Brasilplast 2011 – Feira se consagra como a terceira maior do mundo

A 13ª Brasilplast – Feira Internacional da Indústria do Plástico, a ser realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, no período de 9 a 13 de maio, colocará à disposição dos visitantes/compradores um aditivo importante para a cadeia do plástico, pois vai retomar o foco no conhecimento e na educação com a realização da Conferência Brasilplast.

O encontro, marcado para os dias 10 e 11 de maio, das 8h30 às 17h30, será promovido no Holiday Inn Parque Anhembi, já que todo o pavilhão de exposições será ocupado pela mostra, e contará com palestras de técnicos, empresários e acadêmicos, com foco em três temáticas: Mercado e Negócios, Sustentabilidade na cadeia do plástico, e Inovações e tecnologia.

Segundo Liliane Bortoluci, sucessora de Evaristo Nascimento na diretoria de eventos da Reed Exhibitions Alcantara Machado, o objetivo principal da conferência é traçar um panorama do mercado brasileiro e mundial do setor, relacionando a importação de matérias-primas, as tendências de preços da nafta petroquímica e os investimentos e gestão de parques industriais de transformadores. “O ciclo de palestras visa a incentivar a produtividade do mercado, por meio do desenvolvimento da cadeia produtiva e do aumento da competitividade”, sinaliza a diretora, que adianta a participação de executivos/palestrantes da Basf, Cargill Agrícola, Romi, Exxonmobil, entre outras empresas consideradas referência em seus segmentos de atuação.

“O que muda na minha gestão é a retomada do foco na parte educacional, do conhecimento, em relação à cadeia produtiva do plástico”, declara Liliane, que atuou em conjunto com Nascimento durante vinte anos até assumir a diretoria da empresa em novembro do ano passado.

A 3ª maior do mundo – Desde sua primeira edição, em 1987, quando estiveram presentes 300 expositores em um espaço de pouco mais de 20 mil metros quadrados, a Brasilplast vem crescendo a cada ano. Liliane classifica a feira, hoje, como a 3ª maior do mundo, atrás apenas da K, realizada a cada três anos em Düsseldorf, na Alemanha, e da Chinaplas, promovida anualmente em Xangai, China, segundo a diretora de eventos da Reed Exhibitions Alcantara Machado.

Plástico moderno, Liliane Bortoluci, Diretora de eventos da Reed Exhibitions Alcanta Machado, Brasilplast 2011 - Feira se consagra como a terceira maior do mundo
Liliane: evento cresceu e só fica atrás da K e da Chinaplas

Esta edição será a maior já realizada desde o seu início, em termos de área ocupada. Serão 85 mil metros quadrados, ou seja, a feira irá ocupar a área total do pavilhão, com todas as melhorias implementadas em sua estrutura, renovada e ampliada de outubro de 2010 para cá, o que inclui a reforma dos sanitários, a exclusão dos antigos mezaninos, onde antes eram realizados seminários, e a nova entrada voltada para a Marginal do Tietê. “Quem ficou algum tempo sem visitar o Anhembi terá a impressão de estar em outro lugar”, compara Liliane. “Houve crescimento significativo tanto em quantidade de expositores como de ocupação. Isso se deve ao bom momento econômico pelo qual o país está passando”, avalia.

De acordo com ela, a mostra brasileira é, “seguramente”, o principal evento do setor na América Latina e também está o calendário internacional de feiras de negócios voltados ao mercado do plástico. “Quem está na América Latina, principalmente Argentina, Bolívia e México, prefere vir para a Brasilplast. Quem expõe na Chinaplas quer vir para o Brasil, mas quem expõe aqui não quer ir para lá”, declara Liliane, argumentando que a realização das feiras do Brasil e da China no mesmo ano não trouxe nem trará nenhum prejuízo à adesão dos expositores, incluindo os internacionais, à mostra brasileira.

Livres da marola – Segundo levantamento da Abimaq, na Brasilplast 2009, realizada durante a crise econômica mundial, foram fechados negócios de R$ 120 milhões. O público presente à feira alcançou mais de 63 mil visitantes nacionais e 1.336 internacionais, vindos de 62 países, como Alemanha, Estados Unidos, Itália, África do Sul, Argentina, Chile, Costa Rica, Eslovênia, Espanha, Honduras, Paraguai, Polônia e Turquia. Números superiores à edição de 2007.

Diante disso, a diretora da Reed Alcantara adianta que, na edição deste ano, serão mais de 1.300 empresas mostrando suas novidades em produtos e serviços, o que amplia as perspectivas de fechamento e/ou prospecção de negócios. “Se em 2009, no meio da ‘marola’, os resultados da feira foram superiores perante a edição de 2007, agora, com a retomada econômica, com certeza o sucesso será ainda maior”, projeta.

Impossível viver sem ele – Como parte da retomada do foco educacional da feira, a Reed Alcantara, com o apoio da Plastivida, criou uma plataforma importante de sustentabilidade por meio da Operação Reciclar (ver boxe), com diversas ações voltadas a esclarecer o público visitante e os expositores, durante a Brasilplast, sobre os processos de reciclagem, a correta utilização do plástico e o seu descarte adequado.

Sob o slogan “Plástico, impossível viver sem ele”, a Operação Reciclar é uma iniciativa da Brasilplast e tem como foco principal destacar os aspectos socioambientais do material. “Em todos os lugares, onde você estiver, estará utilizando o plástico de alguma forma”, justifica Liliane.
A ação conta com o apoio e a participação de expositores que representam todos os elos da cadeia produtiva dos plásticos – matéria-prima, transformadores, fabricantes de máquinas, recicladores e cooperativas de coleta seletiva.

De acordo com a diretora da Brasilplast, a decisão de montar este projeto veio da necessidade de mostrar à sociedade que as empresas vêm, ao longo dos anos, desenvolvendo produtos e aplicações que não agridem o planeta. Ela explica que, com isso, o setor também contribui com a redução do desperdício de alimentos, acondicionamento de resíduos, redução no consumo de combustíveis, soluções logísticas, desenvolvimento de novas tecnologias em inúmeros setores etc.

“Apesar de compor uma forte cadeia produtiva e interagir com inúmeros setores da economia, a população em geral não tem tido acesso às informações esclarecedoras de forma simples e clara. A Brasilplast é a grande oportunidade para estabelecer essa comunicação com os mercados nacional e internacional”, acrescenta a executiva.

Segundo ela, será mais enfatizada a parte educacional em termos de descarte e reciclagem do plástico, durante a exposição. “O problema do meio ambiente vem do descarte de forma incorreta”, declara Liliane em defesa do plástico. “Sempre tivemos preocupação em trabalhar com o posicionamento do plástico, mas desta vez está sendo mais enfatizado. A Operação Reciclar vem realmente para mostrar que o produto de uma feira com a magnitude da Brasilplast tem o seu lado positivo”, argumenta a executiva.

Fazendo a feira – Os expositores são fabricantes de máquinas, equipamentos e acessórios destinados à produção de moldes, ferramentas, itens de instrumentação, controle e automação; resinas sintéticas, produtos básicos e matérias-primas químicas em geral, além de transformadores de materiais plásticos. Estarão presentes, ainda, empresas da área de serviços e projetos técnicos e entidades. Já estão confirmados expositores de países como Alemanha, Dinamarca, Itália, Espanha, Afeganistão, Estados Unidos, França, Índia, Coreia e Turquia.

As empresas nacionais participantes têm como principal objetivo prospectar novos clientes e divulgar seus produtos para o público interessado, altamente qualificado e segmentado. Já as internacionais, além de conquistar novos clientes, buscam expandir seus negócios, formando parcerias locais.

Higiene, limpeza e alimentação – Fora isso, ainda segundo a Abiplast, a ascensão das Classes C e D, por conta da melhoria do poder aquisitivo, está impulsionando o consumo de mais produtos envolvidos na cadeia do plástico, tais como itens de higiene e limpeza e alimentos, por exemplo, resultando no crescimento do volume per capita. “O crescimento do país está trazendo para o mercado milhares de consumidores que antes não tinham acesso a produtos manufaturados, o que torna a oportunidade do setor de plástico no Brasil gigantesca”, avalia José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), integrante do grupo de entidades de apoio da Brasilplast, junto com a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) e o Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas (Siresp).

“Temos um potencial enorme de crescimento de mercado, porque o consumo médio per capita de 27,94% de plástico no Brasil é muito baixo, quando comparado aos Estados Unidos, com 105%, e Europa, com 99%”, projeta Roriz.

Com base nesse histórico, espera-se que 2011 supere a expectativa de 65 mil visitantes/compradores qualificados, de 62 países. “Esperamos ultrapassar o índice de 92% de satisfação apontado em pesquisa realizada pela Reed com os expositores”, adianta Liliane.

Tratamento VIP – Esta edição contará com outra novidade: a criação de um projeto piloto denominado Clube Premium, idealizado e voltado aos expositores da Brasilplast 2011. Com a criação do Clube, os compradores potenciais presentes à feira terão tratamento VIP. A inclusão no Clube dependerá, em primeiro lugar, do expositor, que terá de informar à Reed Alcantara qual é o seu maior comprador. Feito isso, o comprador indicado passará a ter tratamento VIP, ou seja, terá mais facilidades de acesso ao Pavilhão do Anhembi, podendo entrar pelo portão da Marginal, não precisará mais ficar parado na Rua Olavo Fontoura para entrar no estacionamento, terá acesso à Internet, assim como será colocado à sua disposição um depósito para guardar sua mala/pasta, privilégios que irão facilitar a sua vida e a sua visita.

Longe de relegar os compradores “menores” a segundo plano, Liliane justifica que o Clube Premium deve, no futuro, ser estendido a todos. Segundo ela, poderão ser abertas algumas exceções, para evitar algum tipo de desconforto, caso seja feita alguma solicitação de adesão que fuja às regras estipuladas para se tornar membro do Clube. “Nas próximas edições, a nossa intenção é a de ir ampliando aos poucos este tratamento. De início, não temos condições de atender a todos”, projeta a diretora. Agora estamos em fase de implantação e dependemos da adesão dos expositores para que a iniciativa se consolide.

Um dos principais fatores que levou a organizadora a conceber o projeto foram as reclamações dos possíveis visitantes/compradores em relação ao estacionamento, envolvendo a dificuldade de acesso, com as longas filas e tempos de espera e, às vezes, a necessidade de parar o carro perto do Sambódromo e andar até o pavilhão da feira. “Nosso intuito é minimizar o desconforto e a irritação dos compradores”, sinaliza a executiva.

Apesar de o projeto ter sido concebido pela Reed Alcantara, a organizadora da Brasilplast tem a expectativa de, num futuro bem próximo, contar com a colaboração dos apoiadores Abiplast, Abiquim, Abimaq e Siresp. “Vamos buscar parceiros e patrocinadores que queiram participar deste novo serviço”, adianta Liliane. De acordo com ela, o investimento necessário para a idealização do projeto ainda não está fechado. “Criamos um departamento especialmente voltado ao Clube Premium.”

[toggle_simple title=”Operação reciclar” width=”Width of toggle box”]

A Brasilplast 2011 traz para esta edição a Operação Reciclar (operacaoreciclar.com.br), ação totalmente focada nos aspectos socioambientais dos plásticos e a oportunidade de estabelecer comunicação clara e objetiva com os usuários sobre os benefícios do plástico para a sociedade.

A ação, iniciativa da Reed Exhibitions Alcantara Machado com o apoio da Plastivida, é dirigida a representantes do Governo e entidades públicas, a representantes da sociedade e formadores de opinião (estudantes, professores, ONGs etc.), à imprensa nacional e internacional e às próprias empresas do setor, que buscam melhor entendimento sobre as políticas públicas, ações sustentáveis, produção limpa, novos produtos etc.

Em uma área de 264 metros quadrados, localizada logo após a entrada principal do pavilhão, serão desenvolvidas várias ações, focando aspectos como processo de reciclagem, produtos diferenciados, feitos com plástico reciclado, informações sobre o ciclo completo do plástico, o lado humano da reciclagem e os mecanismos para desenvolvimento da qualidade e do consumo responsável.

Durante a Brasilplast, materiais processados nos estandes serão coletados e destinados à reciclagem via cooperativa. Confira as ações que serão realizadas:

Processo de Reciclagem: o objetivo é ilustrar, de forma dinâmica e real, a reciclagem de produtos plásticos (fornecidos por expositores que estarão produzindo durante a Feira), transformando-os em outros produtos.

Produtos diferenciados, feitos com plástico reciclado: a exposição destes produtos tem como objetivo demonstrar que o plástico reciclado tem potencial de transformação em peças e aplicações mais nobres.

Alguns exemplos que estarão expostos: móveis ou peças feitas de madeira de plástico, papel de plástico, baldes/lixões de 200 litros, para-barros de carros (parte interna do para-lama), tubos de pequena polegada, brinquedos (peças médias, de 30 cm a 50 cm), bandejas para plantação e suporte de vasos (50 cm a 1 m de diâmetro), peças da indústria eletroeletrônica (30 cm de diâmetro), peças menores da indústria automobilística, cubas de lavadoras etc.

Informações sobre o ciclo completo do plástico: abordagem desde as matérias-primas até as diversas tecnologias de reciclagem, cujo conteúdo será desenvolvido em mídia eletrônica, e poderá ser apresentado em telão ou monitor touchscreen.

Aplicações/produtos plásticos: o objetivo é apresentar, com o uso de mídia interativa (ex.: monitor touchscreen), as aplicações em que o plástico faz a diferença (setores como saúde, aeronáutica, embalagens inteligentes etc.).

O lado humano da reciclagem: também em conteúdo eletrônico, o material desenvolvido irá destacar a importância da coleta seletiva e das cooperativas no processo de inclusão social, além de apresentar um panorama sobre a reciclagem no Brasil.

Mecanismos para desenvolvimento da qualidade e consumo responsável: o material desenvolvido para mídia interativa (monitor touchscreen) demonstrará a importância e os recursos que a indústria brasileira de plástico possui para desenvolver a qualidade e difundir o consumo responsável.

[/toggle_simple]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios