Economia Circular: Plataforma une os elos da cadeia

Atenta à expansão do interesse por resinas recicladas, a consultoria Icis lançou a plataforma Recycling Supply Tracker (ou Rastreador de Suprimentos de Reciclagem), na qual interessados em adquirir esse gênero de matéria-prima podem hoje acessar informações de quase 2,5 mil plantas de reciclagem mecânica e outras 150 de reciclagem química instaladas em dezenas de países, das quais 130 delas aqui no Brasil.

Além das resinas fornecidas – por enquanto restritas a poliolefinas e PET –, no caso de reciclagem mecânica há também, entre outras informações, a capacidade da planta, se o produto é disponibilizado em pellets ou em flakes, cor, origem dos resíduos: pós-consumo ou pós-indústria.

“A maioria das empresas busca resíduos PCR”, observa Paula Leardini, analista sênior e líder de reciclagem nas Américas na Icis. Para a reciclagem química, ela lembra, há também dados como a tecnologia utilizada, entre outros.

Acessível mediante assinatura – recicladores não pagam para inserir suas informações –, esse banco de dados, afirma Paula, vem sendo crescentemente acessado, não apenas por transformadores e usuários de aplicações plásticas, mas também por petroquímicas e até investidores.

Como se verifica no universo das emissões de carbono, o sistema de créditos pode ser interessante também no mercado dos materiais reciclados (e nele até aplicado de forma mais simples, pela existência de um produto fisicamente palpável).

Economia Circular: Plataforma une os elos da cadeia ©QD Foto: iStockphoto
Paula Leardini, analista sênior e líder de reciclagem nas Américas na Icis.

“Mas é preciso defini-lo bem e assegurar que os recursos gerados sejam reinvestidos na própria estrutura de recuperação e reciclagem de materiais”, enfatiza Paula.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios