Máquinas e Equipamentos

9 de junho de 2009

Termoformagem – Expositores demonstram confiança em recuperação e apresentam novidades

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Termoformagem - Expositores demonstram confiança em recuperação e apresentam novidades

    Stark, da brasileira TAC, tem carenagem plástica termoformada

    As tecnologias em termoformagem chamaram a atenção dos visitantes da 12ª. Brasilplast. Quem percorreu a feira à procura de novidades, ficou admirado com as formas arrojadas do esportivo brasileiro, totalmente termoformado, exposto no estande giratório da Sabic Innovative Plastics, e com previsão de fabricação para 2010. Com alto desempenho tanto para tráfego urbano como off-road, o veículo Stark 4WD, como foi batizado pela fabricante, a Tac – Tecnologia Automotiva Catarinense, de Joinville-SC, atraiu grande público no estande da antiga GE Plastics, hoje com nova razão social e pertencente à Petroquímica Saudita Saudi Basic Industries Corporation, que tem 70% do seu capital controlado pela família de príncipes árabes Saudi.

    Para chegar ao projeto final, ou pelo menos à última versão desse veículo movido a diesel, toda a carenagem foi construída com termoplásticos de engenharia flexíveis, leves e altamente resistentes da Sabic, com tecnologia de processamento da brasileira MVC.

    O gerente-geral da área automotiva da Sabic na América do Sul, Edson R. Simielli, explicava sobre o Stark 4WD aos que paravam no estande: “Afora a estrutura em metal tubular, todas as peças são termoformadas, desde os paralamas e ponteiras dos parachoques em Noryl PPX, blenda de PPO e PP, até os acabamentos dos capôs e as portas, a decidir entre Cycoloy, blenda de PS e PC, e Xenoy, sendo mais provável que se faça a opção pela última blenda.”

    Fincar raízes nos emergentes – A presença da alemã Kiefel no Brasil, com filial desde agosto de 2008, ajuda a reforçar a tese de que a termoformagem possa alçar vôos mais altos no mercado brasileiro e sul-americano nos próximos anos. Com oito subsidiárias – Holanda, República Tcheca, França, China, Estados Unidos, Rússia, Áustria, sendo a mais recente em território brasileiro –, a empresa alemã também planeja abrir em breve nova filial na Índia.

    “A estratégia de estabelecer bases subsidiárias técnicas em mercados emergentes vem se concretizando e, no caso do Brasil,

    Plástico Moderno, Patrick Claassens, gerente-geral da Kiefel do Brasil, Termoformagem - Expositores demonstram confiança em recuperação e apresentam novidades

    Claassens: refrigeração, carros e a estabilidade atraíram a Kiefel

    estávamos observando há seis ou sete anos os níveis de estabilidade econômica do país, somados à presença local maciça de todos os principais fabricantes de refrigeradores do mundo, setor que, juntamente com o automotivo, são aqueles nos quais temos forte presença e atuação”, revelou Patrick Claassens, gerente-geral da Kiefel do Brasil.

    Para atender o setor de refrigeração, na produção de gabinetes, revestimentos internos e portas de refrigeradores, a empresa oferece ao mercado máquinas da série KIV/KID.

    Providas de servomotores e motores trifásicos para todos os movimentos e também de elementos de aquecimento a quartzo com controle de temperatura de ciclo fechado, essas máquinas por meio de pirômetros asseguram temperaturas constantes de filmes/chapas. Dotadas de sistemas a vácuo/ar comprimido, também liberam ar dos moldes, utilizando válvulas de controle e válvulas proporcionais. Os equipamentos também saem de fábrica com sensores a laser para definir de maneira precisa a altura do pré-tensionamento de filmes/chapas.

    Segundo Claassens, uma das grandes vantagens das termoformadoras para refrigeradores está na redução dos tempos de processamento – até 36 segundos/ciclo para produzir revestimentos internos e 18 segundos/ciclo para fabricar revestimentos de portas.

    As aplicações típicas incluem a manufatura de componentes como revestimentos internos, externos e de portas de refrigeradores em PS ou ABS, mas vários componentes como painéis também podem ser processados com PVC ou PET.

    Também estão disponíveis as termoformadoras em linha para processamento de revestimentos internos de refrigeradores e que podem ser configuradas com moldagens a vácuo ou moldagens combinadas por pressão/vácuo e também com técnica de pré-sopro ou pré-sucção, usada para pré-tensionar os filmes/chapas.

    Já as máquinas para revestimentos de portas de refrigeradores, segundo o gerente-geral da Kiefel, podem contar com estação de aquecimento principal e com elementos de aquecimento a quartzo, condições consideradas mais eficientes para operar.


    Página 1 de 41234

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *