Ebitda da Braskem evolui no primeiro trimestre

A Braskem registrou Ebitda recorrente de R$ 1,1 bilhão (US$ 205 milhões) no primeiro trimestre de 2023 e lucro líquido atribuível aos acionistas de R$ 184 milhões.

Devido aos melhores níveis de atividade global, a demanda por grande parte dos produtos da companhia foi maior no período, permitindo alcançar melhor desempenho operacional e comercial em todas as regiões.

“Ao longo do trimestre, a Braskem seguiu focada no atendimento dos seus clientes em todas as regiões, na execução da sua estratégia corporativa e de suas iniciativas para impulsionar seus resultados. Continuamos preparados para aproveitar oportunidades, mas seguimos com foco na eficiência de custos e em iniciativas de preservação financeira”, disse o CEO Roberto Bischoff.

No Brasil, a taxa de utilização aumentou cinco pontos percentuais (de 72% para 77%), enquanto nos Estados Unidos e Europa, na média, avançou seis pontos (75% para 81%) e, no México, ganhou três pontos (69% para 72%) na comparação com o quarto trimestre de 2022.

Nesse cenário, foram registrados maiores volumes de vendas de resinas e principais químicos no segmento Brasil, de PP na Europa e PE no México.

Além disso, os spreads das resinas produzidas pela companhia registraram elevação, melhorando as margens de lucro em todas as regiões de operação.

A Braskem manteve forte posição de caixa em março, de R$ 14,2 bilhões, o que garante a cobertura dos vencimentos de dívida nos próximos 76 meses.

Porém, apesar do melhor Ebitda recorrente no período, houve um consumo de caixa de R$ 1,4 bilhão, devido à concentração usual de pagamentos de juros semestrais referentes aos títulos de dívida, aos desembolsos com investimentos operacionais relacionados a paradas programadas de manutenção e ao impacto dos aumentos de 4% no volume de vendas global da companhia e de 24% na média dos preços de resinas e principais químicos no mercado internacional em contas a receber.

Ebitda da Braskem evolui no primeiro trimestre ©QD Foto: iStockPhoto

Um destaque do trimestre foi a celebração de um acordo adicional com a Casa dos Ventos, empresa brasileira de energias renováveis. Esse acordo prevê o fornecimento de energia eólica por meio de contratos com duração de até 22 anos. Esse é o segundo grande acordo entre as empresas e torna a Casa dos Ventos a maior fornecedora de energia renovável da Braskem, fortalecendo a parceria.

Em 2022, mais de 81% da energia elétrica comprada pela Braskem no mundo foi de origem renovável. Com o novo acordo com a Casa dos Ventos, a Braskem estima superar a marca de 3,2 milhões de toneladas de CO2 evitadas durante os contratos, em mais um passo em direção às metas de redução de 15% de emissões de Gases de Efeito Estufa de escopo 1 e 2 até 2030 e de chegar à neutralidade de carbono até 2050.

Outro destaque foi o atingimento de 94% de avanço físico na expansão da capacidade de produção de eteno verde no Rio Grande do Sul ao final de março de 2023. A Companhia elevará sua capacidade de 200 mil t/ano para 260 mil t/ano.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios