Embalagens

Agentes de purga – Produção local aplica nanotecnologia

Antonio Carlos Santomauro
1 de fevereiro de 2021
    -(reset)+

    Plástico Moderno - Pré-formas de PET: contaminações são facilmente visíveis ©QD Foto: Divulgação

    Pré-formas de PET: contaminações são facilmente visíveis

    Atento à variação cambial e às muitas dificuldades do processo de importação para o Brasil, na passagem do ano passado para este ano, Paulo Stefano, CEO da Freedom Soluções Plásticas, decidiu lançar um produto de fabricação própria no mercado de agentes de purga, no qual então atuava com produtos trazidos da Espanha. Montou uma fábrica em Jarinu-SP na qual agora fabrica o agente de purga comercializado com a marca Freepurge ANPC. “Ainda bem que tomei essa decisão, se ainda estivesse trabalhando com produtos importados minha situação estaria bem difícil”, diz Stefano.

    Assim como o agente de purga com o qual a Freedom trabalhava até o ano passado, o Freepurge ANPC é uma emulsão que pode ser adicionada a qualquer resina processada em temperaturas entre 120ºC e 350ºC. Tem uma característica que Stefano qualifica como “uma inovação” no mercado mundial de agentes de purga: ativos nanométricos que ampliam sua capacidade de penetração em todos os recantos que precisam ser limpos. “Basta adicioná-lo em concentrações muito pequenas, de 1%, no máximo 2%”, afirma Stefano.

    Plástico Moderno - Agentes de purga - Produção local aplica nanotecnologia ©QD Foto: Divulgação

    Paulo Stefano, CEO da Freedom Soluções Plásticas

    Esse agente, ele assegura, é eficaz mesmo em processos nos quais é mais complexa a limpeza das máquinas, caso da moldagem por sopro, cujos equipamentos têm uma configuração interna – geralmente com um acumulador de resina e uma configuração específica de matriz – propícia para o acúmulo de grande quantidade de material carbonizado e com resíduos de cores. Mas, na opinião de Stefano,“qualquer segmento da indústria plástica que tem troca de cores, se não usa um aditivo de purga eficiente, está jogando dinheiro fora”.

    Em seu portfolio, a Freedom mantém também um aditivo para eliminação de pintas pretas, denominado Freepoint. “Ele serve para paradas e partidas. Não é expansivo, evita a carbonização, sendo portanto mais indicado para as evitar pintas pretas”, enfatiza o CEO da empresa.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *