Armazenamento e Transporte

24 de fevereiro de 2016

Notícias: Transportadora investe em armazém

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Fairbanks
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Notícias: Transportadora investe em armazém

    A conhecida transportadora especializada em cargas químicas Tquim, com 35 anos de atuação, avançou um passo na direção de se tornar um operador logístico. Ela inaugurou em dezembro de 2014 um centro de distribuição, situado em São Bernardo do Campo-SP, oferecendo aos clientes operações de armazenagem de cargas embaladas.

    Plástico Moderno,

    Almeida: armazém próprio dá mais agilidade

    Ocupando um galpão com 11,5 mil m², com 12 mil posições de pallets disponíveis, a Tquim passou a oferecer um serviço complementar aos seus clientes. “Verificamos que a metade dos nossos fretes lida com produtos embalados e paletizados, e muitos desses clientes usam armazéns de terceiros, nos quais encontramos problemas operacionais que causam atrasos na carga e descarga, com custos elevados”, comentou Walter Almeida, diretor superintendente da Tquim.

    A ideia inicial de montar uma estrutura de armazenagem para seus clientes foi uma decorrência dessas dificuldades. “Fazendo a armazenagem em casa, ficamos mais ágeis e mais eficientes, ou seja, é bom para todo mundo”, disse. A concretização dessa ideia representou investimento de R$ 4 milhões para a empresa.

    Além do armazém e da estrutura de porta pallets, foi preciso investir para compatibilizar os sistemas de TI da transportadora com os ERP dos seus clientes. “Como os sistemas conversam entre si, damos entrada e saída de mercadorias, emitimos notas fiscais e permitimos acompanhamento dos estoques e do trânsito dos produtos, com auxílio do nosso programa de Warehouse Management System (WMS)”, explicou. A instalação possui todas as qualificações e licenças necessárias para funcionamento com produtos químicos e petroquímicos embalados e paletizados. As entregas para os clientes finais são feitas conforme indicação do contratante do serviço, em quantidade e local.

    A operação do armazém é totalmente automatizada, com uso de tags, códigos de barra ou sistema de radiofrequência para administrar a movimentação de produtos. “O WMS endereça automaticamente a mercadoria, enviando-a para a posição mais adequada no armazém”, explicou.

    Com quase um ano de trabalho, cerca de 2 mil posições estão sendo ocupadas por clientes como Trínseo, IMCD e Blue Star, e Almeida acredita no aumento da procura, embasada no aumento da eficiência operacional. “Estamos em um momento de crise, há muitos armazéns vazios no país, mas a lógica do negócio é favorável, resulta em economia mediante os ganhos de eficiência tanto no armazenamento quanto no transporte”, explicou. As empresas da cadeia dos plásticos (e seus compostos) são apontadas por ele como clientes com grande potencial para usar esses serviços.

    No campo dos transportes químicos, a Tquim espera registrar aumento de negócios de 12% neste ano, apesar das dificuldades de mercado. “O transporte químico é uma especialidade, tem muitas regulamentações oficiais e exigências adicionais de sustentabilidade e governança impostas pelos clientes, tudo isso fez algumas empresas saírem do negócio, abrindo oportunidades para nós”, considerou.

    Segundo Almeida, a regulamentação Sassmaq (da Abiquim) para armazéns gerais está em fase de elaboração, com previsão de entrar em vigor em 2016. “Estamos participando e apoiando o teste piloto desse módulo do sistema”, comentou. A transportadora é uma das mais antigas qualificadas pelo sistema Sassmaq.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *