Embalagens

Embalagem: Injeção desafia termoformagem nas linhas de produtos premium

Jose Paulo Sant Anna
3 de agosto de 2017
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Cardenal: produtividade cresce com os moldes multicavidades

    Cardenal: produtividade cresce com os moldes multicavidades

    “Divisor de águas” – A máquina EcoPower Xpress só chega ao mercado em 2017, mas a Wittman Battenfeld, empresa que a idealizou, mostrou aos clientes uma mostra de sua tecnologia na última edição da K’, feira realizada em outubro do ano passado em Dusseldorf, na Alemanha. “Essa injetora será um divisor de águas nesse mercado”, garante Marcos Cardenal, engenheiro do departamento comercial da empresa no Brasil.

    A série EcoPower Xpress é formada por modelos de 210 até 500 toneladas de força de fechamento. Eles têm acionamento quase totalmente elétrico, com exceção de alguns componentes hidráulicos instalados para melhorar sua velocidade. “Pela legislação europeia, as injetoras com mais de 90% de acionamento elétrico são consideradas elétricas e a máquina se enquadra nessa categoria”, explica.

    De acordo com a empresa, o funcionamento da máquina conta com um conceito totalmente inovador. Um dos diferenciais é a utilização de dois servomotores, o que garante elevada velocidade de injeção e economia de energia. “Ela chega a uma velocidade linear de 800 ml/s”. O segredo não está só na velocidade atingida, e sim no tempo reduzido com o qual ela é atingida. Propriedade similar à dos automóveis de elevado desempenho, que aceleram de 0 a 100 km/h em poucos segundos. “Seu servossistema permite que a alta velocidade seja atingida quase com o mesmo tempo obtido com o uso de acumuladores hidráulicos, isso com grande redução no gasto de energia elétrica”.

    Na K’ foi demonstrado um modelo de 400 toneladas de força de fechamento que produziu tampas feitas de polipropileno no regime in mold label, em um molde convencional de oito cavidades em ciclos de 4,7 segundos. “A máquina trabalha de maneira tão ‘macia’ que nosso representante no estante colocava uma moeda de 1 euro em cima dela enquanto ela estava ligada e a moeda não caía. Estou na profissão há muitos anos e nunca vi nada parecido”, ressalta Cardenal.

    Plástico Moderno, Zavaglia: transformador local prefere as máquinas pequenas

    Zavaglia: transformador local prefere as máquinas pequenas

    O mais elétrico possível e compressão – A mais recente novidade da Netstal para o mercado de embalagens também foi lançada na última edição da K’. São as máquinas híbridas da série Elios, dirigidas ao mercado de equipamentos de maior porte. As máquinas vão de 450 a 750 toneladas de força de fechamento. “A injetora tem total interação entre hidráulica e elétrica. Para cada movimento, cada eixo que se move, foi analisado o melhor tipo de acionamento, o que proporciona desempenho mais rápido e eficiente”, explica Ítalo Zavaglia, gerente da divisão Netstal do escritório brasileiro da Krauss Maffei.

    O executivo explica que, a pedido dos clientes, foi tentado encaixar o máximo possível de componentes elétricos, que permitem economia de energia e proporcionam maior precisão. “A máquina só não é completamente elétrica porque determinados movimentos precisam ter rápida aceleração. Para se chegar a isso seriam necessários componentes elétricos de grande dimensão“. O resultado final foi este: os conjuntos de fechamento e dosagem têm acionamentos elétricos, o travamento e o sistema de injeção se movem por componentes hidráulicos.

    Um exemplo do resultado obtido com o equipamento se deu no estande da empresa na feira alemã. Em uma máquina de 750 toneladas de força de fechamento, foram produzidas, em um stack-mold com 48 cavidades, tampas para embalagens com 80 mm de diâmetro, em ciclos de 3 segundos. Os stack-molds – em português, “moldes empilhados” – em vez de ter uma placa com cavidades, têm duas placas com cavidades, cujos orifícios são montados de forma espelhada. Com eles é possível fabricar o dobro de peças na mesma injetora, em relação ao molde convencional.

    Plástico Moderno, Injetora híbrida Elios exposta na K’ operou com stack molds

    Injetora híbrida Elios exposta na K’ operou com stack molds

    Voltada ao mesmo tipo de aplicação, a Netstal também oferece a linha Elion, para os clientes interessados em modelos menores, até 400 toneladas de força de fechamento. “Por atuar com pressões menores, ela possui sistema de travamento elétrico. No mais, tem estrutura bastante similar à das máquinas Elios”. Um dado interessante lembrado por Zavaglia: “os transformadores brasileiros preferem comprar com máquinas menores. Em outros países, como nos Estados Unidos e até no México, a preferência recai sobre os modelos maiores, a ideia é conseguir a maior produção possível por metro quadrado”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *