Máquinas e Equipamentos

Adaptação à indústria 4.0 exige desenvolver estratégia adequada

Antonio Carlos Santomauro
6 de outubro de 2018
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Automação pede interconectividade e aplicação de robôs

    Automação pede interconectividade e aplicação de robôs

    A automação das operações e processos, e sua integração em sistemas capazes de se ajustar de maneira inteligente às demandas, com o mínimo possível de intervenção humana, constituem propostas básicas do conceito da ‘Indústria 4.0’ (que pressupõe também outras tecnologias de ponta, como internet das coisas, big data e computação em nuvem). E, em escala bastante intensa, esse conceito é hoje reputado como principal diretriz da trajetória evolutiva das atividades fabris – inclusive, das atividades dos transformadores de plástico, tanto provedores de produtos prontos para o consumo quanto integrantes de outras cadeias produtivas nas quais ele também se consolida.

    No Brasil, a conjuntura econômica desfavorável dos últimos anos tornou ainda mais adverso o ambiente tradicionalmente pouco propício aos investimentos nas atividades industriais; mas, ao mesmo tempo em que registram uma queda de preços natural nos mercados que amadurecem, as tecnologias inerentes à Indústria 4.0 – tanto hardware quanto software – também se tornam objetos de modalidades comerciais capazes de tornar mais viável sua aquisição.

    Para a automação, especificamente, é necessário considerar investimentos em duas frentes, observa José Rizzo, CEO da fabricante de robôs colaborativos e desenvolvedora de soluções de internet industrial Pollux. Uma delas para a conectividade dos dados dos equipamentos, que através de sensores devem mostrar as condições de operação de cada um deles, transmitir informações para as demais máquinas, permitir comparações entre seus desempenhos. A outra, expressa nos próprios equipamentos, no caso dos transformadores de plástico hoje materializada principalmente em braços robóticos dedicados a realizar tarefas repetitivas, ou em robôs móveis que transferem produtos e insumos de um local para outro.

    Plástico Moderno, Rizzo: automação pede interconectividade e aplicação de robôs

    Rizzo: automação pede interconectividade e aplicação de robôs

    Os braços robóticos, detalha Rizzo, realizam mais comumente tarefas como a retirada peças de injetoras – uma de suas aplicações mais usuais –, ou o posicionamento de produtos para a formação de paletes. “Mas muitos processos de manipulação de produtos extrudados, no acabamento, por exemplo, podem ser feitos por robôs”, enfatiza Rizzo, que também preside a ABII (Associação Brasileira de Internet Industrial).

    Atualmente é possível automatizar todos os processos de uma empresa de transformação de plástico, destaca Vinicius Oliveira, especialista em termoplásticos do Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros. “Essa automação pode assumir diversas arquiteturas, começando pelas já conhecidas combinações entre CLPs (Controladores Lógicos Programáveis) e IHMs (Interfaces Homem Máquina), chegando a complexos sistemas em redes, dotados de sistemas analytics – que armazenam dados e controlam as operações de processos específicos – e de Sistemas de Execução da Manufatura (conhecidos pela sigla MES), com os quais é possível gerenciar, em tempo real, toda uma planta produtiva”, detalha.

    Outro especialista do Senai, Bruno Trasatti, do Instituto de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica, observa que, integrando-se a um sistema MES máquinas dotadas de sensores capazes de mensurar diversas grandezas, como temperatura, características dos materiais e das ferramentas, vibração, consumo de energia, entre outras, é possível agir de forma imediata para executar iniciativas como correções na qualidade do produto ou concentração da produção em horários nos quais os custos da energia terão menor impacto no processo. “Existem sistemas de simulação, ou de virtualização da manufatura, que ajudam a identificar o melhor equipamento para começar a aplicar sistemas de sensoriamento”, ressalta Trasatti.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *