Plástico

Distribuição – Novas mudanças alteram o perfil do mercado varejista de resinas

Maria Aparecida de Sino Reto
8 de fevereiro de 2011
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Osvaldo Cruz, Gerente geral da Entec/Ravago, Distribuição - Novas mudanças alteram o perfil do mercado varejista de resinas

    Negócios de Cruz se concentram nas regiões Sul e Sudeste

    O gerente não acredita que as principais questões macroeconômicas sejam solucionadas neste ano e prefere partir para a luta: “A nós cabe continuar o trabalho de entender as necessidades do mercado que estamos inseridos e trabalhar na formação de parcerias válidas com os clientes, fornecedores e colaboradores”, diz Cruz. Nesse sentido, os investimentos hoje contemplam a formação de equipe de colaboradores com a proposta de comprometimento individual com a empresa, entendimento do cenário no qual a distribuidora se insere e sugestões de ações coordenadas e produtivas.

    Focada em especial nas regiões Sul e Sudeste do país, a Entec/Ravago oferece ampla variedade de commodities (polietilenos, polipropilenos e poliestirenos), resinas de engenharia e borrachas sintéticas, sob as bandeiras da Dow, da Rhodia, da Ticona e da Unigel. Segundo Cruz, a empresa marca presença em cada estado com vendas e assistência técnica, logística, e centros de distribuição. “Procuramos estar ao lado do cliente no menor tempo possível.”

    Mais musculatura – A despeito das dificuldades, Piramidal, Sasil e Activas saíram fortalecidas do cenário de consolidação do mercado distribuidor em 2010. Permaneceram na rede oficial da Braskem e ainda ampliaram a atuação ao adquirir da produtora de resinas os negócios atrelados à distribuição.

    Plástico Moderno, Distribuição - Novas mudanças alteram o perfil do mercado varejista de resinas

    Cataldi comemora a conquista de atuação em âmbito nacional

    As primeiras privilegiadas foram a Piramidal e a Sasil, alçadas à categoria de distribuidora nacional ao adquirirem, cada uma delas, parte da Varient, repartida entre as duas empresas: São Paulo e Rio de Janeiro ficaram ao encargo da Sasil e os demais estados onde a antiga distribuidora atuava, no Nordeste, Centro-Oeste e Sul, foram assumidos pela Piramidal. “O negócio deu acesso nacional à Piramidal, a empresa agora está presente em todo o país”, comemora Cataldi. A operação, concluída em junho do ano passado, não tem seus valores divulgados, por questões de contrato de sigilo.

    Hoje são cinco centros de distribuição, num total de 25 mil m² de armazenagem: Santana de Parnaíba-SP (o maior, com 18 mil m²), São José dos Pinhais-PR (2.500 m²), Cachoeirinha-RS (2 mil m²), Caxias do Sul-RS (500 m²) e Recife-PE (2 mil m²). O portfólio inclui polietilenos,polipropilenos, EVA, poliestirenos, resinas de engenharia, masterbatches e aditivos, dos parceiros Braskem, Bayer, Keptal, Lanxess/Ineos, Unigel, CTS, Honeywell, Cromex, Sarlink, Sabic e Nitriflex. Cataldi promete mais novidades para este ano.

    “A aquisição da Varient nos deu acesso ao grande mercado de commodities no Sudeste e a presença na rede de distribuidores nacionais oficiais Braskem”, celebra o presidente da Sasil. O investimento rendeu, ainda, aumento de escala e aprimoramento na logística da empresa – sinônimo de melhor atendimento ao mercado. Cavalcanti também destaca a incorporação à empresa da nota fiscal eletrônica e a adequação ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Na sua avaliação, foram medidas muito importantes.

    O processo de consolidação da distribuição de resinas favoreceu muito a Sasil, fortalecida com o rearranjo do mercado. “A aquisição da Varient foi decisiva e a principal estratégia que nos deu o corpo necessário para competir neste novo cenário mercadológico”, reforça Cavalcanti.

    A configuração atual confere à Sasil a condição de distribuidora com atuação nacional em suas duas áreas de negócios: produtos químicos e resinas termoplásticas. A varejista possui 12 filiais, centros de distribuição próprios e terceirizados, transporte por frota própria ou terceirizada (de acordo com a necessidade do cliente). Na área de termoplásticos, distribui resinas da Braskem, Innova e Eastman, abrangendo as commodities polietilenos, polipropilenos, poliestirenos e PVC, além de compostos e especialidades. “Acabamos de agregar toda a linha de copoliésteres da Eastman ao portfólio”, festeja Cavalcanti.

    A Activas foi a mais recente beneficiada pelo novo mapeamento da distribuição. A empresa adquiriu, em dezembro do ano passado, o fundo de comércio e assumiu a carteira de clientes da Unipar Comercial para os polietilenos, polipropilenos e EVA, o último braço de distribuição até então atrelado à Braskem. A negociação deixou a Activas mais próxima de atingir a sua meta de alcançar a liderança nacional de distribuição de resinas termoplásticas.

    Pelas estimativas do diretor da distribuidora, Laercio Gonçalves, o investimento rendeu a inclusão à carteira anterior, já composta por mais de 5 mil clientes, de outros 1.200, dos quais espera contar com cerca de 700 ativos. Também adicionou da ordem de 30 toneladas à sua demanda. Além de consolidar a Activas como distribuidora nacional, a nova carteira de clientes deve gerar aumento da ordem de 40% nos negócios deste ano, com previsão de faturamento ao redor de R$ 600 milhões.

    Segundo Gonçalves, a tendência de consolidação da distribuição já havia sido diagnosticada pela empresa na década passada e impulsionou planejamentos e trabalhos nesse rumo. “É quase uma filosofia na Activas, a distribuição oficial de resinas termoplásticas com diferenciais.” Entre estes, ressalta: logística e entrega próprias, procedência, confiabilidade, qualidade, garantias e serviços agregados, assistência técnica, laudos etc.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *