Feiras e Eventos

Brasilplast 2011 – Commodities – Distribuição – Mostra exibe um varejo forte

Maria Aparecida de Sino Reto
2 de maio de 2011
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Rogério Tadiotto, Diretor, Brasilplast 2011 - Commodities - Distribuição - Mostra exibe um varejo forte

    Investimentos de Tadiotto agora contemplam a produção de compostos de engenharia que atendem a diversos setores do mercado

    Negócios redirecionados – A Fortymil marcou presença na feira como mais um dos distribuidores mantidos na rede oficial da Braskem. “Estamos contentes por termos permanecido entre os poucos selecionados”, resumiu o diretor Ricardo Mason, que também aproveitou a ocasião para divulgar os investimentos em sua área industrial, dedicada à reciclagem, e que foi contemplada com uma estrutura separada. “Gerência e estruturas separadas permitem dar o foco específico que cada área de negócios necessita”, ponderou. As mudanças ainda resultaram na atualização do parque fabril e investimentos em laboratório e pessoal técnico.

    Distribuidora oficial da Bayer (poliuretano termoplástico – TPU) e da Basf (PC e blenda PC/ABS) e revendedora da Dupont (toda a linha de plásticos de engenharia), a Petropol participou pela terceira vez da Brasilplast com a finalidade de fixar sua marca no mercado. “A feira é interessante para reunir todos os representantes de diversas filiais e reunir clientes de várias regiões”, justificou o diretor Rogério Tadiotto.

    A empresa já teve forte atuação no varejo de resinas, hoje, porém, esse negócio representa da ordem de 30% das atividades. Os outros 70% correspondem à produção de compostos, baseados em plásticos de engenharia. Os investimentos anunciados na feira foram direcionados a esse ramo de negócios, que teve sua capacidade duplicada, subindo para 1.400 toneladas mensais.

    Plástico Moderno, Brasilplast 2011 - Commodities - Distribuição - Mostra exibe um varejo forte

    Prando vai distribuir a nova linha de BOPP que a Videolar produzirá

    A divulgação da marca também norteou as presenças da Replas e da Total Polímeros, que possuem em comum operações com as resinas commodities da Sabic e da Petroken (Lyondellbasell). “A feira gera negócios e muitos contatos”, comentou o diretor da Replas Marcelo P. Prando, também distribuidora autorizada da Videolar e da Petroquímica Cuyo. Sua exposição teve por principal foco divulgar antecipadamente a distribuição do BOPP da Videolar, produto previsto para entrar no mercado até o final do ano. Com centro de distribuição localizado em Itajaí-SC, a empresa marca maior atuação nos estados do RS, SC, PR, SP e RJ.

    Plástico Moderno, João Rodrigues, Gerente de negócios, Brasilplast 2011 - Commodities - Distribuição - Mostra exibe um varejo forte

    Rodrigues anuncia diversificação e aposta na produção de compostos

    Há três anos no mercado, a Total Polímeros concentra seus negócios em produtos importados e nas commodities. “Nossa proposta é vender com qualidade, não em quantidade”, ressaltou o diretor Edilson Azeituno. Autorizada Sabic e Petroken, compareceu à Brasilplast a fim de consolidar sua marca no mercado e reunir os clientes. “A feira foi excelente”, resumiu.

    Surpresa – Parceira da Dupont de longa data, a Thathi Polímeros anuncia uma reviravolta ao mercado: abandonou a condição de distribuidora autorizada para assumir a revenda de toda a linha de plásticos de engenharia da Dupont. A empresa também apresentou ao mercado a incorporação de novos parceiros: a Basf (acetais copolímeros) e a japonesa Toray (também acetais copolímeros e PBT). A Thathi também comercializa ABS, PC e poliamidas de alguns fabricantes asiáticos.

    O gerente de negócios João Rodrigues ainda reservou outra novidade para os visitantes da feira. Resolveu diversificar os negócios e firmou parceria, no início deste ano, com a Polyform, uma empresa especializada na produção de compostos de engenharia para a indústria automotiva e terceirizou os seus serviços. “Vamos produzir formulações com os plásticos de engenharia da Basf, da Toray e de outros fabricantes sob a marca Thathi”, revelou.

    Borracha ganha opção verde

    A onda das matérias-primas de origens renováveis chegou às borrachas termoplásticas. A gaúcha FCC comemorou seu pioneirismo no lançamento durante a Brasilplast de um grade que complementa a sua família de elastômeros termoplásticos (TPE) formulado com até 50% de materiais renováveis, de origem vegetal. Para atender a essa demanda, a empresa investiu R$ 10 milhões na instalação de uma unidade junto à sua matriz, em Campo Bom-RS, e na expansão da fábrica de Conceição de Jacuípe-BA, elevando para 10 mil toneladas anuais a sua capacidade de produção de matérias-primasPlástico Moderno, Brasilplast 2011 - Commodities - Borracha ganha opção verde

    O engenheiro Afonso Henrique O. Félix explicou que a combinação de dureza e densidade do produto determina o teor de matérias-primas vegetais. “Dureza mais baixa e densidade mais alta possibilitam chegar mais próximo dos 50%”, exemplificou. Pode ser produzido com durezas entre 50 Shore A e 50 Shore D e com densidade entre 1,0 e 1,1 g/mm³.

    Segundo ele, as fontes vegetais são várias. “E estratégicas.” Com desempenho idêntico em termos de propriedades ao das TPEs convencionais, o produto pode ser igualmente usado nos mesmos processos, e aplicações idem, que se estendem das utilidades domésticas a brinquedos e peças de vedação, entre outras. “Agrega valor por questões de sustentabilidade, mas os custos são os mesmos dos elastômeros convencionais”, ponderou Félix.

    A Kraton, outra conhecida fornecedora de borrachas termoplásticas, direcionou sua participação nesta Brasilplast para anunciar uma reformulação nas suas estratégias de desenvolvimento no mercado sul-americano dos seus elastômeros SBS (copolímero em bloco estireno não hidrogenado) e SEBS (copolímero em bloco estireno hidrogenado).

    Como explanaram os executivos da empresa, a nova proposta consiste em trazer para o país aplicações consolidadas no exterior e apresentar inovações, tendo em vista a diferenciação de produto. “O que estava no universo de ideias, agora se insere em uma realidade comercial”, disse o gerente de vendas para a América do Sul, Marcelo A. Quaiatti.

    Uma potencial aplicação para os produtos da Kraton explorada na Brasilplast foi a substituição do PVC na área médica. Sua indicação abrange bolsas parenterais, com vantagem de ser inerte ao conteúdo e isenta de plastificantes. Também está na pauta disputar com o PVC os segmentos de filmes flexíveis e de cabos.

    Outra aplicação para os copolímeros em bloco consiste em seu uso como aditivos. Entre diversas outras vantagens, os elastômeros podem entrar como modificadores de impacto e ainda conferir transparência e flexibilidade ao polipropileno.

     

    Leia a reportagem principal:



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *