Chapas e Perfis

3 de maio de 2011

Notícias – Cresce consumo de chapas acrílicas importadas no país

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Reconhecidas pela qualidade e por suas concepções criativas, as chapas acrílicas nacionais atravessam as fronteiras do mercado interno em direção a mercados exigentes e de alto luxo. Na Europa, Estados Unidos e Oriente Médio, esses materiais encontram aceitação garantida em diversas aplicações voltadas à decoração, moda, arquitetura, construção civil, comunicação visual, iluminação e mobiliário. Mas, enquanto os acrílicos nacionais são vistos em peças e composições fora do país, uma constatação vem incomodando entidades como o Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico (Indac), que alerta para o rápido avanço dos importados no mercado brasileiro.

    Plástico Moderno, Notícias - Cresce consumo de chapas acrílicas importadas no país

    Cia. Brasileira de Acrílico tem capacidade para 700 t/mês

    “A participação de importados, seja em chapas acrílicas ou monômeros de metacrilato de metila, sobre os resultados do nosso setor mais que dobrou no país no último ano”, informou João Orlando Vian, consultor do Indac.

    O setor apresentou crescimento de 38% em 2010 em relação a 2009, que, por sua vez, registrou queda de 20% em relação a 2008. Boa parte desse crescimento, porém, se deve à participação dos importados.

    Em 2009, as importações somaram 450 toneladas, mas, em 2010, esse número aumentou para 1.100 toneladas, volume considerado muito alto perante o consumo registrado no mercado interno de 6.800 toneladas e de 9.500 toneladas, respectivamente, em 2009 e 2010.
    Uma das explicações para o ataque dos importados acrílicos é constatada nas guias de importação. Ao analisar esses documentos oficiais, João Orlando verificou em grande parte dos casos registros de chapas importadas a custos inferiores aos dos monômeros de metacrilato de metila, que contam com produção local e participam das exportações do setor.

    “Verificamos que grande parte das chapas acrílicas foi importada com valores correspondentes à metade do preço dos monômeros e passamos a solicitar reforço na fiscalização da Receita Federal, pois as importações estão sendo consideradas desleais e poderão corroer em pouco tempo todos os investimentos que estão sendo realizados no país pelos produtores locais em modernizações e aumentos de capacidade para atender o mercado interno e à demanda das exportações”, informou João Orlando.

    Não fossem essas preocupações, os dez anos de atividades do Indac comemorados no final de 2010 poderiam ser mais festivos, conforme observado durante encontro promovido pelo Instituto para a imprensa em fevereiro último, e que incluiu visita às instalações fabris da Cia. Brasileira de Acrílico (CBCril), em Cajamar-SP, com a finalidade de apresentar aos convidados como são fabricadas as chapas fundidas, também conhecidas como chapas cast, e que vêm transformando a produção nacional em referência na produção por esse tipo de processo, realizado com cuidados artesanais.

    Com capacidade instalada para produzir 700 toneladas/mês, a Cia. Brasileira de Acrílico é considerada a segunda maior fabricante de chapas acrílicas do país e também especialista na produção de chapas fundidas com efeitos especiais, como bicolor, perolizado e marmorizado – imitando com alto grau de perfeição o mármore carrara –, como as fornecidas para decorar vários ambientes do hotel da Armani, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, um dos mais requintados do mundo, e também em coberturas de locais de grande acesso de público, como estações de trem em Roma, na Itália, contando com grandes estruturas totalmente confeccionadas com chapas cast fornecidas pela empresa brasileira.

    Outra inovação recente em chapas cast foi desenvolvida pelo fabricante para compor painéis e divisórias com apelo ecológico. Produzidas com elementos da natureza em seu interior, essas chapas estão sendo requisitadas por clientes na Alemanha e nos Estados Unidos, para serem instaladas em vários ambientes, como restaurantes e escritórios.

    Embora a demanda por chapas acrílicas especiais cresça entre 30% e 40% ao ano, os volumes fabricados no país ainda são considerados baixos, não ultrapassando 20 toneladas/mês. Isso, porém, tem servido de estímulo para que a empresa se mobilize para prospectar maior número de clientes no Brasil e no exterior, e continue a apostar na expansão da demanda interna e externa por essas chapas especiais, que agregam valor aos acrílicos, chegando a ser comercializadas a preços 50% superiores aos das chapas cast convencionais, do tipo cristal.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *