Chapas e Perfis

A importância da informação técnica na tomada de decisões – IBPVC

Miguel Bahiense Neto
25 de outubro de 2020
    -(reset)+

    Plástico Moderno - A importância da informação técnica na tomada de decisões - IBPVC ©QD Foto: iStockPhoto

    Uma das funções mais importantes exercidas pelo Instituto Brasileiro do PVC em todos esses anos de atuação é a de buscar, atualizar e divulgar as informações técnicas e científicas sobre o PVC, sua composição, suas aplicações e benefícios. É com base nessas informações que os diversos segmentos da economia podem se beneficiar do PVC efetivamente, gerando qualidade, segurança, eficiência e economia.

    Podemos lembrar, cito aqui alguns exemplos do envolvimento do Instituto em questões setoriais. Nos anos 90, fomos incisivos na atuação junto ao setor de brinquedos e nosso trabalho de informar e de apresentar dados científicos resultou no Termo de Compromisso para Segurança do Brinquedos, assinado com a Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos) e com IQB (Instituto da Qualidade do Brinquedo) e que, até hoje, determina como o PVC deve ser usado por essa indústria de maneira segura às crianças, respeitando as normas técnicas de qualidade.

    Outro exemplo foi o trabalho realizado junto à indústria calçadista em meados de 2012. Reforçando a ideia de que não havia legislações no mundo que proibissem ou restringissem o uso de ftalatos no setor, atuamos junto ao Comitê Brasileiro de Couro, Calçados e Artefatos de Couro (ABNT/CE 011 200 003 – Conforto de Calçados – da ABNT/CB-011) oferecendo informações técnicas que foram suficientes para a comissão perceber que seria um equívoco citar restrições ou banimento dos ftalatos nas normas ABNT NBR 16034:2012 (Determinação de conforto em componentes para calçados – solados), ABNT NBR 16036:2012 (Determinação de conforto em componentes para calçados – palmilhas) e ABNT NBR 16037:2012 (Determinação de conforto em componentes para calçados – forros).

    Plástico Moderno -

    Miguel Bahiense é graduado em Engª Química (UFRJ), pós-graduado em Comunicação Empresarial (FAAP-SP) e é presidente do Instituto Brasileiro do PVC

    Depois disso, em 2018, voltamos a compartilhar informações técnicas e científicas com o Comitê Brasileiro de Couro, Calçados e Artefatos de Couro. Desenvolvemos especialmente para esse Comitê um estudo dos impactos da adoção da legislação europeia Reach (regulamento europeu relativo ao registro, à avaliação, à autorização e à restrição das substâncias e misturas químicas) na cadeia produtiva do PVC no Brasil e, a partir daí, foi unânime o entendimento sobre a necessidade dessa cadeia produtiva contar com um período para a sua adaptação, no atendimento das novas normas, que usarão como referência o Reach.

    O Instituto também tem atuação junto ao Comitê Brasileiro de Segurança Contra Incêndio, promovendo e traduzindo estudos técnicos, para que a norma ABNT NBR 16626:2017, de classificação da reação ao fogo de produtos de construção, reflita outras já em vigor, como a norma de desempenho ABNT NBR 15575. O mesmo para a ABNT NBR 16841:2020, sobre o comportamento ao fogo de telhados e revestimentos de cobertura submetidos a uma fonte de ignição externa. Estamos trabalhando junto a esse comitê para que as informações da ISO TR 20118 (Plastics — Guidance on fire characteristics and fire performance of PVC materials used in building applications) sejam disponibilizadas no Brasil como uma norma da ABNT.

    Na Construção Civil, dialogamos constantemente com diversos atores que atuam na certificação de edificações sustentáveis, tal como o Green Building Council Brasil (GBC Brasil) que realiza a certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design e do qual o Instituto Brasileiro do PVC é associado, para evidenciar que o PVC é seguro, eficiente e sustentável.

    Também participamos, juntamente com entidades internacionais, como o The Vinyl Institute e o European Council of Vinyl Manufacturers (ECVM), de discussões junto ao Cradle to Cradle™, mostrando as características do PVC como um produto seguro, sustentáveis e desenvolvidos com base no conceito de economia circular, a fim de mantê-lo fora da lista de produtos restritos.

    Se hoje o PVC é reconhecido e amplamente utilizado por sua eficiência, versatilidade, segurança economia, é porque há um intenso e permanente trabalho de disseminação de informações cientificas comprovadas, que realizamos ao longo dos anos. Isso, aliado aos da cadeia produtiva em pesquisa e desenvolvimento faz com que o PVC e suas aplicações possam seguir contribuindo para o desenvolvimento socioambiental.

    Miguel Bahiense é graduado em Engª Química (UFRJ), pós-graduado em Comunicação Empresarial (FAAP-SP) e é presidente do Instituto Brasileiro do PVC

    Plástico Moderno -

    Instituto Brasileiro do PVC.

    Instituto Brasileiro do PVC – Existimos para reunir e promover conhecimento técnico-cientifico sobre este material versátil e cheio de atributos, com a crença de que através da versatilidade do PVC podemos oferecer soluções sustentáveis para a saúde, habitação e bem-estar.
    Nosso propósito é disseminar a correta percepção da sustentabilidade do PVC na sociedade.
    Mais informações: https://pvc.org.br/



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *