Ferramentaria Moderna

7 de junho de 2016

Transformação – Proteção de molde: como regular

Mais artigos por »
Publicado por: Plastico Moderno
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Transformação - Proteção de molde: como regular

    Alexandre Farhan administrador de empresas e técnico em plásticos pelo Senai-SP

    Texto: Alexandre Farhan

    Alexandre Farhan administrador de empresas e técnico em plásticos pelo Senai-SP, com 30 anos de atuação no setor. Atualmente, é diretor da Escola LF, especializada na formação de profissionais para a indústria de transformação plástica pelos processos de injeção, sopro e extrusão. www.escolalf.com.br – alexandre@escolalf.com.br

    Atualmente, imersas na enorme crise que assombra o país, as empresas que não reduzirem custos, desperdícios e avarias em seus equipamentos e ferramentas estarão correndo um sério risco de desaparecer do mercado. Um dos itens causadores de enormes prejuízos com quebras das ferramentas é a falta de conhecimento para regular corretamente a proteção dos moldes.

    É extremamente necessário conhecer o processo de injeção como um todo, bem como efetuar corretamente as diversas regulagens no que diz respeito aos moldes de injeção para que não haja contratempos indesejados, como moldes amassados, quebra de placas, pinos, gavetas, machos e excesso de intervenções de manutenção, ocasionando um aumento indesejável nos gastos da empresa.

    Ferramentas caras e delicadas, os moldes são partes integrantes do processo de injeção, portanto vale a pena dar a eles uma atenção especial. Milhões são investidos em moldes de injeção de diversos segmentos, como automotivo, linha branca, brinquedos, hospitalar, utensílios domésticos, entre outros. Em todos eles, a necessidade da redução de custos, ciclo da máquina e aumento da qualidade e produtividade são fundamentais.

    No atual cenário, a tecnologia tem proporcionado grandes avanços nos maquinários, dispositivos, periféricos e principalmente nos moldes de injeção. Em contrapartida, não podemos contar com a evolução e disponibilidade de cursos e oportunidades de aprendizado voltados para essa área, visto que é assunto relativamente novo em nosso país e as literaturas mais ricas existentes normalmente se encontram em língua estrangeira, fugindo ainda mais da realidade vivida por nós brasileiros.

    Em razão disso, sempre encontramos complicadas situações de entendimento dos complexos painéis das máquinas, principalmente aquelas importadas com idioma estrangeiro, sem a devida tradução, dificultando ainda mais a vida de reguladores, técnicos e preparadores de máquinas.

    Esse despreparo ocasiona muitas vezes a quebra de moldes, pinos, gavetas e machos hidráulicos, além de placas e cavidades amassadas entre outras partes, muitas vezes, pela falta de conhecimento em regular esse recurso, chamado popularmente de proteção de moldes ou, simplesmente, porque esses profissionais desconhecem a existência do mesmo.

    Trata-se de recurso disponível em todas as máquinas injetoras, das mais antigas às mais modernas, nacionais e importadas, porém, devido à falta de padronização dos painéis, das nomenclaturas e do conhecimento para regular esse recurso, muitos moldes são amassados e danificados, gerando manutenções complexas e demoradas, acarretando custos, produções paralisadas e enormes prejuízos para as empresas.

    Ao ingressar numa empresa, dificilmente o profissional recebe instruções suficientes para enfrentar os problemas do dia a dia relacionados com os delicados equipamentos e ferramental, sendo que em alguns casos, funcionários são até mesmo dispensados pela empresa com base nos prejuízos causados.

    Ao se realizar o set-up da máquina injetora, no momento da preparação da máquina, a regulagem da proteção de molde é fundamental e deve ser criteriosamente executada, observando procedimentos, seguindo passo a passo sua regulagem para que seja efetiva.

    A proteção de molde é algo que jamais deve ser confundido com as proteções do operador. A regulagem dessa proteção sempre protegerá única e exclusivamente o molde. Para o operador existem dispositivos, proteções, distâncias de segurança e atualmente devem ser seguidas as rigorosas normas de trabalho, caso da NR-12.

    Um dos primeiros passos antes de iniciar uma regulagem de proteção de molde, é identificar fragilidades, pinos e gavetas que são partes móveis dos moldes utilizadas para realizar nos produtos alguns detalhes negativos, ou furos laterais, rebaixos, roscas internas e outras exigências que impeçam a extração do produto.

    Para se regular a proteção de moldes, devemos seguir rigorosamente os cinco passos seguintes:

    1º Passo: Verificar a posição do início de proteção de moldes. Essa posição deve ser regulada antes de o pino guia entrar na bucha guia, ou do pino inclinado entrar no furo da gaveta. Devem ser observadas as posições de cunhas, machos, enfim, leva-se também em conta o bom senso e a experiência do técnico ou preparador de máquinas para casos de pinos guias serem demasiadamente longos e que prosseguir a regulagem sem considerar esse tipo de detalhe será perda de tempo, pois o molde permanecerá desprotegido.

    Plástico Moderno, Transformação - Proteção de molde: como regular

    A proteção de molde deverá entrar nesse momento, antes do pino guia entrar na gaveta. Imagem retirada de um vídeo do Youtube:
    https://www.youtube.com/watch?v=qkfCYw5VFVA

    2º Passo: Regular a pressão de proteção de molde. Normalmente a máquina fechará e travará o molde com elevada pressão e esmagará o que ele encontrar pela frente, seja uma peça, um galho, uma ferramenta ou a mão do operador. Para tanto, as injetoras contam com um recurso chamado pressão de proteção do molde. Deve-se regular essa pressão para que seja a mais baixa possível, evitando que tenha força para esmagar tudo aquilo que o molde encontrar quando estiver fechando. Existem máquinas que conseguem promover o fechamento com a pressão de proteção do molde igual a zero. Se for esse o caso, deve-se deixar essa pressão zerada.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *