Plástico

Distribuição – Entidade empossa nova direção

Maria Aparecida de Sino Reto
9 de fevereiro de 2011
    -(reset)+

    Desde dezembro de 2010, a Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas (Adirplast) está sob o comando de nova diretoria executiva. Laercio Gonçalves, seu cofundador (e diretor da filiada Activas), assumiu a presidência da entidade para o biênio 2011/2012, período no qual se dispõe a influenciar ativamente o desenvolvimento do mercado brasileiro de plásticos. Ainda no início da nova gestão, ele propõe criar várias ações dirigidas para colaborar com o trabalho dos transformadores e dos distribuidores associados. Sua ideia é agregar informações e conhecimento para valorizar os produtos e os serviços oferecidos pela entidade.

    Plástico Moderno, Laercio Gonçalves, Distribuição - Entidade empossa nova direção

    Proposta de Gonçalves prevê incluir resinas de engenharia

    Outra proposta envolve a ampliação do leque de produtos representados na Adirplast para segmentos específicos de mercado, como o de resinas de engenharia e especialidades. “O mercado terá uma fonte e dados oficiais na distribuição destas resinas”, antecipa.

    Gonçalves planeja também enfatizar o papel de capilaridade e de qualidade dos serviços oferecidos pelos distribuidores de resinas, responsáveis pelo atendimento a cerca de dez mil transformadores de plásticos em todo o país. “Pretendemos fortalecer a indústria brasileira de plásticos, da qual fazemos parte, e que não vem acompanhando o ritmo de crescimento de outros setores. Teremos muitas novidades e uma gestão mais agressiva”, promete.

    Os dados do setor levantados pela Adirplast relativos a 2010, apurados até o terceiro trimestre, apontam a tendência de estabilidade no volume oficial movimentado no ano, da ordem de 485 mil toneladas, e faturamento bruto ao redor de R$ 2,5 bilhões. A entidade representa hoje 13 distribuidoras, mas a atual gestão pretende atrair novos adeptos e chegar ao final do ano com cerca de 20 a 25, ampliando, assim, a representatividade do setor e os seus números.

    Para ser filiada, é preciso atuação formal, dentro dos princípios éticos do estatuto da entidade, e representar de modo oficial pelo menos uma petroquímica. A nova gestão se dispõe a contribuir para tornar a distribuição e a transformação mais fortes, com musculatura para a competição global.

     

    Leia a reportagem principal:



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *