Máquinas e Equipamentos

9 de junho de 2009

Corte e Solda – Máquina nacional evolui para enfrentar competição com as estrangeiras

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Corte e Solda - Máquina nacional evolui para enfrentar competição com as estrangeiras

     

    As máquinas de corte e solda apresentadas na 12ª. Brasilplast evoluíram a ponto de se equiparar aos modelos fabricados nos países do Primeiro Mundo, capazes de oferecer alta produtividade, flexibilidade e tecnologia de ponta, segundo atestam seus fabricantes. A constatação foi observada entre vários fabricantes nacionais e internacionais presentes nessa edição da feira, ávidos por firmar novos contatos e parcerias no mercado brasileiro, considerado a maior plataforma de negócios de toda a América do Sul, a despeito dos efeitos da crise mundial.

    As novas versões de máquinas automáticas para a produção de sacolas plásticas do tipo camiseta já são projetadas com quatro

    Plástico Moderno, Farid Labaki Junior, gerente-comercial da Hece, Corte e Solda - Máquina nacional evolui para enfrentar competição com as estrangeiras

    Servomotores elevam produtividade a 270 batidas por pista, disse Labaki

    pistas e conseguem produzir 270 “batidas” por pista, ou seja, cortam e soldam 1.080 sacolas por minuto, em dimensões-padrão, com larguras de 40 mm e comprimentos de 50 mm.

    “Alcançamos esse nível de produtividade graças à instalação de servomotores nos periféricos, no desbobinador, no sanfonador e também no bloco central da máquina”, explicou Farid Labaki Junior, gerente-comercial da Hece, responsável pelo desenvolvimento das novas máquinas da série EC, dedicadas ao corte e solda de polietileno, em três modelos, comercializados com duas, três ou quatro pistas.

    O projeto da nova série EC foi concluído em 2008, mas o foco de vendas, por causa da retração observada nos primeiros meses deste ano, está sendo direcionado para o mercado doméstico de reposição e para o exterior, estratégias de comercialização consideradas as mais viáveis atualmente, em virtude da retração no consumo e do grande cerco feito às sacolas plásticas descartáveis, conhecidas como sacolas de supermercado.

    “Hoje, temos que nos voltar para os fabricantes de pequenos e médios volumes, que produzem lotes desde 100 toneladas até 500 toneladas, porque as grandes indústrias que antes fabricavam sacolas estão buscando novas alternativas de produção como sacarias industriais, bobinas técnicas e laminados; ou então partindo para a produção de embalagens descartáveis”, observou Farid.

    Para uma empresa com 47 anos de existência, e mais de 3 mil máquinas instaladas no Brasil e em vários outros países, os investimentos, no entanto, não podem cessar e foram conferidos em vários aprimoramentos realizados em equipamentos expostos na feira, entre os quais se destacou a veterana linha de corte e solda, fabricada há 25 anos, e com sistema para produzir sacos valvulados de PP, PE e BOPP. O modelo SC-700 III, em demonstração na feira, operava com acessório aplicador de zíper contínuo.

    Outro modelo em destaque no estande da Hece foi o da máquina automática para a produção de sacos plásticos de BOPP. Projetado para cortes duplos, conta com cilindros aletados para evitar rugosidades e opera com larguras de 850 mm.

    Velocidade e sincronismo – Vários modelos servoacionados computadorizados também foram destaque no estande da Maqplas, que esteve repleto de visitantes durante toda a feira. A empresa nacional, comandada por Maristela Simões de Miranda, é muito conhecida por oferecer ao mercado a mais completa linha de máquinas e acessórios para o setor de embalagens flexíveis.

    Plástico Moderno, Maristela Simões de Miranda, Corte e Solda - Máquina nacional evolui para enfrentar competição com as estrangeiras

    Maristela: modelos foram aprimorados sem aumento de custo

    “Os modelos mais recentes ganharam maior velocidade, tornaram-se mais produtivos e alcançaram alto grau de sincronismo e, entre as nossas novidades, estamos oferecendo máquinas com até quatro servomotores”, informou a empresária. “O que há de mais importante nos novos desenvolvimentos é que conseguimos aprimorar as máquinas, sem encarecê-las, tornando-as ainda mais atrativas para as empresas, principalmente quando se analisa a relação custo/benefício”, continuou Maristela.

    Entre os modelos mais recentes, foram expostos na feira as linhas MP 1100 SW, NCS 800 SLH e a NCS 1400 B. As máquinas de corte e solda da linha MP, disponíveis em dois modelos, MP 800 SW e MP 1.100 SW, para solda lateral; e outros dois, MP 800 SB e MP 1.100 SB, para solda lateral, de fundo e de beira lateral, são todas computadorizadas, utilizam servomotor para o posicionamento dos filmes, podem receber acessórios comandados por CLP On-Fly, um desenvolvimento que possibilita ao usuário promover ajustes na programação, com a máquina estando em movimento. Com uma máquina da linha MP, podem ser confeccionados sacos e sacolas de PEBD, PEAD, PP, BOPP e PE linear, com ou sem impressão, em comprimentos desde 45 mm até 1.200 mm.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página








      1. jorgue

        Gostaria de saber se tm uma máquina de corte e solda de sacos e o preço?


      2. jorgue

        Gostaria de saber se tem uma máquina de corte e solda e o preço dela…obrigado


      3. Erico Rodrigo

        Boa tarde,

        Gostaria de saber se voces tem corte-solda com 2 mts de largura,para fazer embalegens de colchão ,


      4. gostaria de saber se voces tem maquina de plastificar sabao na estera horisontal


      5. Aldrin Souza

        Boa tarde, gostariamos de saber qto custa a maquina corte e solda e sua forma de pagamento.


      6. Alexandre de Oliveira Siqueira

        Bom dia! Queria saber se voceis tem maquinas para fabricaçao de embalagens para hortaliças? Obrigado



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *