Plástico

3 de julho de 2012

Periféricos – novos equipamentos embutem mais precisão e operam com menor consumo energético

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A gama de periféricos disponível às indústrias de transformação está mais diversificada e possibilita maior estabilidade aos processos, além de estar seriamente comprometida em otimizar a produção e economizar energia. Os novos recursos oferecem facilidades sequer imagináveis poucos anos atrás. A evolução se faz presente nos novos projetos que oferecem maior precisão, novas configurações e funcionalidades aos equipamentos, e ainda podem contar com softwares que propiciam controlar o consumo energético de todos os periféricos e também de todas as extrusoras, injetoras e sopradoras. Com todos esses atributos, o lema adotado pelos fabricantes é fazer com que os transformadores não percam tempo, nem dinheiro, e possam usufruir dos novos recursos para tornar mais eficientes e econômicas todas as linhas em operação nas fábricas.

    Plástico, Periféricos - novos equipamentos embutem mais precisão e operam com menor consumo energético

    Dosador gravimétrico dispõe de recurso que neutraliza vibrações

    Os transformadores americanos, depois dos brasileiros, estão entre os primeiros a conhecer as últimas novidades desenvolvidas pela Piovan. O vice-presidente da unidade brasileira, Ricardo Prado e sua equipe técnica do Brasil estarão participando nos próximos dias de open-house a ser promovido pela Sipa em Atlanta, nos Estados Unidos, com o objetivo de apresentar as últimas inovações em periféricos à comunidade empresarial dedicada ao PET.

    Entre as apresentações estarão os desumidificadores da linha Genesys, para secagem de flakes de PET, utilizados em

    Plástico, Ricardo Prado, vice-presidente da unidade brasileira da Piovan, Periféricos - novos equipamentos embutem mais precisão e operam com menor consumo energético

    Ricardo Prado: recomenda monitoração do consumo energético

    processos de injeção de pré-formas e de extrusão, em modelos com capacidades de secagem que vão desde 600 kg/hora até 1.800 kg/hora.

    “Trata-se de uma nova geração de secadores para PET cujas aplicações contam com baixíssimo consumo energético e com alto grau de controle de processo, e cuja instalação nas empresas pode oferecer 50% de economia em virtude da manutenção do ponto de orvalho constante, e sem flutuações”, frisou Prado.

    Equipados com dispositivos especiais, os novos periféricos se ajustam de forma automática às necessidades do processo de secagem e utilizam bombas de alta eficiência (classe EFF1), controladas por inversores, promovendo o gerenciamento e a estabilização da vazão de ar, bem como o gerenciamento da energia de regeneração, sem o uso de água para resfriamento.

    “Os secadores se autoajustam às necessidades da produção, por meio de sinais emitidos por células de carga que estão instaladas no funil de secagem e de um dispositivo de medição de vazão do ar especialmente desenvolvido pela Piovan”, informou o vice-presidente da unidade brasileira.

    Se por um lado a empresa contempla o setor com periféricos mais apropriados às produções em ritmos mais velozes e de grandes volumes, por outro, não relega ao esquecimento os transformadores que fazem uso de menores consumos de resinas para produzir pequenos componentes e miniengrenagens, mas que também necessitam de secadores aprimorados, utilizando ar comprimido em produções envolvendo desde 500 gramas/hora até 15 quilos/hora. Ao operador, nesse caso, basta programar qual será a resina a ser utilizada e indicar qual será o volume/hora para que o secador, comandado pelo software inteligente e autoajustável, esteja preparado para desempenhar sua função, programando o tempo de secagem e o volume de ar quente a ser utilizado naquela operação, estando disponíveis para tal a escolha mais adequada entre sete diferentes níveis de volume de ar seco.

    Além de sistemas especiais para aumentar a eficiência na produção de materiais em PET, a Piovan também está incluindo entre as últimas novidades sistemas de transporte e alimentação de pós e dosadores gravimétricos por perda de peso, especialmente concebidos para dosagens de masterbatches, aditivos, resinas e outras matérias-primas em pós, que exigem tecnologias diferenciadas de filtragem e sistemas de limpeza automática de mais alta capacidade.

    Tais inovações foram acrescidas à tradicional linha de equipamentos da Piovan desde a aquisição da empresa alemã F.D.M., especializada em sistemas de dosagem por perda de peso de alta precisão, e que detém tecnologias especiais voltadas às operações com grânulos e pós. “A F.D.M. tem um longo histórico de conhecimento nessas áreas e seu fundador foi pioneiro ao registrar a primeira patente mundial de sistemas de dosagem por perda de peso”, comentou Prado.


    Página 1 de 612345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *