Brasilplast 2009 – Commodities – Arrefecimento da crise aliviou os fabricantes, com exposições focadas em sustentabilidade

Plástico Moderno, Bernardo Gradin, presidente da Braskem, Commodities - Arrefecimento da crise aliviou os fabricantes, com exposições focadas em sustentabilidade
Gradin: importações incomodaram o setor

O presidente da Braskem também avaliou o cenário internacional, com o início de operação adiado, mas iminente, das megaplantas de commodities no Oriente Médio. “Foram postergadas, mas virão muito competitivas no segundo semestre”, ressaltou. O quadro que se delineia gera expectativas de novas quedas nos preços das resinas.

A propósito, Gradin admitiu que as importações incomodaram, atingindo participação de 35%, provenientes principalmente de países da América Latina – Argentina e Colômbia, em particular –, que buscaram novas oportunidades perante a queda na demanda do mercado internacional, em especial dos Estados Unidos e Europa.

Por conta desse cenário, mais os reflexos da parada programada para manutenção da unidade de PVC, em Alagoas, o volume de resinas comercializadas pela Braskem no mercado doméstico recuou 7% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao anterior. O recuo nas vendas internas, porém, foi compensado pela forte alta nas exportações, mais que dobradas em volume, no período.

Um dia antes da divulgação dos seus resultados, o Conselho de Administração aprovou a incorporação da Petroquímica Triunfo pela Braskem, decisão referendada em Assembleia Geral Extraordinária das duas empresas, concluindo acordo de investimentos pelo qual a Petrobras aportou na Braskem suas participações acionárias em empresas petroquímicas.

Foco na sustentabilidade – Nome forte no mercado de commodities, a Dow procurou reforçar sua marca na feira com o lançamento de diversos grades e linhas de produtos, bem como mostrar que o seu projeto de construir uma fábrica com escala mundial de polietilenos no país, utilizando a rota alcoolquímica para a obtenção de etileno, se mantém na lista de prioridades.

Em tempos em que sustentabilidade é a palavra de ordem em âmbito global, a Dow fez questão de empunhar essa bandeira na Brasilplast. De acordo com Eide Francisco Garcia, gerente de produto e mercado de PEAD para a América Latina, as soluções desenvolvidas pela empresa possibilitam reduzir o consumo de matéria-prima e eventuais desperdícios. “A empresa segue o conceito dos três Rs (reduzir, reutilizar e reciclar) e as novidades permitem produzir as mesmas peças ou embalagens com menos resinas”, assegurou.

Os novos produtos beneficiam diversos segmentos. Para injeção, a empresa desenhou dois grades de polietileno linear de baixa densidade, destinados, em especial, ao mercado de embalagens rígidas: o DNDA 1081 e o DNDA 1082, com índices de fluidez mais elevados, sinônimo de maior velocidade de ciclo e produtividade. “Conferem 15% mais produtividade em comparação às resinas similares disponíveis no mercado nacional”, garante Garcia. Os novos polímeros apresentam distribuição de peso molecular estreita e são ideais para a injeção de peças de paredes finas e ciclo rápido.

O novo PEAD Continuum 6650 foi desenvolvido para atender o segmento de bombonas e tambores. Resina bimodal,

Plástico Moderno, Commodities - Arrefecimento da crise aliviou os fabricantes, com exposições focadas em sustentabilidade
Novos grades da Dow permitem reduzir as espessuras dos filmes

proveniente do processo Unipol 2, o produto embute propriedades mecânicas e químicas superiores. Além disso, sua alta resistência à fissuração sob tensão (stress cracking) permite produzir embalagens com menores espessuras de parede.

O segmento de rotomoldagem foi contemplado com uma linha completa de resinas de média densidade ofertadas com pacote de aditivos para cada tipo de uso. Também há opção sem aditivação. Com índices de fluidez de 3,5 a 7, os quatro produtos da série cobrem toda a gama de aplicações, de acordo com Garcia, e ainda conferem 10% de redução no ciclo produtivo, sinônimo de maior produtividade.

A área de tubos consiste em um dos grandes focos de investimentos da empresa, que concebeu o novo 8818 YL-CF, um PE 80, composto amarelo livre de cádmio. “É a única resina do gênero sem metal pesado no Mercosul”, destacou Garcia, reticente em revelar o pacote de aditivos incorporado à formulação. A resina se destina à fabricação de tubos de pressão para distribuição de gás natural.

Um polietileno de alta densidade, o novo grade 90057L, destinado ao segmento de filmes termoencolhíveis, para empacotamento automático ou produção de embalagens stand-up-pouch, entre outros usos, apresenta como grande diferencial o altíssimo controle de gel. “Proporciona maior rigidez ao filme, o que possibilita reduzir sua espessura mantendo as propriedades mecânicas”, explicou Garcia.

Página anterior 1 2 3Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios