Máquinas e Equipamentos

9 de junho de 2017

Transformação: Termoformagem a vácuo une versatilidade e baixo custo

Mais artigos por »
Publicado por: Plastico Moderno
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Furos, rasgos e rebaixos são feitos sem intervenção manual

    Furos, rasgos e rebaixos são feitos sem intervenção manual

    Texto: Alexandre Farhan

    O mundo dos plásticos é povoado por processos de transformação diferentes: injeção, extrusão, sopro, rotomoldagem e vacuum forming, entre outros. Cada um deles é capaz de oferecer produtos distintos e com características específicas.

    Dentre os processos citados, o vacuum forming (ou termoformagem a vácuo) está se destacando por conta de sua versatilidade e baixo custo do ferramental. Uma das formas de entende-lo melhor é observar o mercado americano em vários aspectos:

    • Pioneirismo nesse segmento

    • Facilidades como custo acessível e agilidade na fabricação de moldes

    • Demanda diversificada dos produtos

    • Grande variedade de matérias-primas

    • Ciclo de vida do produto reduzido no mercado, pois lá a competitividade exige inovações e diferenciais de mercado constantes

    Por conta destas características, os produtos de vacuum forming são bem aceitos por engenheiros, designers de produtos, projetistas e principalmente pelo mercado. No Brasil, essa técnica de transformação ainda está engatinhando – quando comparada ao estágio atual do mercado dos EUA – e precisa ser melhor compreendida.

    No mercado brasileiro, persistem falhas de projetos em moldes e escolhas equivocadas de tipos de materiais. De fato, carecemos de uma boa engenharia nesse segmento e as empresas que dominam a tecnologia são raras. Na grande maioria das pequenas e médias empresas, tanto os empresários como a mão de obra do chão de fábrica e os processistas carecem de qualificação.

    Plástico Moderno, Router CNC usina, corta e esculpe diversos materiais

    Router CNC usina, corta e esculpe diversos materiais

    Podemos citar um case, com o diretor da empresa Brawel, fabricante de máquinas para termoformagem à vácuo, o engenheiro André Bordignon, que se deparou com um problema de um cliente do segmento de equipamentos para fitness (preparação física), no qual produzia esteiras ergométricas. A tampa da frente das esteiras era fabricada por vacuum forming, usando resina PSAI (poliestireno de alto impacto), mas a peça apresentava problemas de quebras e trincas com elevada frequência.

    Avaliando o caso, foi constatado que o problema era gerado pelas fortes vibrações do equipamento e pelas pisadas acidentais por parte dos usuários, alguns obviamente necessitando perder peso.

    O cliente já estava propenso a substituir o processo de fabricação pela técnica de injeção, arcando com um custo muito mais elevado, quando se apontou como solução a simples troca do PSAI por polietileno.

    Nesse cenário, a empresa resolveu iniciar a fabricação de máquinas de vacuum forming nos EUA, onde houve grande aceitação do equipamento e o grau de conhecimento da técnica pelos clientes é bem superior ao do mercado nacional, além da mão de obra qualificada e da grande variedade de resinas disponível, mostrando um mercado maduro para este processo, decorrente do conhecimento adquirido com o tempo.

    Podemos citar alguns produtos técnicos interessantes e de altíssima qualidade encontrados nos EUA, fabricados por meio desse processo: piscinas, hot tubs (banheiras), front store, customização de veículos comerciais, brinquedos públicos, alimentadores para animais, carenagens de equipamentos, telhas, entre outros.

    Alguns destes produtos também são fabricados no Brasil, mas não em grande escala, com um mercado ainda muito restrito.

    No passado, as peças produzidas por vacuum forming necessitavam de um processo adicional, denominado operação de corte. Isto é, após moldadas, algumas peças precisavam ser “cortadas” no tamanho final em equipamentos manuais.

    Atualmente, existem robôs e Routers CNC que efetuam esses trabalhos, antes manuais, mas agora podem ser realizados em grandes velocidades e com perfeição, viabilizando ainda mais a utilização desse processo.

    Com a popularização dos Routers CNC, por conta dos custos mais acessíveis, além de a máquina fazer a operação de corte, ela pode também efetuar furos, rasgos, rebaixos, roscas e outros detalhes nas peças de forma rápida e precisa, eliminando a mão de obra e trabalhos manuais. Em muitos casos a própria máquina que efetua a operação de corte, fabrica o molde.

    Os moldes de vacuum forming são conhecidos por possuírem custos relativamente baixos comparados aos moldes utilizados nos demais processos de transformação de produtos plásticos, principalmente os de injeção. É comum encontrar moldes para essa técnica feitos de resinas poliéster, epóxi ou madeira MDF para lotes pequenos e, em alguns casos, até mesmo de gesso, que será usado poucas vezes, caso dos itens para o carnaval. Já para as produções em larga escala, os moldes utilizados são feitos de alumínio.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *