Embalagens

26 de setembro de 2011

PET – Injeção da pré-forma exige diferenciações no processo

Mais artigos por »
Publicado por: Maria Aparecida de Sino Reto
+(reset)-
Compartilhe esta página

    O transformador responsável por soprar uma pré-forma de PET e moldá-la nos mais variados formatos de embalagens desconhece, talvez, as particularidades que o processamento da resina para a confecção dessa peça solicita. Tanto a máquina como o molde exigem especificações diferenciadas. Igualmente, a transformação do polímero na pré-forma impõe a adoção de sistemas rígidos de controle de temperatura e outros tantos periféricos imprescindíveis para a obtenção de peças sem defeitos.

    Duas marcas europeias são referências nesse mercado: a canadense Husky e a suíça Netstal. Indiscutíveis a qualidade e a precisão dessas máquinas. O senão apontado pela concorrência fica por conta do alto investimento. Ambas, porém, defendem a relação custo/benefício.

    O mercado de PET tem papel relevante nos negócios tanto dentro da Husky como da Netstal. “Por sermos uma empresa de capital fechado, não podemos divulgar dados detalhados, entretanto, estimamos nossa participação global neste segmento em aproximadamente 60%; em países como o Brasil, esta participação é ainda maior”, diz o diretor da América do Sul da Husky, Evandro Cazzaro. Segundo ele, os mercados de pré-formas de PET e tampas para embalagens de bebidas são os mais representativos para a empresa em âmbito global.

    Plástico Moderno, Evandro Cazzro, Diretor da Husky, PET - Injeção da pré-forma exige diferenciações no processo

    Cazzaro estima em mais de 60% a participação global no setor

    Suas impressões sobre o mercado de PET são alentadoras. É fato que as embalagens para bebidas registraram um forte desempenho nos últimos anos na América Latina. E esse desempenho reflete nas estimativas de Cazzaro. Ele detectou um primeiro semestre mais lento, porém, aguarda expansão entre 4% e 5% em 2011 e prevê ainda um potencial consistente para os próximos anos, vinculado aos eventos esportivos de grande monta programados para o país: a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016.

    Gerente de divisão Netstal, do grupo KraussMaffei, no país, Ítalo Zavaglia enxerga fortes tendências para a resina em novos mercados e aplicações, até então dominados por outros materiais. Como exemplo das novas possibilidades de expansão para as embalagens de PET ele menciona frascos para cosméticos e para leite. Segundo o executivo, o ano passado foi um dos melhores para a empresa no segmento de PET no país. Zavaglia também sentiu o início deste ano desacelerado, porém já percebe uma sinalização de retomada do mercado e acredita que até o final deste ano volte ao ritmo embalado em que se encontrava.

    O que vem por aí – Pautado pelas expectativas de crescimento, Cazzaro acalenta diversos projetos para o mercado brasileiro, entre os quais relata a conversão, que espera ocorrer ao longo de 2012, de uma parcela substancial das embalagens para gargalos mais leves. Também desperta o interesse do diretor o uso crescente de PET reciclado nos frascos. “A Husky oferece novas tecnologias que permitem a utilização desse material revalorizado sem comprometimento à qualidade do produto e à produtividade dos sistemas”, ressalta Cazzaro.

    Na opinião dele, o mercado latino-americano – em especial o brasileiro – está sempre atrás de novas tecnologias, com foco particular naquelas que propiciam menores custos operacionais e economia de material gerada pela redução de pesos. “Isso fica evidenciado na grande procura pela nossa mais recente linha de sistemas HPP 4.0, o sistema de fabricação de pré-formas mais produtivo do mercado, proporcionalmente superior aos mercados norte-americano e europeu”, enaltece.

    Plástico Moderno, PET - Injeção da pré-forma exige diferenciações no processo

    Célula produtiva recém instalada em fábrica da Bombril

    No parecer do seu diretor, a Husky se destaca no segmento de embalagens para bebidas e alimentos por disponibilizar uma célula produtiva completa, desde a injetora, molde e câmara quente até robô de extração, controlador de temperatura e equipamentos periféricos de secagem, transporte e refrigeração. “Todos esses componentes trabalham de forma integrada para garantir o alto grau de repetibilidade e confiabilidade necessários para essas aplicações”, ressalta.

    Batizada HyPET High-Performance, a família de máquinas para injeção de pré-formas da Husky embute diversas características diferenciadas. O diretor destaca a unidade de injeção especial de duplo estágio, com plastificação contínua, e estação de transferência e câmara de acumulação da matéria-prima que, em conjunto com um sistema hidráulico, também especial, garante a potência necessária para plastificação e injeção de até 1.800 quilos por hora da resina.

    A célula, explica Cazzaro, ainda dispõe de robô integrado de entrada lateral, com placa extratora refrigerada de até quatro posições com sistema Coolpik de resfriamento pós-moldagem, além de unidade de fechamento hidromecânico para assegurar a velocidade, a precisão e a limpeza exigidas na moldagem das pré-formas. O gerenciamento do processo é efetuado pelo comando Polaris, que integra todas as funções dos componentes da célula, incluindo os equipamentos periféricos.

    O diretor ainda imputa à série HyPET High-Performance, assim como a outras injetoras da marca, altas cadências de produtividade que, “aliadas à alta repetibilidade e confiabilidade resultam em produtos manufaturados de maior grau de qualidade”. Também os moldes e câmaras quentes embutem tecnologia própria. São moldes para pré-formas de PET com até 192 cavidades, além de moldes para tampas (Husky-KTW) e uma linha completa de câmaras quentes para diversas aplicações. A carteira de produtos inclui os equipamentos periféricos para transporte, desumidificação e refrigeração, além de serviços de desenvolvimento de embalagens, entre outros.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      2 Comentários


      1. Bom dia
        Estou a procura no mercado nos seguintes tipos de preformas:
        Rosca baixa
        Gargalo 38mm
        Nas gramaturas próximos…
        28gr, 32gr, 40gr, 46gr e 50gr.

        Aguardo retorno
        Ronei 47 3632-2454 / 47 99609-5447



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *