Notícias

15 de janeiro de 2012

Notícias – Petroquímica de triunfo dobrará produção até 2014

Mais artigos por »
Publicado por: Plastico Moderno
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Em cerimônia no Palácio Piratini, sede do governo do Rio Grande do Sul, a  Petroquímica Innova assinou um protocolo de intenções, ao final de 2011, que garantirá a ampliação da planta da empresa no Polo Petroquímico de Triunfo (RS). A assinatura contou com a presença do governador Tarso Genro, do secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik, e da diretora-presidente da companhia, Margareth Feijó Brunnet.

    Com o investimento estimado em US$ 250 milhões, a empresa controlada pela Petrobras vai duplicar a sua capacidade de produção anual de etilbenzeno e de estireno no Rio Grande do Sul, atualmente assim distribuída: 270 mil toneladas de etilbenzeno e 260 mil toneladas de estireno. “É um investimento fundamental para adensarmos a nossa cadeia produtiva da indústria petroquímica”, afirmou o governador Tarso Genro.

    A projeção é que a nova planta esteja em plena operação no segundo semestre de 2014. Como se trata de uma ampliação, ela vai gerar apenas dez empregos diretos e 150 indiretos ligados à operação, mas o volume de novos postos de trabalho deve crescer à medida que os clientes ampliarem as compras de matéria-prima e também aumentarem a sua produção. “O apoio do governo do estado nos assegura a realização deste investimento, que é um passo importante do processo de expansão da companhia. É um divisor de águas”, afirmou Margareth.

    Também presente na reunião, o gerente de petroquímicos da Petrobras, André Luís de Souza Pinto, informou que a duplicação da Innova é o segundo maior investimento da estatal de petróleo no setor petroquímico. “Estamos fazendo uma corrida para o mercado. Esta duplicação é uma âncora para novos investimentos”, disse o gerente de Projetos Petroquímicos da Petrobras.

    O petroquímico é um dos setores estratégicos da atual política de desenvolvimento do Estado. “Trata-se de um setor já enraizado na economia gaúcha. Nós estamos apoiando a economia tradicional com a mesma intensidade com que estamos prospectando oportunidades na chamada nova economia”, explica Knijnik.  De acordo com o presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Marcus Coester, o investimento da Innova se integra à matriz produtiva do estado. “Tem o poder de atrair novos investimentos e complementar a nossa cadeia produtiva”, disse Coester.

    A Innova é a única planta integrada para a produção de estireno e poliestireno no Brasil. Aportou em solo gaúcho nos anos 90, período em que pertencia ao grupo argentino Perez Companc. Como o grupo foi absorvido pela Petrobras Energia, braço portenho da estatal brasileira, seu poder de decisão, no final das contas, ficou reduzido, em últimas palavras, ao eixo Brasília-São Paulo-Rio de Janeiro.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *