Equipamentos para a indústria do plástico nos eletrodomésticos – Parte III

Parte III

A indústria de equipamentos para a indústria do plástico também ocupa papel de destaque entre os fornecedores do setor de eletrodomésticos de linha branca. Na fabricação das peças são utilizados os principais meios de transformação – injeção, extrusão, sopro e termoformagem.

Com o aumento do aproveitamento de plásticos de engenharia, o uso de máquinas mais sofisticadas é altamente recomendado, oferece produtividade e economia de energia elétrica. O ambiente econômico, no entanto, não tem colaborado para a venda de tais equipamentos.

O segmento de linha branca, de acordo com dados da Eletros, tem operado nos últimos dois anos com utilização de capacidade instalada entre 76,5% e 78,3% (dados dessazonalizados). A boa notícia é o desempenho crescente nos últimos três meses de 2017. Em outubro, a ocupação foi de 77,5%, número que no mês seguinte subiu para 77,7% e em dezembro atingiu 78,3%.

Os dados não significam necessariamente a recuperação dos índices de investimentos que possam se transformar em aumento significativo da modernização das plantas fabris. De acordo com a associação, no ano passado os investimentos em tecnologia aumentaram em meados de 2017, mas perderam força no final do ano. No mês de julho, 30% das empresas consultadas afirmavam que as condições de investimento haviam melhorado, e 63,3% consideravam a situação estável. Em dezembro, esses números foram, respectivamente, 16,7% e 80%. As expectativas para 2018, para 26,7% dos entrevistados é de cenário melhor, enquanto 70% acreditam em situação estável.

Injetoras nacionais

Entre os fornecedores de equipamentos, os fabricantes de injetoras se encontram entre os mais procurados. Para eles, os negócios com esse nicho de mercado em 2018 apresentarão melhores resultados do que nos últimos anos.

Nada muito entusiasmante. Todos contam com linhas de modelos adequadas para as necessidades desses clientes.

Plástico Moderno, Reis indica a linha EN de injetoras para esse setor
Reis indica a linha EN de injetoras para esse setor

William dos Reis, diretor da unidade de negócios de máquinas para plásticos da Romi, maior fabricante nacional de injetoras, não informa o peso desse nicho no total das vendas da empresa.

Para esses clientes, o diretor recomenda os modelos da linha EN. “Com elas o transformador obtém o máximo em competitividade”, garante.

Entre as características das máquinas se encontra o baixo consumo de energia. “A linha alcança a classificação entre 8+ e 9+ em eficiência energética, segundo a norma Euromap 60.1.

Ela chega a reduzir o consumo em até 65% em relação às injetoras hidráulicas convencionais”.

Reis também destaca a elevada velocidade e simultaneidade nos movimentos. “Chegamos a reduzir o consumo de matéria-prima em 2,5% num case realizado com uma peça de lavadora”, conta.

As unidades EN com 600, 800 e 1100 toneladas de força de fechamento possuem dois sistemas de servobombas, ampliando a simultaneidade de movimentos entre a plastificação e a unidade de fechamento. “Isso reduz o tempo de ciclo em até 25%, além dos ganhos em torque e aumento de velocidade”. Também são disponibilizadas versões para injeção de multicores e multicomponentes.

Plástico Moderno, Reis indica a linha EN de injetoras para esse setor
Reis indica a linha EN de injetoras para esse setor

 

Injetoras importadas

O número de consultas recebidas em janeiro pela Wittmann Battenfeld, multinacional fabricante de injetoras, robôs e equipamentos para automação, anima o engenheiro de vendas Marcos Cardenal. “Depois de um período difícil, a procura tem sido surpreendente”.

Entre os interessados em adquirir injetoras, estão representantes do segmento da linha branca. “Nosso principal mercado é o automotivo, mas o de linha branca também é importante para nós”.

Plástico Moderno, Cardenal: modelos Smart Power oferecem alta precisão
Cardenal: modelos Smart Power oferecem alta precisão

De acordo com Cardenal, nesse ramo de negócios vem ocorrendo algo similar à tendência verificada em todos os segmentos da economia que utilizam peças plásticas.

A preocupação constante é a de produzir peças mais leves. Para exemplificar, aponta uma peça bastante conhecida, as gavetas de geladeiras, que ganham paredes cada vez mais finas. “Isso tem se tornado possível com o surgimento de matérias-primas com características mais sofisticadas”.

Outra preocupação tem sido a de automatizar cada vez mais as linhas de produção. “Esse segmento utiliza muitas peças decoradas.

Aumentou a demanda por células de produção formadas por injetoras, robôs e outros periféricos que permitam a automação do manuseio das peças desde o processo de injeção até o envio das peças para os equipamentos voltados para a impressão”, explica.

Garantia da obtenção de peças de qualidade e economia de energia são outras exigências.

Plástico Moderno, Cardenal: modelos Smart Power oferecem alta precisão
Cardenal: modelos Smart Power oferecem alta precisão

Cardenal indica as linhas SmartPower (com modelos de até 350 toneladas de força de fechamento) e MacroPower (de 350 t a 2000 t) como ideais para atender as necessidades dos fabricantes de peças ligadas ao ramo. “São máquinas com elevada precisão e grande conectividade com robôs e periféricos”, justifica.

Sumitomo Demag

Outra vantagem: “as injetoras têm, em seus modelos standard, um sistema de integração simples para os interessados em adotar os parâmetros da indústria 4.0”.

Plástico Moderno, Rieker recomenda injetoras elétricas, como a Intelect
Rieker recomenda injetoras elétricas, como a Intelect

Outro grupo multinacional de olho nesse segmento é o fabricante de injetoras Sumitomo Demag.

De acordo com Christoph Rieker, gerente geral do escritório brasileiro da empresa, em determinadas aplicações os clientes do setor necessitam de máquinas de elevado desempenho.

São os casos das linhas de máquinas híbridas Systec (de 50 t a 2000 t) e de máquinas elétricas Intelect (de 50 t a 700 t).

Rieker ressalta que, embora ainda pouco procuradas no Brasil, injetoras elétricas são muito indicadas para esse setor.

Entre as vantagens que elas proporcionam, o gerente aponta grande precisão e forte redução do consumo de energia. “A instalação das máquinas elétricas também facilita a vida dos usuários, uma vez que esses equipamentos dispensam o uso do óleo e graxa, presentes nos modelos hidráulicos”.

Plástico Moderno, Rieker recomenda injetoras elétricas, como a Intelect
Rieker recomenda injetoras elétricas, como a Intelect

 

Plástico nos Eletrodomésticos Parte I e II

Eletrodomésticos duráveis obtêm melhor acabamento – Parte I

Plásticos nos Eletrodomésticos – Resinas e Sustentabilidade – Parte II

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios