brasil abre nova vitrine de recursos para o segmento de moldes
Wilson Teixeira: bom momento para vender acessórios de moldes

controle do fluxo da injeção da resina no molde, usual na Europa há pelo menos uma década. “A câmara quente FlowControl controla a pressão de injeção, a velocidade da injeção e até os recalques de forma individual, por bico, e por meio de CLP, oferecendo ganhos de redução e/ou eliminação por completo de aparas e conferindo aos injetados melhor aparência estética”, assinalou Bernardes.

Prototipagem multimaterial – Novos sistemas de prototipagem 3D também foram os destaques da Anacom. Em representação ao fabricante, a israelense Objet, a expositora demonstrou algumas tecnologias de prototipagem rápida pela primeira vez no Brasil, integrada por materiais e máquinas, que proporcionam criar protótipos funcionais, com diferentes propriedades mecânicas quanto à dureza e resistência a altas temperaturas.

De acordo com Carlos Gonzalez, diretor comercial da Anacom, a Objet oferece grande variedade de materiais transparentes, coloridos, opacos, flexíveis, rígidos, resistentes a altas temperaturas, todos em conformidade com os padrões ambientais Reach, com tecnologia de fotopolímeros em base acrílica e fornecidos em cartuchos totalmente selados. Destinam-se à produção de modelos totalmente curados em uma gama ilimitada de geometrias complexas, e que podem ser manuseados logo após a saída das máquinas de processamento, impressão ou prototipagem, simulando o comportamento de vários polímeros.

Um dos destaques exibidos no estande da Anacom foi o painel de automóvel StreetScooter, materializado por meio de impressão 3D com os recursos tecnológicos da Objet. “O projeto StreetScooter é um consórcio de mais de 80 empresas unidas com o objetivo de desenvolver um automóvel elétrico acessível, com ênfase na sustentabilidade. Trabalhando em colaboração com esse grupo de empresas, a Objet produziu protótipos altamente realísticos para o desenvolvimento do estilo e função do automóvel, incluindo o painel com largura de 1,4 m, feito com mais de 20 partes impressas individualmente. As partes importantes do painel foram impressas no ABS-like, Digital Material da Objet, que simula ABS, escolhido pela sua excepcional estabilidade dimensional e por sua dureza”, informou Gonzalez.

A Objet disponibiliza ao mercado 107 materiais com propriedades físicas e mecânicas distintas, para a criação dos mais variados protótipos e máquinas impressoras desktop 3D básicas, máquinas altamente produtivas, como a Objet Eden, ou exclusivas, como a Connex multimaterial.

Representando a Siemens, a Raihsa destacou na exposição o software para modelamento CAD de peças e componentes plásticos e também para a confecção de moldes Solid Edge Synchronous, que dispondo de ferramentas de modelagem e de montagem permitem à engenharia das empresas o desenvolvimento de ampla gama de produtos, desde peças mais simples até montagens mais complexas, contendo milhares de componentes.

[box_light]

Confira também:

Interplast – Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

 

[/box_light]

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios