Economia circular: Distribuição acompanha a demanda

Grandes distribuidores também conferem crescente atenção às resinas recicladas, caso da Piramidal, que hoje disponibiliza PE e PP com reciclados da Braskem, a linha Ecogel, da Unigel, e alguns grades com reciclados de resinas de engenharia da Sabic, além da linha própria, comercializada com a marca Eccoar, com resinas 100% recicladas de PET, PP, PEAD e PEBL.

Nesse mercado, destaca Fabio Koutchin, gerente de soluções circulares da Piramidal, convivem atualmente dois perfis distintos de consumidores:

  • o tradicional, mais focado no preço – que geralmente trabalha com produtos de menor valor ou com menos exigências de desempenho,
  • e aquele composto por clientes alinhados à economia circular, que buscam qualidade e regularidade de fornecimento e de especificações.

A Piramidal foca esse segundo segmento.

Economia circular: Distribuição acompanha a demanda ©QD Foto: iStockPhoto
Fabio Koutchin, gerente de soluções circulares da Piramidal

“Ele ainda está em estágio inicial de desenvolvimento e possui enorme potencial”, pondera Koutchin.

“Vem se expandindo de forma relevante principalmente no que diz respeito a embalagens, e começa a se desdobrar também para empresas e marcas de menor porte, que querem se posicionar de forma alinhada à economia circular e aos conceitos de ESG”, acrescenta.

Políticas de ESG e metas de sustentabilidade das empresas são apontados como impulsionadores da demanda por resinas recicladas também por Laercio Gonçalves, CEO da Activas, distribuidora cujo portfólio de recicladas tem PE e PP da Braskem, PS da Inova, e uma linha própria de reciclados.

Economia circular: Distribuição acompanha a demanda ©QD Foto: iStockPhoto
Laercio Gonçalves, CEO da Activas

“Já no próximo ano deveremos ter também linhas PCR de poliamidas e TPU, entre outras”, adianta.

No Brasil, ressalta Gonçalves, é expressiva a oferta de resinas recicladas de boa qualidade, cujo preço, em alguns momentos superior aos das virgens, ainda pode inibir a demanda.

“Mas há quem pague mesmo um preço um pouco superior, as grandes empresas precisam dessas resinas”, afirma.

Seguirá em expansão, ressalta o CEO da Activas, também o mercado das resinas virgens, mas a evolução das recicladas será mais rápida. “Imagino, ao menos idealmente, que em algum momento a quantidade de resinas PCR colocada no mercado será similar à das virgens”, projeta.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios