Feiras e Eventos

5 de junho de 2017

Troca rápida aumenta produtividade – Feira Plástico Brasil

Mais artigos por »
Publicado por: Antonio Carlos Santomauro
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Comando eletrônico permite preparar melhor a troca dos moldes

    Comando eletrônico permite preparar melhor a troca dos moldes

    Fabricantes de diferentes gêneros de equipamentos uniram produtos e expertises para exibir na Plástico Brasil um método de troca de moldes de injetora em tempo inferior a 10 minutos. Denominado SMED (Single Minute Exchange of Die), ele contou com um estande específico, onde operadores executavam as trocas de moldes enquanto instrutores do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e profissionais das empresas participantes do projeto explicavam e detalhavam o processo.

    De acordo com Ricardo Braghittoni, gerente de vendas da Stäubli, em uma empresa razoavelmente bem preparada para essa tarefa, uma troca de molde pode levar mais de 40 minutos. Apenas substituindo os conectores individuais por um sistema de multiconexão é possível reduzir esse tempo para algo entre 20 e 25 minutos. “E com todo o método SMED esse tempo pode cair muito mais, até mesmo para menos de quatro minutos”, garante o profissional da Stäubli (empresa que forneceu para a demonstração produtos como as placas magnéticas que fixam os moldes através de comandos na interface homem-máquina e placas de multiacoplamentos para conexão simultânea de diversas vias de refrigeração).

    Segundo ele, trocas demoradas de moldes não significam apenas mais tempo de paralisação dos processos, mas também desperdício de energia (pois durante esse tempo a máquina permanece ligada). “E a troca rápida pode mudar até o modelo comercial da empresa, pois viabiliza também a venda de lotes menores de produtos”, argumenta.

    Plástico Moderno, Placas magnéticas e parafusos com menos voltas têm vantagens

    Placas magnéticas e parafusos com menos voltas têm vantagens

    Um processo perfeitamente elaborado de troca rápida, lembra o profissional da Stäubli, inclui ainda o set up externo, com aquecimento prévio do molde que entrará na máquina. “Isso diminui ainda o desperdício de peças, pois a primeira delas já sai perfeita”, acrescenta Braghittoni.

    Além das placas magnéticas para fixação de moldes e de placas de multiacoplamentos fabricados pela Stäubli, no estande da troca rápida de moldes havia também, entre outros itens, uma talha dupla que permitia o carregamento de um molde simultaneamente à retirada do outro (produzido pela Berg Steel). Romi, Piovan, e Previsão, também cederam equipamentos para a demonstração.

    A eliminação do desperdício, ressalta Braghittoni, é o cerne do método SMED. “Dar vinte voltas em um parafuso para fixar um componente é desperdício de tempo, pois o aperto é efetuado apenas pelo último quarto de volta”, exemplifica. “O SMED é um conceito muito amplo, pode ser aplicado a qualquer processo em que ocorra troca de ferramentas: estamparia (troca de estampos), solda robotizada (troca de pinças de solda e berços de soldagem), montagem (trocas de berços e manipuladores), pintura (troca de pistolas e gancheiras), entre outros”, finaliza.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *