Plástico

1 de setembro de 2012

Notícias – Poliuretano disputa banheiras com PRFV

Mais artigos por »
Publicado por: Maria Aparecida de Sino Reto
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Reduto do poliéster insaturado com fibra de vidro (PRFV), o mercado de banheiras conta agora com nova opção de insumo para aplicar como revestimento. Trata-se de um sistema de poliuretano de espuma rígida, obtida pela reação de um poliol formulado com MDI (difenilmetano diisocianato), ofertado pela Bayer MaterialScience. Já utilizado nos Estados Unidos e em países da Europa, o produto chega agora ao mercado brasileiro para disputar uma fatia com o PRFV.

    O fabricante elenca excelentes propriedades mecânicas e melhor desempenho em isolamentos térmico e acústico comparativamente às alternativas disponíveis no mercado, bem como ciclo de cura mais rápido, o que confere maior agilidade ao processo e ganhos de produtividade.

    Por conta desses atributos, equivalentes à fabricação de banheiras capazes de manter a água quente por mais tempo e oferecer mais conforto acústico durante o banho, a formulação (marca Multitec) deve, em um primeiro momento, concorrer na fabricação de banheiras de luxo, mercado que movimenta R$ 120 milhões por ano no Brasil, com projeções de expansão de 15% até 2014, de acordo com o fabricante.

    Além do conforto do usuário, esse sistema de poliuretano chega como um concorrente de peso também por seus outros diferenciais: menos emissões no ambiente e maior segurança para os trabalhadores. O compósito de resina poliéster gera compostos orgânicos voláteis, que liberam gases tóxicos durante o processo de moldagem; e contém fibra de vidro, que penetra na pele dos operários em contato direto, podendo ocasionar problemas de saúde.

    Como explica o fabricante, a nova formulação, aplicada com o auxílio de máquinas, deixa uma quantidade muito inferior de resíduos, sinônimo de fábrica mais limpa, com baixo grau de agressão ao meio ambiente e segurança para o trabalhador. As primeiras banheiras revestidas com a espuma de poliuretano devem estar disponíveis no mercado no segundo semestre deste ano.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *