Plástico

20 de janeiro de 2013

Perspectivas 2013 Adirplast – Fundo do poço ou tempo de transformações?

Mais artigos por »
Publicado por: Laercio Goncalves
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Como brasileiro, otimista, empresário e dirigente da Adirplast, devo rotular este ano de 2012 como um ano de transformações e mudanças positivas.

    Mesmo que o PIB industrial fique em torno de 3% negativo em relação a 2011, e volte a representar míseros 14% em relação ao PIB brasileiro, ou seja, a proporção de 1958, no tempo de JK.

    Vale lembrar que acompanhamos a valorização cambial, a redução da taxa básica de juros, o aumento de alíquota de importação de vários produtos termoplásticos, a redução da guerra fiscal entre portos e a desoneração fiscal de vários produtos industriais. São sinais claros de mudança de rumo, ou melhor: finalmente alguém olhou para a indústria. Ufa!

    Plástico, Laércio Gonçalves é presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas e Bobinas Plásticas de BOPP e BOPET (Adirplast), Perspectivas 2013 Adirplast - Fundo do poço ou tempo de transformações

    Laércio Gonçalves é presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas e Bobinas Plásticas de BOPP e BOPET

    A expectativa de economistas e pesquisadores indica aumento do PIB industrial entre 3% e 4% para 2013, principalmente na indústria de transformação. Nosso setor plástico deve acompanhar este ritmo, apesar de ainda encarar a baixa capacitação em gestão do setor e a elevada carga de impostos, dando vantagem para os asiáticos, que tomaram da indústria brasileira o crescimento do poder de compra da sociedade dos vales.

    Devemos prever recuperação parecida no setor de distribuição de resinas plásticas, liderada pelas especialidades ou resinas de engenharia, pois o consumidor brasileiro requer produtos finais com maior carga tecnológica e os plásticos acompanham esta expectativa. As especialidades devem fechar 2012 com participação em torno de 13% das resinas distribuídas pelos associados da Adirplast, e, seguindo uma progressão dos últimos anos, provavelmente consigam atingir em torno de 15% do volume total distribuído em 2013.

    Estamos promovendo uma grande força-tarefa dentro da Adirplast para consolidar os distribuidores formalizados de resinas plásticas e filmes de BOPP-BOPET, visando um efetivo fortalecimento do setor para o próximo ano. Entendemos que devemos insistir para que os transformadores de plásticos percebam e contabilizem as evidentes vantagens de adquirir produtos de empresas formalizadas, com bandeira das petroquímicas, com ajuda técnica, com excelência na logística, na formação de estoques reguladores e com colaboração até no financiamento das empresas clientes. Não conseguimos entender como os pequenos e médios transformadores de plástico, que precisam se profissionalizar, enfrentar a concorrência asiática e exportar manufaturados, ainda se abastecem por meio de fontes informais de matérias-primas, sem contar com o suporte das empresas petroquímicas e também sem colaboração em seu desenvolvimento. A logística que os distribuidores filiados à Adirplast colocam à disposição dos transformadores é de primeiro mundo: recebemos o pedido pela manhã e conseguimos entregar o produto nos principais polos industriais do país no período da tarde. Oferecemos a formação de estoques reguladores para o cliente, sem qualquer encargo financeiro, colaborando para que seu fluxo de caixa seja preciso e não onere seu produto final.

    Dos cerca de 11.500 transformadores de plástico do país, os distribuidores com bandeiras, filiados à Adirplast, atendem cerca de 8.000 empresas. Estamos convictos de que o setor não cresce se não se profissionalizar, com equipamentos modernos, pessoal capacitado, proprietários utilizando sistemas de gestão aprimorados e com efetivo relacionamento com seus fornecedores de matérias-primas.

    A distribuição profissional de resinas plásticas, de empresas filiadas à Adirplast, deve atingir volume entre 465 e 470 mil toneladas, revelando redução de 7% a 8% em relação a 2011. O faturamento deve fechar entre 2.425 e 2.440 milhões de reais, cerca de 5% inferior a 2011.

    Contando com a assertividade de nossas ações com os transformadores, esperamos crescer além dos 3% a 4% da expectativa do PIB industrial para 2013. Contabilizamos crescer também sobre a distribuição, que desconceitua e deprecia nosso ramo, e sobre os distribuidores informais, que inadequadamente ainda participam com grande fatia do fornecimento de resinas plásticas.

    Também devemos afirmar que a presença de distribuidores profissionais e com bandeiras de petroquímicas estrangeiras colabora definitivamente para o crescimento dos transformadores brasileiros, muitos deles ativos participantes da Adirplast. Eles trazem produtos diferenciados, relacionamentos e conhecimentos internacionais, abrindo a mente e descortinando novas oportunidades de negócios para a indústria plástica do país.

    Assim como no caso dos transformadores que revendem matérias-primas, existem várias empresas, principalmente traders, que atuam em outros setores e que invadem o mundo do plástico, sem respaldo de produtores, com produtos inadequados, sem ajuda técnica e sem colaboração no financiamento das empresas. Devemos, portanto, denunciar tais atitudes e alertar os pequenos e médios transformadores dos prejuízos decorrentes deste tipo de relação comercial, inicialmente vantajosa e que tem se mostrado imprópria para a estruturação de nossa indústria.

    A distribuição de resinas importadas deve atingir em torno de 20% do total da distribuição dos filiados à Adirplast em 2012, equilibrando-se com os volumes representados em 2011.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *