Plástico

A indústria do plástico no combate ao Coronavírus – ABIPLAST

Jose Ricardo R. Coelho
18 de maio de 2020
    -(reset)+

    Economia Circular e a reciclagem 

    Plástico Moderno -

    José Ricardo Roriz Coelho

    Nos últimos anos, a Economia Circular entrou no centro do debate e tem sido incorporada na estratégia de diversos atores da sociedade, gerando movimentação e reavaliação de comportamentos de consumo e de processos produtivos.

    Apesar de a reciclagem ser apenas um tópico a ser aprofundado neste universo, descrevemos alguns pontos interessantes e ilustrativos sobre o horizonte positivo:

    US$ 1 trilhão em 10 anos – O novo sistema deve movimentar algo em torno de US$ 1 trilhão no mundo nos próximos dez anos, segundo números do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS).

    Reciclagem – Dados da Fundação Instituto de Administração (FIA), da FEA-USP, mostram que 25,8% das embalagens plásticas e produtos equiparáveis são reciclados. Caso os 74,2% restantes fossem efetivamente reciclados, estima-se um impacto econômico positivo de aproximadamente R$ 11 bilhões.

    Indústria na proa – A indústria do plástico é indutora da inovação, o elemento a puxar toda a transformação do velho modelo, já que atende mais de 95% de toda a matriz industrial. De fato, a inovação nos demais setores passa pela inovação do plástico, seus produtos e derivados.

    O papel do reciclador – A economia circular não se resume à reciclagem, mas esta é fundamental na dinâmica do novo modelo. O reciclador é responsável por levar os resíduos novamente ao processo produtivo e desempenha um importante papel na Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS). A circularidade de processo é viável e, por isso, se enquadra nos novos padrões de produção e consumo sustentáveis.


    José Ricardo Roriz Coelho é presidente da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico e do SINDIPLAST – Sindicato Indústria Material Plástico Estado São Paulo, e vice-presidente da FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

    Texto: José Ricardo Roriz Coelho



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *