Argenplás – Em meio a cenário político controverso exposição diminui de tamanho, mas se mantém como importante plataforma de negócios

Bruno Sommer,  gerente de extrusão para a América Latina. Mas mesmo assim Sommer participou de várias reuniões com os visitantes. Para o mercado de tubos, ele diagnosticou uma grande carência por novas e melhores tecnologias. “Consultas apareceram, porém neste momento fica difícil concretizar algum negócio devido à situação da importação na Argentina”, relatou. Aliás, o gerente ressaltou que queria deixar claro ao público que a companhia possui um representante local e que continua apostando no potencial do mercado argentino. “Acreditamos que esta situação é passageira. Provavelmente voltaremos, sim, a expor na Argenplás”, concluiu.

No estande de sua representante local, a Simko, a alemã Coperion divulgou a nova versão MC 18, da linha de extrusoras dupla rosca corrotantes para compostos ZSK. Produzida na Alemanha, ela traz como novidade o seu torque, que foi aumentado para 18 Nm/cm³. “Essa é a máquina com maior torque disponível no mercado mundial”, destacou o gerente de vendas Marcelo Albernaz.

Segundo ele, a máquina ficou mais robusta, com coeficiente de segurança mais alto e maior vida útil. “Para materiais duros e plásticos de engenharia, o modelo consegue produzir 30% a mais, com o novo torque”, completou. Por exemplo, para compostos de PA, uma máquina pequena, como a de 70 mm, pode produzir até 3 toneladas/ hora. A versão antiga chegava no máximo a 2,4 t/h.

Outra inovação apresentada na feira era um dispositivo feito para alimentação de pó fino na máquina. Segundo Albernaz, trata-se de um sistema que consegue criar um vácuo no processo, triplicando assim o percentual de alimentação, principalmente, no caso de talcos. “Esse sistema foi desenvolvido para atender o mercado automobilístico, que pede soluções para utilizar talcos cada vez mais finos”, afirmou.

Sopro– De origem italiana, a Magic MP é mais conhecida por suas linhas elétricas, mas levou para operar no seu estande a IBL5/D, uma sopradora híbrida, com mesa dupla, para produção de frascos de cinco litros. No local, fazia 450 peças por hora. A máquina foi desenvolvida em 2005, no entanto, sofreu modificações ao longo dos anos; as mudanças

Plástico, Argenplás - Em meio a cenário político controverso exposição diminui de tamanho, mas se mantém como importante plataforma de negócios
Sopradora produziu durante o evento 450 peças/hora

mais recentes são alusivas às melhorias na parte eletrônica. O modelo é para ciclos curtos e consome 55 kW por hora. Na ocasião, a máquina operava em linha com um moinho da Tria, fabricante também italiana, mas com filial brasileira (em VinhedoSP). O periférico apresenta baixo consumo de energia e conta com câmara de moagem resistente à abrasão, entre outras características.

Indicada para o transformador de médio e pequeno porte (ou seja, bem o perfil do argentino), a sopradora da Magic se configura como uma das mais vendidas no país. No parque industrial da Argentina são cerca de 70 máquinas instaladas da fabricante italiana. No Brasil, a empresa passou a atuar no ano passado, com um representante local. Desde então, foram comercializadas sete máquinas, todas elétricas. De acordo com Francisco Scola, gerente de vendas da Magic, até o final do ano, a previsão é de

Plástico, Roberto Guazzelli, gerente regional de vendas, Argenplás - Em meio a cenário político controverso exposição diminui de tamanho, mas se mantém como importante plataforma de negócios
Roberto Guazzelli visava à aproximação com o transformador argentino

entregar mais quatro modelos.

A participação da Nissei ASB Sudamerica foi institucional. Sem máquina no estande, o gerente regional de vendas, Roberto Guazzelli, ali estava para reforçar a boa relação da empresa com o mercado argentino. No ano passado, a Argentina respondeu por entre 10% e 15% das vendas relativas à América do Sul. O Brasil foi responsável por algo em torno de 60%. “Com a barreira de importação do governo argentino, que vem a longo prazo, mas se intensificou há seis meses, a tendência é que haja um aumento da produção local”, disse Guazzelli.

Na ocasião, falou da ASB 50MB, a máquina mais vendida da fabricante na Argentina. Versátil, o modelo atende às exigências do transformador iniciante. “Serve para começar uma produção”, comentou. Segundo ele, o modelo oferece uma ótima relação custo/ benefício, troca rápida de molde e versatilidade. Com até seis cavidades de injeção e seis de sopro, produz desde 10 ml até 2,5 litros.

A sopradora UK 20/6 EP estava funcionando no estande da fabricante argentina Unopack. O modelo é um lançamento e foi desenvolvido para o mercado local. Capaz de produzir 800 garrafões de cinco litros por hora ou 2.200 frascos de dois litros por hora de PET, a máquina se pauta no seu alto grau de automatização, mas o ponto alto é a sua versatilidade, já que produz garrafões e garrafas.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios