Plástico

Clientes da transformação confirmam previsões otimistas – Plásticos

Jose Paulo Sant Anna
25 de fevereiro de 2019
    -(reset)+

    Projeções indicam que o faturamento da indústria elétrica e eletrônica deve ter encerrado 2018 em R$ 146,1 bilhões, com crescimento de 7% em relação ao ano passado de 2017. A produção industrial teve aumento de 2% na comparação com 2017. Os investimentos cresceram 7%, fechando o ano com resultado próximo de R$ 2,7 bilhões, ante os R$ 2,5 bilhões verificados em 2017. A utilização da capacidade instalada do setor permaneceu estável em 77%. O número de empregados do setor, que era de 234,2 mil no final de 2017, cresceu para 236 mil trabalhadores, um incremento de 1,8 mil postos de trabalho.

    “Este foi o segundo ano consecutivo de crescimento, o que demonstra que estamos em processo de recuperação, ainda que lenta”, diz o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato. Ele ressalta, no entanto, que a atividade produtiva ficou aquém das expectativas. Houve dificuldades com a volatilidade cambial, instabilidade dos mercados interno e externo, incertezas quanto às eleições e greve dos caminhoneiros.

    Embalagens – A Associação Brasileira da Indústria de Embalagens (Abre) não foge à regra, acredita que o ano será positivo. Como alterou a forma de como realiza a pesquisa voltada para medir o desempenho do setor, por enquanto não apresenta dados. “Somente em março teremos condições de apresentar os resultados do setor no ano passado e apresentar previsões para 2019. Não temos nenhum número para informar por enquanto”, explica Luciana Pellegrino, diretora executiva.

    Alguns resultados fornecidos pela Abiplast ajudam a dar uma ideia do desempenho nesse nicho da transformação. Artigos de higiene pessoal e limpeza cresceram 1,2% e bebidas, +1,4%. O setor de alimentos, por sua vez, registrou queda de 3,9%.



    Recomendamos também:








    2 Comentários


    1. Até que enfim !!! Estou com várias injetoras paradas, de 450 a 2000t ,com disponibilidade de horário máquina; doido pra por pra rodar.


    2. José Alfredo Teixeira Campiteli

      Já passou da hora!!!

      Vamos em frente, a luta não para..



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *