Reciclagem Química de Plásticos pode Transformar Plástico em Petróleo Sintético como Diesel, Óleo, Hidrocarbonetos…

E também diesel, óleo combustível, hidrocarbonetos aromáticos, solventes, parafinas, entre outros produtos

A reciclagem química de plásticos pode gerar também diesel, óleo combustível, hidrocarbonetos aromáticos, solventes, parafinas, entre outros produtos. Possibilidades que até levam Maurício Mascolo, sócio-diretor da Mascolo Engenharia, a qualificar como “petróleo sintético” o resultado dessa reciclagem.

“É um líquido combustível praticamente isento de enxofre, extremamente nobre para o mercado de refino e combustíveis”, ressalta.

Segundo ele, em plantas localizadas nos municípios paulistas de Votorantim e Monte Mor, a Mascolo Engenharia mensalmente processa, por pirólise, cerca de 2 mil toneladas de resíduos de PE, PP e PS, com as quais produz um óleo sintético fornecido para refinarias privadas.

Essa reciclagem, enfatiza Mascolo, dispensa algumas etapas da reciclagem mecânica, como separação por cor ou subtipo (como PEAD e PEBD).

E sua produção pode ser direcionada pela matéria-prima. “Para maximizar a produção de parafinas, utiliza-se PE; para maximizar produção de óleo querosene, maximiza-se o PP; para produzir solventes aromáticos, prioriza-se o PS”, detalha Mascolo.

O Brasil, ele crê, pode se beneficiar dessa tecnologia de reciclagem química de plásticos, cujo uso já estaria regulamentado por uma resolução de 2016 da ANP (Agência Nacional do Petróleo), afinal, é grande importador de derivados de petróleo e não tem nesse momento nenhuma perspectiva de construção de novas grandes refinarias.

Devem, porém, multiplicar-se as refinarias privadas de menor escala, há duas delas prestes a entrar em operação: a SSOil Energy e a Brasil Refinarias, que poderão absorver a produção de dezenas de plantas de reciclagem química.

“Essas pequenas refinarias, bem como as refinarias já em operação, podem ter na reciclagem de plásticos uma fonte de matéria-prima com características físico-químicas até superiores às do petróleo mineral”, enfatiza Mascolo.

Leia a Primeira Parte desta Reportagem sobre Reciclagem Química dos Plásticos:

  1. Reciclagem Química dos Plásticos Ampliam as Possibilidades e Lidam com Materiais Complexos

  2. Reciclagem de PET por métodos mecânico ou termomecânicos são preferidos: Economia Circular

Leia mais Reportagens Relacionadas:

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios