Brasilplast 2011 – Plásticos de engenharia – Poliamidas reforçam investimentos

Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Propriedades do náilon terpolímero asseguram a produção de filmes de melhor desempenho

A poliamida também se destacava no estande da tradicional empresa brasileira fabricante de especialidades em compostos Pepasa. “Os compostos de PA são o forte, das formulações tradicionais às especiais, com PTFE, silicone etc”, disse o diretor técnico Roberto Moncorvo. Outro item relevante no portfólio da empresa são os compostos não halogenados.

Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Náilon beneficia discos de semeadeiras

O estande exibia diversas peças moldadas com especialidades de poliamidas, entre as quais discos de semeadeiras (composto de PA), ventoinha de motor (PA com fibra de vidro e grafite), colheitadeira de café (PA com fibra e elastômero), minibuchas (feitas com uma formulação de PA 12, fibra de carbono, PTFE e silicone), buchas de amortecedor (PA reforçada com fibra de vidro e microesferas de vidro), e ainda quilhas de prancha de surf (PA 6 e fibra de vidro).

Bandeira ecológica – Sob o guarda-chuva da sustentabilidade, a DuPont repartiu sua exposição por divisões: automotiva, energias alternativas, reciclagem de embalagens plásticas, e atratividade e segurança nas embalagens. No primeiro segmento, a empresa divulgou tecnologias que propiciam baixo peso, sinônimo de menor consumo de combustível e redução na emissão de CO2, associadas com polímeros produzidos com base em fontes renováveis de origem vegetal.

Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Carro Conceito exibe uso das poliamidas, com peso equivalente a 15 quilos

O líder de vendas de polímeros de desempenho Nilson F. Bordin ressaltou os produtos formulados com poliamida, Zytel Plus e Zytel HTN; e materiais baseados em tecnologias de fonte renováveis, caso de poliamidas obtidas 100% de fonte renovável (óleo de mamona), o Zytel RS; elastômeros termoplásticos desenvolvidos com até 60% de insumo originado de fonte renovável (Hytrel RS); e o Sorona, com insumos extraídos do bagaço do milho. Segundo Bordin, esses polímeros de elevado desempenho podem substituir outros materiais na produção de peças automotivas e contribuir para a redução de peso, custo e emissão de carbono. “As resinas HTNs, resistentes a altas temperaturas, diferenciam-se pelo balanço de propriedades de maior apelo mecânico; são polímeros superestruturais que superam até ligas metálicas”, comentou. O Zytel Plus também suporta altas temperaturas, até 230ºC e possui alta estabilidade dimensional.

Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Minibuchas embutem fibra de carbono

Os desenvolvimentos relacionados a energias alternativas estão voltados, em particular, às aplicações em painéis fotovoltaicos para geração de energia elétrica e painéis solares para aquecimento de água (polímeros como a linha Rynite SUV, baseada em PET).

Também ganharam destaque no estande produtos para atender o segmento de petróleo e gás, com ampla variedade de polímeros que promovem barreiras químicas contra agentes corrosivos, resistentes à hidrólise, que propiciam isolamento térmico e possuem elevada resistência mecânica.

Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Quilha de prancha moldada com PA

A Dupont aproveitou a ocasião para difundir seu propósito de ter todas as suas linhas de produtos baseadas em fontes renováveis até 2018. Norteada pela sustentabilidade, a empresa se propõe aatender às exigências das megatendências atuais, como o aumento da produção de alimentos, visando o crescimento populacional; a redução da dependência de combustíveis fósseis; e a proteção da vida e do meio ambiente. “Essa estratégia foi definida considerando o aumento populacional global”, explicou Bordin.

O conceito de sustentabilidade conduziu igualmente a exposição da Sabic, outra contemplada com a presença no estande de executivos internacionais. Compareceu ao Anhembi o seu vice-presidente, Timothy J. O’Brien, responsável pelo negócio de resinas de alto desempenho nas Américas e na Europa. Entre as novidades, ele destacou o lançamento de uma linha baseada em fibras naturais e produtos com características antiestáticas. Para a primeira, ele promete desempenho similar aos compostos com fibras de vidro e explica tratar-se de formulações focadas em polipropileno e poliamidas 6 e 6.6, elaboradas com fibras como pó de serragem (adicionada ao polipropileno) e fibra de curauá (incorporadas às poliamidas).

Plástico Moderno, Nilson F. Bordin, Brasilplast 2011 - Plásticos de engenharia - Poliamidas reforçam investimentos
Bordin ressalta as resinas de alto desempenho com origem verde

Os antiestáticos se endereçam ao mercado de eletroeletrônicos e peças de ignição do motor. Os polímeros podem ser variados, de acordo com as especificações da aplicação, para materiais mais condutivos ou para dissipação.

As novidades alcançaram também o Noryl GTX (blenda de poliamida com polímero éter polifenileno (PPE) modificado). O gerente geral automotivo da América do Sul, Edson R. Simielli, informou que agora essa família traz nova geração de grades condutivos e de maior estabilidade dimensional, desenhados para substituir metal e outros substratos em peças estruturadas na indústria automotiva. Entre as aplicações, ele menciona para-lamas e portinhola do tanque de combustível e ressaltou a indústria automotiva como um dos maiores mercados da empresa. Destacou entre as qualidades dos produtos a alta estabilidade dimensional, a rigidez e a possibilidade de reduzir peso. “Dependendo da peça, o ganho pode chegar até 50% em relação ao metal”, comparou.

A Sabic aproveitou a ocasião para informar ao mercado que incorporou um novo produto à sua fábrica brasileira: o Noryl (resinas de PPE modificadas) flexível, indicado para substituir o policloreto de vinila (PVC) e o polietileno reticulado em aplicações de fios e cabos. Os principais apelos ficam por conta da atoxicidade, leveza, resistência química e à corrosão. Segundo a Sabic, o produto também oferece melhor isolamento que o PVC, possibilitando a confecção de cabos de menores diâmetros.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios