Embalagens

Embalagem: Garrafas de PET 25% mais leves conquistam clientes

Jose Paulo Sant Anna
21 de julho de 2017
    -(reset)+

    Mota diz que, além do processo produtivo ser menos complexo, a solução adotada pela empresa elimina o risco de delaminação e facilita sobremaneira o processo de reciclagem. Por falar em reciclagem, outro aspecto inovador do projeto. Para o produto, a Plastipak, em parceria com a Jussara e a empresa especializada em reciclagem Global PET, patrocina o pioneiro Projeto ReCiclo, que prevê a recuperação do material usado nas embalagens na produção de novas garrafas de leite.

    O mercado do leite no Brasil hoje é dominado com grande força pela embalagem cartonada, cujo principal nome do mercado é a Tetrapack. Ele é tido como de excelente potencial pela indústria do plástico. A conquista de espaço nesse nicho de atuação não será rápida, pois hoje a solução concorrente conta com grande capacidade já instalada e em pleno funcionamento. A esperança é conquistar clientes que estão entrando nesse ramo ou ampliando sua atuação. Cada ponto percentual conquistado significa muito. Trata-se de um mercado de 6,5 bilhões de litros por ano.

    Para atingir metas mais ambiciosas, o setor conta com as vantagens proporcionadas pelo plástico. A embalagem se torna mais funcional, seu uso é mais fácil, permite maior proteção e total aproveitamento do produto. Existe uma vantagem ligada ao marketing. Com o plástico, os laticínios têm a oportunidade de diferenciar seus produtos nas gôndolas dos pontos de venda. “A reciclabilidade do PET chega a 51% e a das cartonadas fica por volta dos 21%”, ressalta Dinis. O PET não está sozinho nessa batalha, também existem laticínios que optaram por usar frascos de polietileno.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *