Brasilplast 2011 – Feira se consagra como a terceira maior do mundo

De acordo com a diretora da Brasilplast, a decisão de montar este projeto veio da necessidade de mostrar à sociedade que as empresas vêm, ao longo dos anos, desenvolvendo produtos e aplicações que não agridem o planeta. Ela explica que, com isso, o setor também contribui com a redução do desperdício de alimentos, acondicionamento de resíduos, redução no consumo de combustíveis, soluções logísticas, desenvolvimento de novas tecnologias em inúmeros setores etc.

“Apesar de compor uma forte cadeia produtiva e interagir com inúmeros setores da economia, a população em geral não tem tido acesso às informações esclarecedoras de forma simples e clara. A Brasilplast é a grande oportunidade para estabelecer essa comunicação com os mercados nacional e internacional”, acrescenta a executiva.

Segundo ela, será mais enfatizada a parte educacional em termos de descarte e reciclagem do plástico, durante a exposição. “O problema do meio ambiente vem do descarte de forma incorreta”, declara Liliane em defesa do plástico. “Sempre tivemos preocupação em trabalhar com o posicionamento do plástico, mas desta vez está sendo mais enfatizado. A Operação Reciclar vem realmente para mostrar que o produto de uma feira com a magnitude da Brasilplast tem o seu lado positivo”, argumenta a executiva.

Fazendo a feira – Os expositores são fabricantes de máquinas, equipamentos e acessórios destinados à produção de moldes, ferramentas, itens de instrumentação, controle e automação; resinas sintéticas, produtos básicos e matérias-primas químicas em geral, além de transformadores de materiais plásticos. Estarão presentes, ainda, empresas da área de serviços e projetos técnicos e entidades. Já estão confirmados expositores de países como Alemanha, Dinamarca, Itália, Espanha, Afeganistão, Estados Unidos, França, Índia, Coreia e Turquia.

As empresas nacionais participantes têm como principal objetivo prospectar novos clientes e divulgar seus produtos para o público interessado, altamente qualificado e segmentado. Já as internacionais, além de conquistar novos clientes, buscam expandir seus negócios, formando parcerias locais.

Higiene, limpeza e alimentação – Fora isso, ainda segundo a Abiplast, a ascensão das Classes C e D, por conta da melhoria do poder aquisitivo, está impulsionando o consumo de mais produtos envolvidos na cadeia do plástico, tais como itens de higiene e limpeza e alimentos, por exemplo, resultando no crescimento do volume per capita. “O crescimento do país está trazendo para o mercado milhares de consumidores que antes não tinham acesso a produtos manufaturados, o que torna a oportunidade do setor de plástico no Brasil gigantesca”, avalia José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), integrante do grupo de entidades de apoio da Brasilplast, junto com a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) e o Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas (Siresp).

“Temos um potencial enorme de crescimento de mercado, porque o consumo médio per capita de 27,94% de plástico no Brasil é muito baixo, quando comparado aos Estados Unidos, com 105%, e Europa, com 99%”, projeta Roriz.

Com base nesse histórico, espera-se que 2011 supere a expectativa de 65 mil visitantes/compradores qualificados, de 62 países. “Esperamos ultrapassar o índice de 92% de satisfação apontado em pesquisa realizada pela Reed com os expositores”, adianta Liliane.

Tratamento VIP – Esta edição contará com outra novidade: a criação de um projeto piloto denominado Clube Premium, idealizado e voltado aos expositores da Brasilplast 2011. Com a criação do Clube, os compradores potenciais presentes à feira terão tratamento VIP. A inclusão no Clube dependerá, em primeiro lugar, do expositor, que terá de informar à Reed Alcantara qual é o seu maior comprador. Feito isso, o comprador indicado passará a ter tratamento VIP, ou seja, terá mais facilidades de acesso ao Pavilhão do Anhembi, podendo entrar pelo portão da Marginal, não precisará mais ficar parado na Rua Olavo Fontoura para entrar no estacionamento, terá acesso à Internet, assim como será colocado à sua disposição um depósito para guardar sua mala/pasta, privilégios que irão facilitar a sua vida e a sua visita.

Longe de relegar os compradores “menores” a segundo plano, Liliane justifica que o Clube Premium deve, no futuro, ser estendido a todos. Segundo ela, poderão ser abertas algumas exceções, para evitar algum tipo de desconforto, caso seja feita alguma solicitação de adesão que fuja às regras estipuladas para se tornar membro do Clube. “Nas próximas edições, a nossa intenção é a de ir ampliando aos poucos este tratamento. De início, não temos condições de atender a todos”, projeta a diretora. Agora estamos em fase de implantação e dependemos da adesão dos expositores para que a iniciativa se consolide.

Um dos principais fatores que levou a organizadora a conceber o projeto foram as reclamações dos possíveis visitantes/compradores em relação ao estacionamento, envolvendo a dificuldade de acesso, com as longas filas e tempos de espera e, às vezes, a necessidade de parar o carro perto do Sambódromo e andar até o pavilhão da feira. “Nosso intuito é minimizar o desconforto e a irritação dos compradores”, sinaliza a executiva.

Apesar de o projeto ter sido concebido pela Reed Alcantara, a organizadora da Brasilplast tem a expectativa de, num futuro bem próximo, contar com a colaboração dos apoiadores Abiplast, Abiquim, Abimaq e Siresp.

Página anterior 1 2 3Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios