Compósitos

23 de janeiro de 2009

Perspectivas 2009 – Abmaco – Mercado busca aliados e cobra medidas concretas do governo

Mais artigos por »
Publicado por: Gilmar Lima
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Gilmar Lima, presidente da Associação Brasileira de Materiais Compósitos (Abmaco), Perspectivas 2009 - Abmaco - Mercado busca aliados e cobra medidas concretas do governoO ano de 2008 ficará marcado pelo bom desempenho do mercado brasileiro de compósitos. Tínhamos tudo para fechar o ano somente com motivos para comemorar, mas  os reflexos da crise internacional transformaram essa celebração em um sentimento de muita preocupação e frustração.

    Caminhávamos para recordes de todos os indicadores na nossa indústria e a previsão era de um cenário para 2009 ainda melhor. O otimismo e a euforia estavam presentes em todos. Planos de grandes investimentos e contratações eram predominantes em todas as discussões. A palavra de ordem era crescer e melhorar a rentabilidade. Ouvíamos o discurso tranquilo do governo de que a crise não chegaria ao Brasil.

    A Abmaco, por sua vez, já sinalizava sobre as possíveis repercussões dessa  crise e, consequentemente, falta de crédito e de confiança,  prejudicando os negócios em 2009.  Entretanto,  nós mesmos subestimamos a crise e acreditamos que estávamos blindados, e não esperávamos a desaceleração do mercado em uma velocidade nunca vista,  que destruiu, em muitos casos, toda a rentabilidade e o crescimento conseguidos em 2008. 

    Até o terceiro trimestre, o nosso segmento registrou crescimento de 18%, com a projeção de 17% no ano, alavancado principalmente pelos segmentos de transporte, construção civil e energia eólica.  Hoje, após essa turbulência,  a expectativa é de encerrar o ano com 12% de crescimento,  contra 15% em 2007.  A queda de receita de todos os setores começou em outubro, se agravou em novembro e, em dezembro, atingiu os níveis mais baixos dos últimos anos. 

    Plástico Moderno, Perspectivas 2009 - Abmaco - Mercado busca aliados e cobra medidas concretas do governo

    Iniciamos novembro preocupados com a possível desaceleração dos meses de dezembro e janeiro. Hoje, estamos apreensivos com o primeiro trimestre  de 2009 e, se não tivermos medidas urgentes do governo,  como a redução de juros (Selic),  diminuição e revisão de impostos (mesmo que provisórias), retorno do crédito e outras medidas que favoreçam a volta do consumo de bens duráveis,  poderemos aumentar ainda mais a duração desta crise. A posição do governo de tranquilizar o mercado e incentivar o consumo está correta, mas precisamos mais que isto. Necessitamos de ações para criar uma nova confiança e um ambiente de retomada geral,  e  para que a crise  seja  passageira,  pelo menos em nosso país. O Brasil está realmente preparado como nunca esteve, mas insisto, precisamos agir e transformar o discurso em medidas concretas e de coragem para superar este momento.

    Em 2009, a Abmaco terá um papel fundamental neste cenário nada favorável. Buscaremos alianças com outras associações para encontrar alternativas de manter o nosso mercado em crescimento, gerando emprego e valor para o Brasil.

    Plástico Moderno, Perspectivas 2009 - Abmaco - Mercado busca aliados e cobra medidas concretas do governo

    Em 2008, priorizamos os cursos de capacitação técnica. Em 2009, investiremos para capacitar os associados em gestão. Nossa grande missão será a preparação da nossa indústria para enfrentar este novo cenário. Estamos conscientes das grandes dificuldades que enfrentaremos, por tudo já exposto acima, mas acreditamos que surgirão muitas oportunidades no nosso segmento, principalmente pela necessidade de nacionalização e graças às vantagens do nosso produto em relação à durabilidade, redução de peso, flexibilidade de design e, principalmente, a competitividade, fatores fundamentais para toda a indústria que utiliza compósitos. A criatividade, a inovação e a capacidade de adaptação à mudança (resiliência) serão fatores determinantes para o sucesso.

    Em relação aos setores, acreditamos que não deverá haver mudança. Transportes, principalmente nos segmentos de ônibus, caminhões e no agronegócio (tratores e colheitadeiras), construção civil e energia eólica serão os principais mercados.  Apesar deste cenário mundial ainda incerto, estamos cautelosos quanto ao futuro, mas confiantes que, com a união de todos (empresas, entidades, associações e sociedade)   e ações fortes do governo,  iremos ultrapassar este momento de instabilidade da economia.

    Plástico Moderno, Perspectivas 2009 - Abmaco - Mercado busca aliados e cobra medidas concretas do governo

    Não podemos permitir que o Brasil pare de crescer. Com certeza teremos uma expansão inferior em 2009, mas precisamos continuar crescendo e criando empregos. Por isso, a Abmaco será muito atuante e crítica em 2009,  defendendo os interesses dos seus associados e dos seus trabalhadores. Outra ação importante será a divulgação e promoção dos seus materiais em todo o Brasil, com a intenção de gerar novas oportunidades e ideias. Também daremos início aos primeiros cursos de especialização de compósitos, cujo objetivo é a qualificação, preparação e capacitação dos nossos profissionais.  

    Em termos do consumo de compósitos, os números do Brasil em relação aos países desenvolvidos ainda são muito baixos. Por isso, temos grande potencial para crescer, o que demanda capital humano qualificado.

    O plano de investimentos da Abmaco continua em 2009. Não vamos alterar nada. Este é o nosso exemplo de confiança.  Vamos investir ainda mais em educação, em divulgação e na preservação do meio ambiente, por meio do nosso programa nacional de reciclagem.  Se depender das nossas ações e do nosso comprometimento,  o segmento de compósitos continuará crescendo e de uma forma sustentável por muitos anos.

    *Gilmar Lima é presidente da Associação Brasileira de Materiais Compósitos (Abmaco).



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *